Início Breves

Breves

  1. Bouchra Jarrar de saída da Lanvin
  2. Xennials são a nova geração de consumo
  3. Christopher Bailey já não é CEO da Burberry
  4. Uniqlo cresce em casa
  5. Stefano Pilati regressa a solo?
  6. Moda feminina passa verão no campo

1Bouchra Jarrar de saída da Lanvin

Os desfiles de primavera-verão 2018 estão ainda a meses de distância, mas o jogo de cadeiras do luxo pode estar prestes a recomeçar. O WWD adiantou que a designer Bouchra Jarrar está de saída da Lanvin, depois de apenas 15 meses ao leme da casa. Jarrar deixou a marca própria para ingressar nos quadros da Lanvin em março de 2016, mas, as duas coleções que desenvolveu para a marca não foram particularmente bem recebidas comercialmente. Em junho, as notícias davam conta de que as vendas da Lanvin estavam em queda livre, uma quebra de 23% só no ano passado. A casa de moda francesa tem sofrido desde que cortou laços com o ex-diretor criativo Alber Elbaz, em 2015. Como consequência, o Business of Fashion revelava que a empresa tinha planos para efetuar uma rodada de demissões e encerrar lojas não lucrativas. Até ao momento, a Lanvin não comentou as notícias.

2Xennials são a nova geração de consumo

Um professor australiano identificou recentemente uma nova geração de consumidores, os xennials. Este novo grupo é constituído por indivíduos que nasceram entre 1977 e 1983 e que, até agora, não se identificavam nem com os millennials, nem com a geração X. Não obstante, já não precisam, porque conseguiram uma designação própria: os xennials. Estes membros são uma mistura entre os millennials pessimistas e influenciados pela subcultura grunge e os otimistas e nativos tecnológicos da geração X, afirmou Dan Woodman, professor de sociologia na universidade de Melbourne. «Esta geração micro ou intermédia… tem uma experiência particular em torno da tecnologia, atingiu o boom da tecnologia das redes sociais e da tecnologia digital na casa dos 20 anos», explicou ao The Huffington Post. «Foi uma experiência particularmente única. Eles tiveram uma infância, juventude e adolescência sem terem de se preocupar com publicações nas redes sociais ou com smartphones», acrescentou. Isso significa que a expressão “híbrido” descreve esse grupo, uma vez que os seus membros combinam características de diferentes gerações e consomem os media, por exemplo, de uma forma obviamente híbrida, sublinhou Woodman.

3Christopher Bailey já não é CEO da Burberry

Christopher Bailey caminha quase há 15 anos pelos corredores da Burberry, estando em grande parte focado em transformar a estética e trazer a marca para a era tecnológica. Em 2014, o designer passou a acumular também o papel de CEO da empresa britânica. À data, o portal Bloomberg entrevistou Bailey para discutir os seus planos para a Burberru. «Devemos desafiar-nos e sair da nossa zona de conforto», afirmou. No entanto, para os analistas, o designer talvez tenha ficado demasiado concentrado na sua área de especialização, que é o design, e desatento aos negócios. Nos últimos anos, a saúde financeira da Burberry deteriorou-se – a marca teve três anos consecutivos de queda nas vendas. Por isso, o lado comercial da Burberry está agora a passar para as mãos de Marco Gobbetti, que anteriormente estava no papel de CEO da Céline, propriedade do conglomerado de luxo LVMH. Resta saber se Gobbetti será capaz de replicar o sucesso de Angela Ahrendts, CEO da Burberry antes de partir para a Apple, em 2014.

4Uniqlo cresce em casa

A gigante do retalho de casualwear Uniqlo teve um junho forte no seu mercado doméstico. As vendas nas 730 lojas da Uniqlo Japan cresceram 4,1%, enquanto as vendas nas lojas geridas diretamente, excluindo as vendas online, subiram 2,7%. A marca estrela do grupo Fast Retailing viu as vendas totais, incluindo online, aumentarem 3,8%. A Uniqlo atribuiu a boa matemática à procura dos consumidores pelas gamas apresentadas nas últimas campanhas publicitárias, incluindo soutiens soft ou sem aros e calças e shorts easywear. Em maio, as vendas comparáveis da Uniqlo subiram 2,4%, enquanto as receitas totais no primeiro semestre cresceram 0,3% no mercado interno.

5Stefano Pilati regressa a solo?

O designer Stefano Pilati pode ter deixado a direção criativa da Ermenegildo Zegna há mais de um ano, mas não desapareceu dos radares da moda. Recentemente, Pilati deixou entender que estaria de regresso ao design – publicando imagens de uma nova coleção na sua conta oficial da rede social Instagram. No total, foram divulgados 16 looks, todos em preto e sem género. Intitulada “Random Identities”, a “coleção” bebe aparentemente inspiração nos amigos do designer em Berlim, onde atualmente está sediado. Mais tarde, Stefano Pilati publicou pequenos fragmentos de um filme capturado pela lente do subversivo Matt Lambert, mais um indicativo de que pode estar para breve uma coleção a solo.

6Moda feminina passa verão no campo

Este verão, a menina do campo visita a cidade, com as propostas de estética bucólica a dominarem as coleções do luxo e do retalho com igual graciosidade. Os vestidos de cocktail perderam lugar de destaque nos dias longos e, agora, são os vestidos compridos fluidos, com bordados, padrões étnicos ou apontamentos românticos como flores e folhos que dominam o guarda-roupa feminino. As mangas em balão, os cordões e os pompons e, na paleta, os pasteis e os tons terrenos compõem as opções disponíveis. A febre pelos looks descomprometidos de um verão no campo começou com as coleções de marcas como a Valentino, mas já afetou as montras de retalhistas como a Topshop ou a H&M.