Início Breves

Breves

  1. Retalho supera expectativas
  2. Zegna investe em ovelhas
  3. Kenzo junta homem e mulher
  4. Ikea soma vendas e lucros
  5. Selena Gomez desenha para a Coach
  6. Millennials impulsionam vendas online

1Retalho supera expectativas

As vendas a retalho em Hong Kong caíram 2,9% em valor em termos anuais em outubro, a 20.ª queda mensal consecutiva, de acordo com os dados do Departamento de Censos e Estatística do território. Contudo, esse valor representa uma melhoria face à queda de 4% registada em setembro e um valor acima do declínio de 5,2% esperado pelos analistas. Entretanto, as vendas a retalho em volume desceram 2,7% em termos anuais em outubro, uma melhoria face à queda de 3,8% em setembro e um valor acima da diminuição de 5% antecipada pelos analistas. As vendas de vestuário, contudo, caíram 5,1% em outubro, com as vendas em grandes armazéns a baixarem 0,8%. Os artigos de luxo, incluindo joalharia, relógios e outros artigos com mais valor registaram uma descida de 0,1% das vendas em termos anuais. Em contrapartida, as vendas em supermercados aumentaram 3,5% e a venda de alimentos, bebidas alcoólicas e tabaco subiram 1%. Em relação ao futuro, as previsões do Departamento de Censos e Estatística no curto prazo apontam para que as vendas a retalho sejam afetadas pelo fluxo de turistas, assim como pela forma como a confiança do consumidor vai ser afetada por incertezas mundiais.

2Zegna investe em ovelhas

A Ermenegildo Zegna está a investir na criação de ovelhas. A empresa italiana, avaliada em 1,3 mil milhões de dólares (cerca de 1,25 mil milhões de euros), fez uma parceria em 2014 com Charles Coventry, tendo comprado uma quota de 60% na sua quinta de cerca de 2.500 hectares perto de Armidale, na Austrália, para melhor controlar as matérias-primas que utiliza, numa estratégia que batizou “da ovelha à loja”. As 10 mil ovelhas que estão na quinta foram criadas para produzir uma das melhores lãs merino existentes no mundo. A empresa é a primeira marca de luxo a assumir uma posição de proprietária na investigação e desenvolvimento da lã que utiliza, embora a tendência esteja em crescimento: tanto a Louis Vuitton como a Hermès terão, alegadamente, adquirido quintas de crocodilos de água salgada em Queensland e no Northern Territory, na Austrália, para proteger a oferta de peles, segundo a Bloomberg. Gildo Zegna, diretor-executivo da casa de moda, afirma, contudo, que os objetivos da empresa passam por benefícios a longo prazo. A pequena quinta de Charles Coventry é apenas uma das 55 mil propriedades que produzem lã na Austrália e, atualmente, fornece apenas uma pequena parte das 550 toneladas de lã que a Zegna precisa todos os anos. A esperança é que a quinta se torne numa fornecedora primária para os seus fatos, que são vendidos em mais de 500 lojas em todo o mundo. «Dá-nos legitimidade», acredita Zegna, citado pela Bloomberg. «Esta nova raça de ovelhas é um bom investimento para nós», sublinha o diretor-executivo. O retorno inicial tem sido promissor. O novo fato Trofeo, com denim de lã, é feito a partir de merino superfina – uma mistura recolhida na quinta e proveniente de outros fornecedores australianos – que mantém todas as propriedades de suavidade e calor da lã mas com o aspeto do denim tingido com indigo.

3Kenzo junta homem e mulher

A Kenzo é a mais recente marca a fazer mudanças na sua estratégia de desfiles, com a apresentação das suas coleções principais na passerelle em janeiro e junho. A marca, detida pelo grupo LVMH, revelou que vai iniciar este calendário com a mostra das coleções de homem e senhora em conjunto para o outono-inverno 2017/2018 num desfile que irá acontecer a 22 de janeiro na Semana de Moda de Paris. A Kenzo revelou que tomou a decisão depois de ter testado uma coleção conjunta na passerelle em junho, que foi «um grande sucesso». Como tal, vai «continuar esta ideia nas próximas estações, misturando novos colaboradores, locais e elementos culturais como está na tradição da marca». Contudo, vai manter a sua presença na Semana de Pronto-a-Vestir de Paris, em março e setembro, com «projetos surpreendentes e inesperados, coleções e eventos batizados Kenzo Memento». Humberto Leon e Carol Lim, que estão a celebrar cinco anos como diretores criativos da marca, tiveram um ano agitado em 2016, com o lançamento do seu primeiro perfume (Kenzo World), a colaboração com a H&M, que foi a primeira de uma marca do LVMH, e o lançamento de dois filmes com o argumentista e os realizadores Sean Baker e Carrie Brownstein.

