Início Breves

Breves

  1. Modatex assina protocolo no Fundão
  2. Alibaba revoluciona retalho
  3. Novo não-tecido com toque especial
  4. Amazon expande no Reino Unido
  5. “Made in NY” ganha novo impulso
  6. Adidas e Burberry de ouro

1Modatex assina protocolo no Fundão

O Modatex assina hoje um protocolo de colaboração com a Câmara Municipal do Fundão que tem como objetivo a concretização de projetos formativos na área da indústria têxtil e vestuário para responder às necessidades de qualificação dos habitantes deste concelho. O protocolo será assinado hoje, às 10h30, nas instalações da empresa Gardutêxtil, que se instalou recentemente no concelho. Esta empresa irá igualmente assinar um acordo com o Modatex para a realização de um percurso formativo de Costura Industrial – que inclui formação prática em contexto de trabalho – com a duração de 970 horas. «Numa região onde o sector têxtil tem forte implementação e grande peso económico, a realização de ações de formação e de certificação de competências (RVCC) assume assim uma grande importância para a população e para as empresas locais», sublinha o Modatex em comunicado.

2Alibaba revoluciona retalho

O gigante chinês do retalho Alibaba está a colaborar com o retalhista Bailian Group numa parceria estratégica pensada para aumentar a eficiência e “virar do avesso” o modelo tradicional da cadeia de produção e aprovisionamento. A parceria é a mais recente ação do que o Alibaba chama de «novo retalho»: um mundo onde a distinção entre comércio online e offline se torna obsoleta, com os utilizadores da Internet a migrarem dos computadores para os telemóveis. Sob o novo modelo, os retalhistas tradicionais físicos vão receber as ferramentas para transformar a forma como se ligam aos consumidores e melhorar eficiências no seu inventário e rede de distribuição, assim como os sistemas de pagamento e logística para dar uma experiência fácil ao consumidor e reduzir os custos. «O novo retalho reimagina a relação entre consumidores, produtos e espaço de retalho ao aproveitar a internet móvel e a recolha de dados», explica Daniel Zhang, CEO do Alibaba Group. «Vai mudar a cadeia tradicional de produção e aprovisionamento, a ligação entre vendedor e consumidor, assim como a experiência de consumo no geral», acrescenta. «A nossa parceria com o Bailian é um marco importante na evolução do retalho chinês, onde a distinção entre comércio físico e virtual se está a tornar obsoleto», aponta. «Sediada em Xangai, a Bailian é um dos maiores conglomerados chineses de retalho, com mais de 4.700 lojas em 25 províncias, 20 cidades e regiões autónomas na China.

3Novo não-tecido com toque especial

A produtora turca de não-tecidos Mogul desenvolveu um novo tecido para aplicações que incluem vestuário de performance, jeans, vestuário de desporto, uniformes e vestuário de trabalho. O não-tecido Madaline, afirma a empresa, é suave, não gera borboto e pode ser tratado como um têxtil convencional, com um toque e caimento semelhante e a capacidade de poder ser cosido sem desgaste. O novo produto com microfilamentos é feito com tecnologia bicomponente, que combina poliéster e poliamida num processo patenteado que usa jatos de água sob alta pressão para simultaneamente fibrilar e entrelaçar e consolidar os microfilamentos em tecido. A empresa afirma que a estrutura densa do Madaline fornece boas propriedades de barreira, sendo contudo muito absorvente, fácil de secar, respirável, com boa gestão de humidade e lavável. Oferece ainda isolamento térmico, resistência ao vento e proteção UV. «As propriedades do Madaline tornam-no único para processos como acabamento, tingimento, estamparia, corte e confeção como qualquer outro têxtil tradicional», garante a empresa.

