Início Breves

Breves

  1. Alemanha escorrega e Zona Euro dececiona
  2. G-Star Raw à conquista dos EUA
  3. China recua nos impostos online
  4. Os drones chegaram ao Wal-Mart
  5. Memorial Day impulsiona Gap
  6. El Corte Inglés no feminino

1Alemanha escorrega e Zona Euro dececiona

Os retalhistas da Zona Euro deram esta semana uma decionante notícia aos mercados, com volumes de vendas estagnados em abril em relação ao mês de março, falhando as previsões dos analistas que apontavam para a primeira subida em dois meses. As vendas comparáveis subiram 1,4%, também abaixo das expectativas de um aumento acima de 2%, um incremento ainda mais lento do que o aumento de 1,8% de março, de acordo com o Eurostat. Apesar do aumento das vendas em França e Espanha, a Alemanha, a maior economia da Zona Euro, assistiu a um grande declínio, com as vendas a caírem 0,9% em termos mensais e 0,6% em termos anuais. Já a Bélgica, que sofreu com o nervosismo dos consumidores depois de vários ataques terroristas, também pesou nos números. As vendas belgas caíram 2,3% em termos anuais, embora tenham subido 1,1% em termos mensais. Esta foi também uma má notícia para a moda, tendo em conta que grande parte do crescimento anual foi impulsionado pela alimentação, bebidas e tabaco. Os produtos não alimentares permaneceram estagnados ao longo do mês. A notícia surpreendeu muitos, uma vez que a confiança económica na Zona Euro tem vindo a aumentar. No entanto, os analistas permanecem otimistas e preveem melhores números nos próximos meses.

2G-Star Raw à conquista dos EUA

A marca holandesa de denim G-Star Raw, que tem o cantor Pharrell Williams como coproprietário, abriu na semana passada uma flagship na 5.ª Avenida, em Manhattan. A loja de 250 metros quadrados fica em frente a uma atração-chave para turistas internacionais, a Biblioteca Pública de Nova Iorque. O responsável pelo mercado da América do Norte, Tony Lucia, sublinhou que as marcas internacionais precisam de um local na 5.ª Avenida, caso pretendam competir no mercado norte-americano. A loja apresenta uma mezanine e disponibiliza quer um conceito montra aberta, quer um espaço de armazenamento aberto, dando aos visitantes uma visão panorâmica dos produtos, apresentando ainda pernas a três dimensões (3D) que ajudam a mostrar a inovação em denim da marca. Lucia referiu ainda ao WWD que a empresa detém seis lojas próprias nos EUA e 18 franchises e que espera ter 50 lojas no mercado norte-americano já nos próximos três anos.

3China recua nos impostos online

As autoridades fiscais da China adiaram a introdução de um novo imposto sobre produtos transfronteiriços comprados online com receio de uma desaceleração no comércio digital. As novas políticas fiscais não terão efeito até maio de 2017 nas dez zonas-piloto de comércio online, incluindo Tianjin, Xangai, Hangzhou e Guangzhou. O imposto tinha sido introduzido na esperança de impulsionar as vendas dos fabricantes domésticos, no entanto, quando o novo sistema foi discretamente implementado no mês passado, as encomendas transfronteiriças de e-commerce assistiram a uma quebra de 60% logo na primeira semana, de acordo com os órgãos de comunicação locais. Isto motivou uma avalanche de consumidores insatisfeitos nas redes sociais, algo que se refletiu também negócios dos importadores chineses. Os cosméticos foram uma das principais categorias de produtos afetadas pela introdução do novo imposto. As empresas internacionais que têm vindo a apostar fortemente nas vendas online para os consumidores chineses viram ainda os preços das suas ações em queda livre.

4Os drones chegaram ao Wal-Mart

O Wal-Mart Stores Inc pode começar a usar drones já no final deste ano, de acordo com um comunicado divulgado na passada quinta-feira. A empresa informou ainda que está a testar inteligência artificial e tecnologia de realidade virtual, sem acrescentar mais detalhes. A fim de melhor competir com os rivais, a gigante de retalho anunciou estar a 6 a 9 meses de introduzir drones nos seus armazéns norte-americanos, tendo pedido aos órgãos reguladores permissão para testá-los para uso externo, incluindo entrega ao domicílio e recolha. As autoridades norte-americanas ainda estão a ultimar os regulamentos para uso comercial de drones para entrega de compras online aos clientes, mas concedeu várias exceções à sua atual proibição de uso comercial generalizado. A retalhista online Amazon também está já a testar a tecnologia e foi autorizada a usar drones para explorar as suas potencialidades. O vice-presidente de Ciências Emergentes, Estratégia e Planeamento no Walmart, Shekar Natarajan, adiantou que a empresa «ainda está na fase inicial de testes e a tentar perceber como é que os drones podem ser usados em diferentes tipos de funções de negócios». Numa demonstração de como os dispositivos poderiam ser usados, Natarajan mostrou-os a fotografar inventário em armazéns com uma velocidade ultrarrápida e a alertar os funcionários para baixos níveis de stock ou erros.

5Memorial Day impulsiona Gap

A queda das vendas da Gap pode ter sido melhor do que o previsto, os 6% de quebra ainda são preocupantes. As vendas totais caíram 5%, para 1,18 mil milhões de dólares (aproximadamente 1,03 mil milhões de euros). A gigante do retalho disse, esta semana, no entanto, que a Gap conheceu um declínio de apenas 3%. No entanto, isso significava que a notícia foi pior noutras marcas da empresa, com a Old Navy, outrora em alta, a relatar uma queda de 7% e a Banana Republic a mergulhar 11%. Houve, no entanto, uma boa notícia: a performance de vendas da empresa melhorou no fim de semana do Memorial Day. A empresa havia dito, no início do mês, que estava a perceber um «ambiente macro morno para o retalho de vestuário», e acrescentou que o Memorial Day tardio afetaria a matemática de maio, mas iria dar um impulso a junho.
«À medida que entramos no segundo trimestre, continuamos a fazer progressos em relação às nossas medidas recentemente anunciadas, mantendo a disciplina financeira pela qual somos conhecidos», disse a diretora financeira, Sabrina Simmons, em comunicado oficial.

6El Corte Inglés no feminino

O El Corte Inglés abriu uma nova loja que vende produtos exclusivamente dedicados ao público feminino. A loja, no Serrano, vem no seguimento da abertura de espaços inteiramente dedicados a produtos de homem, em novembro passado. A loja, designada MAN, terá sido um sucesso para a empresa, que agora espera replicar a fórmula com um equivalente feminino. A nova loja vai oferecer seis andares de moda feminina e acessórios, incluindo uma série de marcas que são novidade na cadeia.
A moda é uma parte fundamental da oferta do El Corte Inglés e, no ano passado, as vendas combinadas de moda, beleza, joias, artigos para o lar e lazer aumentaram 11%, para 7 mil milhões de euros. A moda, os acessórios, a beleza e as joias representaram 4,3 mil milhões de euros.