4Ikea soma vendas e lucros

A sueca Ikea ainda é «relativamente pequena» na maior parte dos seus mercados e «muitas pessoas em todo o mundo ainda não têm acesso» aos seus produtos, afirma o CEO Peter Agnefjall. Ainda assim, a maior retalhista do mundo de mobiliário registou uma subida de 20% no lucro anual, para 4,2 mil milhões de euros, com as vendas a aumentarem para 35 mil milhões de euros, em comparação com 32,66 mil milhões de euros no ano passado. As vendas subiram em 27 dos seus 28 mercados, entre os quais se destacam, por ordem de grandeza, a Alemanha, os EUA, a França, o Reino Unido e a Suécia. Mas o maior crescimento foi registado na China, Canadá, Polónia e Austrália. A Ikea indicou ter investido na sua expansão, incluindo com a abertura de novas lojas na Índia e no alargamento da sua presença online além dos atuais 14 mercados. «À medida que olhamos para o futuro, vamos ser capazes de nos focar ainda mais nos nossos clientes e acelerar o processo de lançamento do multicanal em todos os nossos mercados», indica Agnefjall. «Com mais de 783 milhões de visitas às nossas lojas, 2,1 mil milhões de visitas ao Ikea.com e 425 milhões de visitas aos nossos centros comerciais, estamos bem posicionados e ainda estamos no início da nossa viagem», resume o CEO.

5Selena Gomez desenha para a Coach

Selena Gomez vai ser a nova cara da marca Coach, com as notícias a darem conta de um acordo de 10 milhões de dólares (cerca de 9,6 milhões de euros) para promover a marca de acessórios de gama alta e desenhar a sua própria linha. A estrela de 24 anos, que está de volta às luzes da ribalta após o tratamento para a doença de lúpus e depressão, encetou o regresso nos American Music Awards no mês passado, onde venceu o prémio Artista Pop/Rock Feminina Favorita. Este ano, a cantora e atriz fez ainda uma campanha para a Louis Vuitton e foi capa da revista Vogue. As notícias que de Selena Gomez vai também desenhar a sua própria coleção parecem cimentar as suas ligações com a marca Coach e refletir uma tendência para relacionamentos mais profundos entre as marcas e os seus embaixadores, como já aconteceu com a Tommy Hilfiger e Gigi Hadid. Ao contratar Gomez, a Coach vai chegar aos seus 104 milhões de seguidores no Instagram, que a tornam na celebridade mais seguida na rede social favorita da indústria da moda.

6Millennials impulsionam vendas online

A Índia deverá tornar-se o mercado de comércio eletrónico em mais rápido crescimento do mundo, com os millennials do país a liderarem este crescimento. Os millennials, que representam 28% da população da Índia, estão a ganhar mais e a adotar rapidamente novas tecnologias para comprar online, afirmou o diretor-executivo da Morgan Stanley India, Parag Gupta, à agência noticiosa Press Trust of India. O rendimento médio per capita deste grupo de consumidores foi de 2.400 dólares (cerca de 2.300 euros) em 2015, em comparação com 2.150 dólares para os que têm mais de 45 anos. «Acreditamos que isto pode impulsionar a penetração da Internet e a adoção e envolvimento no online na Índia», apontou Gupta, já que a abertura dos jovens à tecnologia pode melhorar a penetração digital nas outras gerações. O consumo online deverá crescer a um ritmo anual de 60% de 2014 a 2020, enquanto a população geral na Internet também crescerá 45% em termos anuais no mesmo período. «Esperamos ver 790 milhões de utilizadores da Internet até 2020», acrescentou Parag Gupta, em grande parte devido a um maior número de utilizadores de smartphones, uma vez que são enviados para a Índia 100 milhões de telemóveis inteligentes todos os anos. A Índia contava cerca de 400 milhões de utilizadores de Internet no final de 2015, representando uma taxa de penetração de 33%.