Início Breves

Breves

  1. EUA desmantelam contrabando
  2. Metro divide negócios
  3. Centros comerciais mais otimistas
  4. Princesse tam.tam abandona o Japão
  5. Oxford Industries defrauda expectativas
  6. Hermès assegura lugar nos Jogos Olímpicos

1EUA desmantelam contrabando

As autoridades americanas revelaram que, juntamente com as autoridades de Hong Kong, puseram fim a uma grande operação de contrabando de vestuário produzido na China. A operação foi descrita como a maior deste tipo descoberta na Costa Oeste dos EUA. O tráfico envolvia mais de 600 milhões de dólares (cerca de 524,8 milhões de euros) em produtos. O vestuário era produzido na China e importado ilegalmente para os EUA, sob o subterfúgio de que as roupas eram destinadas a empresas mexicanas, quando de facto eram distribuídas nos EUA. As autoridades americanas explicaram que o objetivo era evitar as quotas e taxas alfandegárias impostas pelos EUA. A investigação foi lançada em 2000 pelos governos dos EUA e de Hong Kong e revelou que a operação de contrabando tinha intermediários na China, Hong Kong e EUA e envolvia mais de 7.000 contentores marítimos de vestuário. A autoridade aduaneira americana calcula que o tráfico corresponde a mais de 60 milhões de dólares de taxas aduaneiras não pagas. Hong Kong e os EUA vão partilhar os 20,5 milhões de dólares em bens apreendidos no final da investigação. «Demorou muito tempo para obter este montante compensatório, mas é um testemunho da perseverança dos funcionários de dois continentes, envolvidos no desmantelamento» da rede, afirmou Joseph Macias, responsável do gabinete de Los Angeles da U.S. Immigration and Customs Enforcement. Cinco pessoas, incluindo Armando Salcedo, dono de um negócio de transportes por camião de Los Angeles, foram acusados após a investigação. Salcedo assumiu a culpa em 2008 e foi condenado a 18 meses na prisão, enquanto os outros quatro fugiram.

2Metro divide negócios

A gigante alemã de retalho Metro revelou que vai dividir o negócio em duas unidades distintas, levando as ações a subirem quase 8% no dia do anúncio, no passado dia 30 de março. Vai ser criado um grupo especializado em vendas por grosso e produtos alimentares, que vai incluir as marcas Metro, Makro e Real, assim como um grupo de produtos e serviços na área da eletrónica e eletrodomésticos, centrado nas cadeias de retalho Media Markt e Saturn. «O conselho de administração da Metro está a preparar a criação de duas empresas independentes e focadas num sector através da divisão do grupo», indicou a Metro em comunicado. Uma vez que há pouca sobreposição entre os dois negócios e efeitos de sinergia limitados, a administração sentiu «que uma divisão em dois negócios independentes e focados seria no melhor interesse dos acionistas, já que iria facilitar uma oportunidade significativa para um crescimento mais rápido e rentável», afirmou o diretor do conselho de supervisão, Juergen Steinemann.

3Centros comerciais mais otimistas

Os diretores de centros comerciais na Austrália estão mais otimistas sobre as perspetivas de retalho, já que os preços dos combustíveis deverão impulsionar o rendimento disponível, de acordo com o estudo Retail Centre Managers Survey, da JLL. Cerca de 55% dos inquiridos esperam um aumento do volume de negócios no ano em curso, em comparação com 51% no estudo anterior, que foi levado a cabo há seis meses. O diretor de gestão de propriedades e ativos da JLL, Richard Fennell, afirmou que os diretores dos centros continuam preocupados com as previsões económicas, mas os preços mais baixos dos combustíveis é a maior mudança que pode melhorar o consumo. «Os preços dos combustíveis estão num valor próximo do mais baixo em sete anos, o que significa que o motorista médio está a gastar significativamente menos em combustível e isso pode traduzir-se em mais rendimento disponível para outros artigos, como bens de retalho e serviços», indicou Fennell. O inquérito aos arrendatários em centros comerciais permaneceu tépido, conclui o estudo, com 63% dos inquiridos a não sentirem uma mudança definitiva em qualquer sentido. O estudo foi feito em fevereiro entre 126 centros comerciais na Austrália geridos pela JLL.

4Princesse tam.tam abandona o Japão

A Fast Retailing vai fechar a sua marca de lingerie Princesse tam.tam no Japão, depois de não ter conseguido aumentar a notoriedade da marca no país. A ação segue-se ao encerramento das operações online no Japão da marca de origem francesa, assim como das suas três lojas, duas em Tóquio e uma em Osaka. Os esforços da marca serão agora concentrados nas operações em França e noutros países, indicou. No final de novembro, havia cerca de 140 lojas Princesse tam.tam operadas diretamente em todo o mundo, sobretudo em França. A Fast Retailing adquiriu a marca, que se direciona para mulheres na faixa etária dos 20 e 30 anos, em 2006, por 10 mil milhões de ienes (cerca de 78,1 milhões de euros). A primeira loja japonesa da marca abriu em novembro de 2012 no bairro de Ginza, em Tóquio. O marketing não foi suficiente para aumentar a notoriedade da marca, ao mesmo tempo que os produtos não encontraram, alegadamente, compradoras suficientes, segundo o jornal The Nikkei.

5Oxford Industries defrauda expectativas

Oxford Industries revelou previsões para o primeiro trimestre e para o ano completo abaixo das expectativas. Para o atual trimestre, antecipa um lucro de 1,30 a 1,40 dólares (de 1,14 a 1,22 euros) por ação e vendas líquidas entre 265 e 275 milhões de dólares. Os analistas antecipavam um lucro por ação de 1,38 dólares e um volume de negócios de 277 milhões de dólares. Para o ano completo, os lucros por ação deverão situar-se entre 3,75 e 3,95 dólares e as vendas entre 1,02 e 1,04 mil milhões de dólares. Os analistas antecipam um lucro por ação de 3,99 dólares e vendas de 1,04 mil milhões de dólares. No quarto trimestre do último ano fiscal, o lucro subiu 11%, para 17,5 milhões de dólares e o lucro por ação aumentou para 1,09 dólares, um valor superior ao antecipado pelos analistas, que apontavam para 1,05 dólares por ação. O volume de negócios cresceu 4,2%, para 259,6 milhões de dólares, abaixo dos 266 milhões de dólares esperados pelos analistas. As vendas subiram 5,3%, para 195,9 milhões de dólares, na Tommy Bahama e 6,2%, para 36,9 milhões de dólares, na Lilly Pulitzer. As margens brutas subiram de 55,2% para 55,8%.

6Hermès assegura lugar nos Jogos Olímpicos

A Hermès é a marca oficial de selas da seleção brasileira de hipismo. É a primeira vez que a Hermès é a marca oficial de uma equipa olímpica, indicou uma porta-voz da casa de moda francesa. A Hermès tem fortes ligações ao hipismo, tendo começado como uma produtora de selas e arreios em 1837. A empresa, sediada em Paris, também produziu a sela com que Rodrigo Pessoa venceu a medalha de ouro olímpica em Atenas, em 2004, montado no cavalo Baloubet du Rouet. As selas da Hermès estão à venda a partir de 4.200 euros, segundo o website da marca.