Início Arquivo

Biquinis também fazem furor em Portugal

Quando chegou a Portugal chocou as mulheres com a sua colecção de biquinis, que foram considerados “demasiado arrojados” pelas clientes portuguesas, o que fez com que a criadora optasse por modelos mais conservadores naquela época. Hoje em dia, representa marcas como a Via Brasil, a Corporatto e a Per Tutti, que apesar de serem modelos tipicamente brasileiros, têm muita aceitação. E é este sucesso a nível nacional que está a levar Maria da Nazaré a pensar em voos mais altos. Sediada em Pombal, a Rio Fio, foi crescendo a pouco e pouco e emprega actualmente 75 funcionários, na sua maioria mulheres. As instalações, situadas num edifício alugado, na zona industrial da Formiga, começam a ser pequenas para a enorme quantidade de trabalho. «Vamos fazer novas instalações no parque industrial de Manuel da Mota (Pombal). Trata-se de um investimento de 100 mil contos para uma área de cerca de 2.100 m2», adianta José Rio, gestor da Rio Fio ao Jornal Têxtil. A empresa, criada há 18 anos pela empresária e pelo seu filho está pronta para a entrada num novo mercado: o espanhol. Madrid e Málaga são as novas apostas da empresa, não só por pela sua localização, como pela dimensão. «Estivemos a estudar qual seria a melhor via, começar por Madrid ou pelo Sul de Espanha». Já este ano, a empresa deverá criar um armazém em Málaga, ao mesmo tempo que projecta alargar o leque de clientes espanhóis, que atinge já cerca de 10% da produção. Os restantes 90% têm como destino o mercado nacional. A empresa de Pombal fabrica cerca de 150 mil biquinis e fatos de banho em cada colecção. Para José Rio, a Espanha será “uma porta de entrada” na Europa, projectando a médio prazo chegar a outros países, como França. Mas, o empresário não se fica por aqui, e adianta que no futuro a Austrália poderá ser outra das apostas. Rio não deixa de referir que o mais importante é consolidar o mercado nacional. Os atentados de 11 de Setembro deixaram todos os sectores assustados, e estes empresários sentiram essa dificuldade, e tendo uma actividade sazonal, têm que ter um maior cuidado. A Rio Fio apresentou 833 mil euros de volume de negócios em 2000, passando para 1.506 mil euros no anterior exercício económico; «tem sido sempre a subir» adianta Rio com optimismo. «A empresa está a proceder aos preparativos para a presença nesta semana no Portugal de Moda, na FIL, em Lisboa», acrescenta José Rio.