Início Breves

Breves

  1. Hudson’s Bay tem 400 milhões para a Europa
  2. Torrestir em Munique
  3. Armani desfila em Londres
  4. Jab vende Bally e Belstaff
  5. Homens de cor de rosa
  6. Consumidores querem casas inteligentes

1Hudson’s Bay tem 400 milhões para a Europa

A gigante canadiana de grandes armazéns planeia investir cerca de 400 milhões de euros na Europa este ano, com a intenção de aumentar as vendas em 20% nos próximos dois anos. Os lucros no Velho Continente deverão crescer ainda mais rápido do que as vendas, segundo o presidente-executivo do grupo, Jerry Storch. Recentemente, Storch considerou os rumores de que a Hudson’s Bay estaria a considerar a venda da cadeia de grandes armazéns alemã Kaufhof, que adquiriu em 2015, de «absurdos». A Hudson’s Bay, proprietária da Saks Fifth Avenue e da Lord & Taylor, nomeou o diretor-executivo da Toys ‘R Us, Wolfgang Link, presidente dos negócios do grupo na Europa, adiantando que pretendia uma «reinvenção» das suas operações comerciais, enquanto continua à procura de novas aquisições.

2Torrestir em Munique

O Grupo Torrestir, que oferece serviços de transporte de mercadorias, distribuição e logística, estará presente, a partir de amanhã e até 12 de maio, na feira internacional Transport Logistic, que se realiza em Munique, na Alemanha. Na quarta participação consecutiva no certame, a empresa portuguesa vai apresentar «a sua oferta global e integrada de soluções para o armazenamento e movimentação de mercadoria que visa apoiar e reforçar a competitividade dos seus clientes», revela, em comunicado. «Apesar de continuarmos a consolidar a nossa presença no mercado nacional, o mercado internacional já representa 45% da nossa atividade, devido à sólida política de internacionalização definida e ao esforço que temos vindo a fazer para promover a marca a nível global daí participarmos neste tipo de certame que atrai visitantes de todo o mundo», afirma Fernando Manuel Torres, business manager do Grupo Torrestir. «Trata-se de uma plataforma de negócios importante que permite à Torrestir divulgar as suas soluções integradas para a importação e a exportação de mercadorias de forma eficiente e profissional, cuja fiabilidade e eficiência marcam mais de 50 anos de atividade», acrescenta. O Grupo Torrestir conta com 1.700 colaboradores, 12 plataformas de Cross Docking, dois armazéns de logística integrada e 1.100 veículos próprios, detendo filiais em Espanha, Alemanha, Moçambique e Angola e uma rede de agentes em diversos países europeus.

3Armani desfila em Londres

Giorgio Armani vai apresentar a coleção primavera-verão 2018 da Emporio Armani em Londres, no mês de setembro, deixando o calendário oficial de desfiles de Milão. As coleções da Giorgio Armani e da Emporio Armani eram tradicionalmente mostradas em Milão (em junho a de homem e em setembro a de mulher). «Londres, dinâmica, energética e cosmopolita, é o cenário perfeito para a coleção Emporio Armani», justificou o designer italiano de 82 anos em comunicado. O desfile ocorrerá a 17 de setembro, no dia em que se desvenda a renovada loja da Emporio Armani em Bond Street, durante a semana de moda de Londres. Armani tomou uma decisão semelhante aquando do desfile de setembro do ano passado, que foi transferido para Paris para coincidir com a renovação da loja da capital francesa. Em fevereiro, o grupo anunciou uma reorganização do portfólio, fundindo as linhas Armani Collezioni e Armani Jeans na marca Emporio Armani.

4Jab vende Bally e Belstaff

Depois de ter colocado a Jimmy Choo à venda, o fundo de investimento europeu Jab Holding prepara-se para abandonar o sector do luxo, com planos de colocar a Bally e a Belstaff à venda. O fundo com sede no Luxemburgo anunciou uma revisão das suas opções relacionadas com os investimentos na Bally, incluindo a venda da empresa. O processo de revisão da Bally começará brevemente e deverá estar concluído no segundo semestre de 2017. A Jab adquiriu a retalhista suíça de calçado e acessórios em 2008 à americana TPG. A empresa prevê também explorar a venda da marca de moda de luxo Belstaff, segundo um porta-voz. O fundo de investimento europeu considera agora as suas participações no sector do luxo não estratégicas, face aos investimentos significativos em restauração nos últimos anos. A Jab Holding é também a maior acionista da gigante de beleza Coty. «A Jab tomou a decisão estratégica de se concentrar nos seus negócios bem-sucedidos de produtos de consumo, incluindo a Coty», confirmou, em comunicado, a empresa controlada por membros da família alemã Reimann.

