Início Breves

Breves

  1. IACC suspende Alibaba
  2. Ralph Lauren supera expectativas
  3. Retalho abranda na Nova Zelândia
  4. Nike é a mais valiosa
  5. Massimo Dutti chega à Índia
  6. Campanha da Calvin Klein sob fogo

1IACC suspende Alibaba

Um grupo anticontrafação revelou que irá suspender o Alibaba Group Holding Inc depois das preocupações levantadas por outros dos seus membros. A declaração da International Anti-Counterfeiting Coalition (IACC) segue-se a uma notícia da Associated Press onde se referia que o presidente da coligação, Robert Barchiese, tem ações do Alibaba e usa membros da sua família para gerir a coligação. O grupo indicou que os seus membros não informaram o conselho de administração sobre conflitos de interesse envolvendo Barchiesi. Numa carta enviada aos seus membros, a IACC admite que os conflitos não foram revelados ao conselho de administração «devido a uma falha nos nossos procedimentos». O grupo, cujos membros incluem a Apple Inc e a Twenty-First Century Fox Inc, afirmou que está a suspender uma nova fornada de membros, que inclui o Alibaba e duas outras empresas. O Alibaba integrou a IACC em abril. «Quer sejamos ou não membros da IACC, vamos continuar as nossas relações proativas e orientadas para resultados com marcas, governos e parceiros da indústria», afirmou Jennifer Kuperman, diretora de assuntos internacionais do Alibaba. Jack Ma, fundador do Alibaba, deverá fazer uma intervenção na conferência da primavera de 2016 da IACC, acrescentou a porta-voz da IACC, Marcia Horowitz.

2Ralph Lauren supera expectativas

A retalhista de moda de luxo Ralph Lauren Corp registou um volume de negócios e lucros no quarto trimestre melhor do que o esperado, graças a uma semana extra no trimestre este ano, novas lojas e crescimento das vendas online. A Ralph Lauren, cujas marcas incluem a Polo Ralph Lauren e a Club Monaco, tem investido no comércio online, expandindo a sua distribuição na China e reestruturando o negócio para melhor reagir às tendências de moda. A empresa tem também estado a expandir o seu portefólio de produtos para incluir vestuário de senhora sob a marca Polo e lançou uma nova linha de vestuário desportivo e de outdoor. Contudo, as vendas em lojas abertas há pelo menos um ano caíram 6%. Os analistas em média antecipavam uma queda de 5,1%, segundo o Consensus Metrix. O lucro da Ralph Lauren caiu para 41 milhões de dólares (cerca de 36 milhões de euros) no trimestre terminado a 2 de abril, em comparação com 124 milhões de dólares um ano antes. O declínio no lucro deveu-se essencialmente a custos gerais e administrativos e ainda a um valor de 45 milhões de dólares relacionado com custos de reestruturação. Ainda assim, a empresa registou um lucro de 88 cêntimos de dólar por ação, acima das expectativas de 83 cêntimos de dólar antecipados pelos analistas, de acordo com a Thomson Reuters I/B/E/S. O volume de negócios caiu 1%, para 1,87 mil milhões de dólares, mas ficou acima das estimativas médias dos analistas de 1,86 mil milhões de dólares.

3Retalho abranda na Nova Zelândia

As vendas a retalho na Nova Zelândia registaram, no primeiro trimestre, o crescimento mais lento em nove meses. O volume de vendas a retalho caiu 0,8%, segundo o gabinete de estatística do país, falhando as expectativas dos analistas de uma subida de 1%. Excluindo as indústrias mais voláteis relacionadas com veículos, o volume de vendas a retalho subiu 1%. As vendas de vestuário, calçado e acessórios aumentou 1,7%. Satish Ranchhod, economista-sénior do Westpac Banking, afirmou ao Scoop.co.nz que a moderação nas vendas a retalho no início do ano é normal, depois do forte crescimento no ano passado em produtos duráveis, como hardware e mobiliário. Em termos não ajustados, o volume de vendas a retalho subiu 4,8% em termos anuais. O valor, por seu lado, aumentou 4,7%, para 20,16 mil milhões de dólares neozelandeses (cerca de 12,1 mil milhões de euros).

