Início Arquivo

Bons negócios nos TT

O ano de 2005 marcou uma viragem no sector dos têxteis técnicos em Portugal. O motor deste antes e depois no sector foi o apoio da Associação Selectiva Moda (ASM) à participação das empresas portuguesas na Techtextil que, nos espaço de uma década, passou dos dois habituais expositores – Endutex e Cordex – para um total de 16, a título individual ou sob a égide da ASM. Na hora do balanço, Gonzaga Oliveira, director-geral da Aretfita – que a par da Coltec e da ERT não faltaram ainda a uma chamada da ASM desde a estreia há seis anos atrás – revelou que «ficámos sensibilizados pelo facto destes visitantes já trazerem na agenda o contacto da Artefita». Por seu lado, Francisco Fernandes, director técnico da Coltec, afirmou que «foram efectuados bastantes contactos com potenciais clientes e fornecedores». Já Leonor Carvalho, directora de I&D da Gulbena, notou que o seu stand na feira teve visitantes muito interessantes, que sabiam exactamente o que procuravam. E Nuno Vitó, director comercial da Cordex, disse inclusive que, face aos bons resultados obtidos com mais uma presença em Frankfurt, cogitam a uma participação na versão russa e norte-americana da mais conceituada feira dedicada aos têxteis técnicos e aos não-tecidos [Para conhecer ao pormenor as novidades apresentadas e comentários dos principais players nacionais do sector dos têxteis técnicos na Techtextil, bem como a evolução deste mercado e as mais recentes inovações mundiais não perca a edição deste mês do Jornal Têxtil. Para além de Portugal, esta edição da Techtextil contou com pavilhões da Bélgica, Canadá, China, República Checa, França, Itália, Espanha, Suécia, Taiwan e EUA, com o objectivo de mostrar, aos visitantes, a capacidade de cada um destes países em inovar neste sector. O sector dos têxteis técnicos e não-tecidos apresentou-se, de resto, no seu melhor em Frankfurt. A inovação que pautou produtos, tecnologias e processos são um estímulo à indústria têxtil em geral e vão ao encontro das exigências de áreas de aplicação tão díspares como, por exemplo, o sector automóvel e a construção civil. «A Techtextil é o local mais importante para iniciar negócios entre produtores e consumidores de têxteis técnicos e não-tecidos. E, este ano, a feira confirmou e expandiu a sua posição», referiu Detlef Braun, administrador-executivo da Messe Frankfurt, no encerramento da Techtextil 2011. «Mais de 24.500 visitantes provenientes de 26 países conheceram um incrível número de inovações apresentados por 1.207 expositores vindos de 50 países, um sucesso tanto do ponto de vista nacional como internacional. Juntando ainda o grande nível de satisfação de expositores e visitantes, a Techtextil 2011 foi mais popular do que nunca», acrescentou Braun. Além disso, a feira gerou novas sinergias graças à sua simultaneidade com a mostra Material Vision e a nova feira consagrada ao processamento de têxteis, a Texprocess. No inquérito realizado pela Messe Frankfurt durante os tês dias do certame, cerca de 96% dos visitantes avaliaram a sua visita entre boa a muito boa (2009: 94%). O eco dos expositores também é positivo: 90% atribuíram nota máxima à feira (2009: 83%). A importância da Techtextil reflecte-se igualmente no aumento dos visitantes internacionais: 55% comparando com os 46% em 2009. A seguir à Alemanha, os países que mais visitaram a feira foram a Itália, França, Holanda, Reino Unido, Bélgica, Suíça, Turquia, Espanha, Polónia e EUA. Outros países que vieram em peso de fora da Europa foram a Índia, Coreia do Sul, China e Japão. O ambiente positivo entre expositores e visitantes foi resultado da crescente procura das várias áreas de aplicação e da melhoria da actual situação económica internacional, que desencadeou um aumento do investimento e do emprego nos sectores representados na Techtextil. 91% dos visitantes consideram a situação económica no seu sector boa, o que representa um grande aumento em relação a 2009, quando eram apenas 61%, e 86% dos expositores também partilham deste ponto de vista (2009: 57%). As tendências que marcaram esta feira foram a multi-funcionalidade e a eficiência energética. As novas fibras, materiais, tecnologias, acabamentos e potencialidades das aplicações são as inovações que dão aos produtores de têxteis técnicos numerosas ideias para materiais com aplicação em todas as áreas industriais e para maior eficiência energética na sua utilização. Dependendo da sua composição e processamento, os têxteis técnicos oferecem performances igualáveis a materiais como o aço, cimento ou borracha, além da vantagem de serem mais leves. Sem esquecer as suas mais-valias em termos de resistência e elasticidade, têm também hoje um papel fundamental na protecção do indivíduo, através do vestuário, na sequência de acções como a repelência aos insectos, propriedades anti-microbianas ou retardante de chama. A próxima edição da Techtextil está já agendada de 11 a 14 de Junho de 2013.