Início Breves

Breves

  1. Louis Vuitton funde tradição e modernidade
  2. Retalho perde tração na China
  3. Macy’s recruta Anna Sui
  4. A marca de Alexa Chung
  5. Nordstrom e Goop abrem pop-ups
  6. A história da cor em livro

1Louis Vuitton funde tradição e modernidade

A marca francesa apresentou a 14 de maio a coleção cruise 2018, escolhendo como cenário o Museu Miho, nas montanhas que cercam Quioto, Japão. A escolha do local não foi coincidência, simbolizando a fusão entre moda, paisagens urbanas e natureza, inspirações-chave da nova coleção. Depois da apresentação parisiense da Chanel, do desfile inédito da Prada em Milão e do evento da Dior em Los Angeles, a Louis Vuitton é a mais recente casa de moda a revelar a coleção cruise 2018. «Visitei o Museu Miho há alguns anos e fiquei fascinado pelo conceito de IM Pei [arquiteto da obra] da harmonia entre arquitetura e natureza. O Japão é um país que conheço bem. Foi um dos primeiros lugares para os quais viajei quando estava à procura de inspiração, há 20 anos, e tenho sido um visitante regular desde então. Esta coleção é o culminar daquilo que o Japão me tem dado», afirmou Nicolas Ghesquière, diretor criativo da Louis Vuitton, em comunicado. Na coleção, o designer fundiu o urbano e o orgânico, a tradição e a modernidade, o futurismo e a poesia. A coleção canalizou também inspirações da cultura nipónica, como os samurais, trajes tradicionais e artes marciais. As peças destacadas incluem vestidos curtos cobertos de lantejoulas, bem como blusas entrelaçadas em jersey e couro, vestidos de noite e bolsas inspiradas nas máscaras Kabuki. A coleção apresenta ainda duas colaborações notáveis. O designer Kansaï Yamamoto desenhou ícones, símbolos e personagens para algumas peças e acessórios da coleção cruise 2018, e o designer Kristopher Haigh desenvolveu chapéus para a coleção.

2Retalho perde tração na China

O crescimento das vendas comparáveis do retalho chinês desacelerou para 10,7% em abril, de acordo com um relatório do instituto nacional de estatística do país. No entanto, as vendas do retalho online mantiveram o forte crescimento. A taxa de crescimento de abril caiu em relação ao aumento de 10,9% observado em março, arrastada pela fraca dinâmica do sector imobiliário e das vendas de automóveis. A taxa de crescimento mensal subiu 0,79%, em comparação com um aumento de 0,76% em março. Durante os primeiros quatro meses de 2017, as vendas do retalho também subiram 10,2% em relação ao ano anterior. A contenção do governo no mercado imobiliário contribuiu para a desaceleração do crescimento das vendas em abril, com a desaceleração da procura de materiais de construção e decoração. No entanto, as vendas de mobiliário subiram para 13,9% em abril, de 13,8% em março, caindo no entanto em relação aos 17,1% de abril de 2016. As vendas de automóveis também desaceleraram para 6,8%, de 8,6% em março.

3Macy’s recruta Anna Sui

A mais recente adenda ao frenesim das coleções-cápsula fruto de parcerias entre designers e retalhistas do mercado de massas é Anna Sui, designer que se junta agora aos grandes armazéns Macy’s. Sui vem assim integrar a longa lista de talentos do design contemporâneo que já desenvolveram linhas de edição limitada para a Macy’s, incluindo Cynthia Rowley, Karl Lagerfeld, Yigal Azrouël e Giambattista Valli. A colaboração de Sui será com a INC International Concepts, uma das marcas próprias da retalhista. O presidente-executivo da Macy’s, Jeff Gennette, descreveu tais colaborações como parte integrante da estratégia de branding – uma área fulcral para a sobrevivência dos grandes armazéns, que têm divulgado, trimestre após trimestre, resultados dececionantes. «Vamos estar a crescer em exclusividade», afirmou Gennette. A coleção “Anna Sui x INC” vai estar disponível em 25 lojas Macy’s e em Macys.com já no início de setembro. Enquanto isso, os apreciadores do trabalho de Sui poderão visitar a exposição “The World of Anna Sui”, no Fashion & Textile Museum, Londres, que abre portas a 26 de maio e percorre os mais de 20 anos do trabalho da designer americana.