4Nike é a mais valiosa

A Nike é a marca de vestuário mais valiosa, segundo o novo ranking da revista Forbes, com um valor de 27,5 mil milhões de dólares (24,2 mil milhões de euros). Como sublinha a Esquire, isso torna a Nike a marca de vestuário mais valiosa, ultrapassando a Louis Vuitton, que registou uma ligeira quebra em valor, para 27,3 mil milhões de dólares. Há um ano, a Nike ocupou a mesma posição num ranking semelhante da empresa Millward Brown. Recentemente, a empresa atingiu um novo marco, destacou a Fortune, já que no seu relatório de sustentabilidade menciona que a maior parte dos seus funcionários se identifica como “não brancos”. Os empregados caucasianos ainda representam o grupo maior, com 48% dos funcionários nos EUA, mas os outros grupos em conjunto representaram mais de 51%. A Nike, contudo, está a ficar para trás no que diz respeito a colocar as mulheres em posições de liderança, com 59% dos gestores a serem homens. A empresa, no entanto, atualizou a sua política de licenças, aumentando a licença de maternidade paga de seis para 14 semanas. Pais, pais adotivos e empregados com familiares doentes podem ter uma licença paga de até oito semanas. Anteriormente não tinham esse direito. A diversidade, tanto em termos étnicos como de género, não é o único fator de sucesso da Nike, mas pode influenciar. Um relatório publicado no ano passado pela empresa McKinsey analisou a ligação entre a diversidade e o sucesso e concluiu que as empresas com uma força de trabalho diversificada tendem a ter uma melhor performance financeira. Os EUA, etnicamente diversos, são o maior mercado de sportswear do mundo. A diversidade levou também a Christian Louboutin a alargar a sua linha “nude” para coincidir com vários tons de pele.

5Massimo Dutti chega à Índia

A Inditex abriu a sua primeira loja Massimo Dutti na Índia, seis anos depois de lançar a marca Zara e torná-la uma das marcas da fast fashion em mais rápido crescimento no país. A nova loja, localizada no centro comercial Select Citywalk em Nova Deli, vende vestuário de senhora e de homem, calçado e acessórios. A Inditex tem registado uma forte performance com a Zara desde que levou a marca para a Índia em 2010 com uma joint venture, a Inditex Trent Retail, em parceria com o braço de retalho do Tata Group, o Trent. A Zara ultrapassou a marca do volume de negócios de 100 milhões de dólares (cerca de 88 milhões de euros) na Índia em cinco anos, indicou a Mint, mas a sua taxa de crescimento abrandou no ano fiscal de 2015, de 43% em 2014 para 24%. A Massimo Dutti opera 755 lojas em 73 países na Europa, América e Ásia.

6Campanha da Calvin Klein sob fogo

Uma nova campanha publicitária de roupa interior da Calvin Klein tem estado a gerar polémica nos EUA. Uma das imagens é uma fotografia tirada por baixo da saia da modelo, Klara Kristin, de 23 anos, que está a olhar para a câmara, que está ao nível do chão. A campanha foi batizada “I flash in #my calvins” e está a gerar controvérsia nas redes sociais e não só. Um título no jornal New York Post dizia que «a Calvin Klein está a fazer marketing para pervertidos». Na conta de Twitter da Miss Representation, parte do Representation Project, que afirma trabalhar contra os estereótipos e injustiça social, podia ler-se «@CalvinKlein, o vosso anúncio sexualiza jovens», acrescentando como hashtag «não vamos comprar». O National Center on Sexual Exploitation nos EUA considera que o anúncio mostra uma forma de assédio sexual – a prática de tirar fotografias por baixo da saia de uma mulher sem o seu conhecimento ou autorização. O centro lançou uma petição para pedir à marca para «deixar de normalizar e dar glamour ao assédio sexual». A foto, contudo, continua na conta do Twitter da Calvin Klein. As campanhas da Calvin Klein são muitas vezes sensuais e às vezes apresentam modelos que são andróginos e muito jovens. Em 1981, a atriz americana Brooke Shields, então de 16 anos, posou em jeans Calvin Klein com as pernas abertas, enquanto olhava para a câmara e dizia: «sabe o que está entre mim e as minhas Calvins? Nada».