4Amazon expande no Reino Unido

A gigante do retalho online Amazon anunciou planos para abrir um novo gabinete no Reino Unido e criar mais de 5.000 postos de trabalho a tempo inteiro, numa altura em que procura aumentar o seu negócio no país. A força de trabalho da Amazon deverá, assim, ascender a 24 mil pessoas, com novas oportunidades de emprego em áreas como desenvolvimento de software, engenharia e cargos técnicos. «Estamos a criar milhares de novos empregos no Reino Unido, incluindo centenas de oportunidades de aprendizagem à medida que continuamos a inovar para os nossos consumidores e a dar-lhes entregas ainda mais rápidas, maior seleção de melhor valor», afirma Doug Gurr, country manager da Amazon UK. Como parte da ação, a Amazon está a lançar um novo programa de estágios, oferecendo oportunidades na engenharia, logística e armazenamento em centros espalhados pelo país. Adicionalmente, irá haver mais 1.500 empregos nos centros de desenvolvimento da Amazon em Cambridge, Edimburgo e Londres, onde são trabalhadas inovações para os consumidores, como o Alexa, Prime Video e computação na nuvem. A Amazon irá ainda abrir uma nova sede em Principal Place, em Shoreditch, no leste de Londres.

5“Made in NY” ganha novo impulso

Foi lançado um novo projeto em Nova Iorque, com um investimento de 136 milhões de dólares, para criar um centro de produção de vestuário “Made in NY”. O financiamento será usado para converter um armazém na área de Brooklyn em 18,5 mil metros quadrados de espaço produtivo. O campus, que terá ainda espaço disponível para produtores de televisão e cinema, deverá abrir em 2020 e vai criar 1.500 novos postos de trabalho e irá empregar 800 pessoas na construção. A indústria de moda de Nova Iorque já representa 182 mil postos de trabalho – 5% da força de trabalho da cidade – e 30% do emprego na indústria, com salários médios de 57 mil dólares. Mas o sector tem enfrentado décadas de declínio provocado pela pressão da situação económica, que levou as empresas a fazer as produções no estrangeiro, enquanto as empresas que ficaram têm dificuldade em encontrar espaços acessíveis. O centro “Made in NY” irá permitir a instalação de 25 a 35 empresas que trabalham em áreas como modelação, corte e costura, assim como produção de amostras, com serviços partilhados de logística, fotografia e apoio formativo. O investimento vai também ajudar os designers de moda a aumentar a sua produção local e o Fashion Institute of Technology da Universidade Estatal de Nova Iorque vai lançar dois cursos no Brooklyn Army Terminal, que fica próximo, que vão integrar o projeto. «Vamos continuar a investir na marca “Made in NY” e nos nova-iorquinos», garantiu Bill de Blasio, Presidente da Câmara de Nova Iorque.

6Adidas e Burberry de ouro

A Adidas e a Burberry foram consideradas líderes pelas suas práticas de sustentabilidade, com a Hugo Boss, o Kering e a Gildan Activewear a serem igualmente reconhecidas. A Adidas e a Burberry receberam a distinção “Gold Class” como parte da avaliação de sustentabilidade corporativa realizada pelo grupo de investimento RobecoSAM. Todos os anos, 3.400 empresas elegíveis para a inclusão num dos Dow Jones Sustainability Indices são convidadas a participar nesta avaliação de sustentabilidade corporativa. Este ano fizeram parte 867 empresas de 42 países. A Adidas foi reconhecida como “motor da indústria” e recebeu o Gold Class, assim como a Burberry. O grupo francês Kering recebeu um “Silver Class” pelos seus esforços de sustentabilidade, enquanto a Gildan Activewear e a Hugo Boss receberam um “Bronze Class”. A gigante do sourcing Li & Fung e a Asics também participaram e, embora não tenham recebido uma distinção, fazem igualmente parte do anuário. «Os desafios da sustentabilidade estão a mudar o cenário concorrencial das empresas e as que tomam a liderança a aproveitar as oportunidades e a gerir os riscos associados com estes desafios estão mais bem posicionadas para terem uma performance superior à dos seus pares», afirma a RobecoSAM no anuário.