5Homens de cor de rosa

Impulsionado pelas redes sociais e por uma predisposição crescente por parte dos consumidores jovens a arriscar no guarda-roupa, a cor rosa tem salpicado o menswear lenta mas seguramente. Em março, esta tonalidade tinha um peso de 2,9% dentro das novas peças de roupa masculina no Reino Unido. Cerca de 32% desses novos artigos estavam à venda na Asos – um aumento comparável significativo de 116%, enquanto a River Island aumentou a sua oferta da cor no menswear em 157%. O tom começou por dominar as camisas masculinas, mas atualmente também as t-shirts e até a alfaiataria se deixaram pintar de rosa. A introdução deste tom permitiu ainda que outros detalhes tradicionalmente femininos, como o veludo, os bordados e os florais entrassem no menswear. O cor de rosa millennial, um dos tons dominantes das últimas estações, tornou-se exemplificativo da força da estética unissexo no guarda-roupa de gerações mais jovens. De acordo com o portal de tendências WGSN, a presença do cor de rosa vai estender-se até ao outono-inverno 2017/2018, mas será escurecido com a aposta em tons como o cor de vinho e o rosa velho.

6Consumidores querem casas inteligentes

Ter um assistente digital em casa está a crescer em popularidade nos EUA, com uma pesquisa recente da Mintel a mostrar que 31% dos consumidores gostariam de ter um. A pesquisa destaca ainda a importância da tecnologia para a comunicação e até mesmo para conhecer pessoas novas. «Os próximos 10 anos serão marcados por uma transição de interfaces baseadas em ecrãs para interfaces baseadas em voz, providenciadas por assistentes digitais como a Alexa do Amazon Echo, o assistente do Google Home, o Cortana da Microsoft, o Bixby da Samsung ou a Siri da Apple», afirma Billy Hulkower, analista de tecnologia e media da Mintel. O analista prevê que, à medida que os consumidores vão ficando mais à vontade com assistentes digitais em smartphones e computadores, o interesse em controlar as suas casas via comando de voz tenderá a crescer. Mas quais são os produtos da Internet das Coisas (Internet of Things) que as pessoas estão mais interessadas em ter e controlar por voz? O produto tecnológico que os americanos estão mais interessados em ter ou já têm é um termostato inteligente (37%), que destrona os computadores portáteis/tablets (36%), dispositivos de realidade virtual (30%), impressoras 3D (28%) e fones inteligentes 23%). Muitos dos produtos inteligentes para a casa que os americanos querem estão intimamente ligados à segurança doméstica, como as câmaras de segurança (35%) e os sensores de portas/janelas (33%). Cerca de 24% dos adultos americanos revelam interesse em ter circuitos de videovigilância em casa. Mais da metade (58%) dos pais gostaria de verificar a segurança dos filhos quando estes ficam sozinhos em casa e quase dois em cada cinco americanos (39%) ficam preocupados quando deixam o seu animal de estimação sozinho. A ecologia é também um importante motor para o investimento em casas inteligentes e, ao contrário, das suposições de que esta é uma obsessão de camadas mais jovens, os consumidores mais velhos também mostram preocupações com o meio ambiente. Cerca de 33% dos consumidores acreditam que quase sempre vale a pena o custo extra para comprar produtos mais eficientes em termos energéticos, com o número a subir para os 52% entre aqueles com 75 ou mais anos. A pesquisa destaca também a forma como os americanos se comunicam, sendo que o email ainda é a forma mais dominante de comunicação online (98% em 2017 versus 97% em 2015), mas a partilha de fotos e vídeos (72%), mensagens instantâneas (68%) e áudio (54%) está a crescer. Cerca de 18% dos adultos norte-americanos já usaram um serviço de encontros online, com o dobro dos millennials (32%) a afirmar que namora online.