4A marca de Alexa Chung

Atualmente, os destinos da moda são em grande parte ditados pelos influenciadores digitais – que começaram nos blogues e depois acabaram por transitar para redes sociais como o Instagram. Alexa Chung foi das primeiras influenciadoras reconhecidas pelas marcas e é considerada a responsável por colocar uma geração de millennials em jardineiras, casacos da Barbour e bailarinas. Agora, a marca própria de vestuário de Chung, batizada simplesmente Alexachung, está prestes a chegar. «Depois de várias temporadas de colaborações com algumas das minhas marcas favoritas, decidi que esta era a altura ideal para me lançar sozinha, criando a minha linha de roupa. Tenho a sorte de ter conseguido encontrar uma equipa maravilhosa, ligada aos vários departamentos da indústria da moda, que me ajudou a transformar a minha visão em algo físico, permitindo que este sonho se tornasse realidade», revelou Alexa Chung. No final do mês, a coleção vai estar à venda em locais selecionados, como Selfridges, Galerias Lafayette, Matchesfashion.com, MyTheresa e SSENSE, assim como na plataforma de comércio eletrónico da marca. O leque de oferta da Alexachung vai abranger propostas para o dia-a-dia – que incluem peças em denim – e looks mais sofisticados para a noite, complementados por calçado, acessórios e “produtos especiais”. Os pormenores estão a ser desvendados na conta de Instagram já criada @alexachungstagram e através de um vídeo já divulgado.

5Nordstrom e Goop abrem pop-ups

A Nordstrom firmou parceria com a marca de lifestyle Goop da atriz e empreendedora Gwyneth Paltrow para introduzir produtos de bem-estar nas lojas pop-up “Pop-in @ Nordstrom”. A aliança é a primeira da Goop com um retalhista e a primeira vez que a marca tem uma presença de retalho em vários mercados em simultâneo, de acordo com um comunicado de imprensa. Nas pop-ups, os produtos vão mudar semanalmente durante um período de seis semanas e incluir vestuário, acessórios, beleza e casa. Esta será também a primeira vez que a iniciativa “Pop-in @ Nordstrom” apresenta um conceito focado no bem-estar. As pop-ups da Goop, que aparecerão em oito lojas, assim como online, são parte de uma expansão do conceito loja-dentro-de-loja da Nordstrom, liderado por Olivia Kim, vice-presidente de projetos criativos da retalhista. Em janeiro, a Nordstrom anunciou que iria introduzir espaços de beleza em 46 locais, bem como um conceito pop-up focado em moda e marcas de beleza coreanas. «Queremos fazer uma declaração com as nossas lojas nesses segmentos e identificá-las como destinos de moda, estilo, arte e cultura», afirmou Kim no comunicado de imprensa que anunciava a expansão.

6A história da cor em livro

Sediada em Londres, a jornalista Kassia St Clair, escreveu “Secret Lives of Colour”, livro que explora a história da cor e que tem conquistado a atenção dos portais da especialidade desde a sua publicação em outubro último. Naquele que é o seu primeiro livro, Kassia St Clair conta as histórias de 75 cores incomuns, do âmbar ao absinto. A escritora revisita a história para explicar as cores que dominam a atualidade, como o vermelho, constante nas propostas de designers e marcas para o outono-inverno 2017/2018. O vermelho foi a primeira cor nomeada durante o desenvolvimento da língua e acredita-se que isso se tenha devido à sua conexão com a vida, morte e sangue. «Algumas cores que pesquisei abrangem 100 ou mais anos», explica Kassia St Clair, em declarações ao WGSN. «Algumas cores têm uma história real, significado e finalidade. É interessante ver como estas se desenvolveram ao longo dos anos. Algumas cores ainda existem hoje, porém muitas foram-se perdendo», acrescenta. O livro de 320 páginas, em inglês, pode ser encontrado na livraria digital Wook, por 24,91 euros.