Início Breves

Breves

  1. A segunda vida da Fila
  2. Retalho grego em queda
  3. Maserati e Zegna em parceria
  4. As fitas de Beckham e Hart na H&M
  5. Versus de portas abertas nas capitais da moda
  6. Dias de desassossego para o consumo francês

 

1A segunda vida da Fila

A produtora de artigos desportivo Fila tomou uma iniciativa ousada, para reverter a queda das vendas e rejuvenescer a marca, cuja uma nova visão pretende duplicar as vendas e a satisfação do cliente até 2020. A empresa sediada em Seul – a Fila Korea adquiriu a sua empresa-mãe italiana em 2007 – adotou o conceito de «performance elegante», criando uma nova identidade e conceito de design, que será revelado no final de outubro. «Os nossos novos produtos serão adequados a desportos leves e casuais, como corrida, fitness e yoga, ao invés de desportos duros e extremos», explicou um porta-voz da empresa, acrescentando que será utilizada uma ampla gama de cores que pretende conferir maior elegância e sentido de moda às coleções. As vendas da Fila na Coreia do Sul caíram 6,2% nos últimos dois anos, fixando-se em 336, 5 milhões de dólares em 2014. Globalmente, a marca obteve o seu pior lucro trimestral em seis anos entre setembro a dezembro do ano passado, auferindo 12,3 milhões de dólares. A empresa anunciou recentemente a suspensão dos seus segmentos de calçado e vestuário outdoor, que representavam quase 6% das vendas, com 20,3 milhões de dólares, numa tentativa de concentrar os recursos no projeto de re-branding. A Fila enfrenta intensa concorrência no mercado de sportswear, num momento em que os gigantes internacionais continuam a consolidar posições de mercado, impulsionados pela popularidade crescente do segmento de athleisure. Outras iniciativas adotadas pela Fila incluem a nomeação do reconhecido empresário de moda Kim Jin-myun como CEO, em junho, e a colaboração com o popular ator coreano Kim Soo-hyun, tendo em vista a captação de clientes no mercado asiático.

2Retalho grego em queda

O volume de vendas a retalho na Grécia caiu 7,3% em julho, face ao mesmo mês do ano anterior, em resultado da diminuição assinalada no segmento de cosméticos e produtos farmacêuticos, vestuário, calçado e combustíveis, revelou o serviço de estatísticas grego ELSTAT. Os dados relativos ao produto interno bruto têm demonstrado resiliência nos gastos do consumidor grego, que subiram 1,1% no segundo trimestre, estimulando a expansão da economia em 0,9%. O volume de vendas aumentou durante cinco meses até outubro de 2014, em resultado de uma recuperação dos gastos dos consumidores, com a economia a mostrar sinais de retoma após uma recessão prolongada. Mas a incerteza política durante as negociações amargas com os credores do país no final do ano passado afetou a confiança do consumidor. O controlo de capital e o encerramento bancário de três semanas imposto no verão, como forma de evitar uma fuga massiva de depósitos, teve um efeito particularmente negativo sobre o consumo em julho. O desemprego e a desaceleração económica sentidos no país conduziram a um declínio das vendas a retalho de cerca de 40% no período decorrido entre 2009 e 2014, agravado por políticas de austeridade impostas sob os termos do resgate de 240 mil milhões de euros da União Europeia e FMI à Grécia.

3Maserati e Zegna em parceria

A casa de moda masculina Ermenegildo Zegna produziu uma coleção de acessórios para a marca de carros desportivos Maserati. Esta colaboração surge na sequência de um anúncio feito em abril, que revelava a criação de interiores influenciados pela casa Zegna para os modelos Maserati Ghibli e Maserati Quattroporte. Um casaco em estilo aviador, luvas de condução, uma mala e uma carteira em pele, um cachecol de seda e óculos de sol integram este coleção. O guarda-roupa, orientado para as necessidades dos automobilistas, foi apresentado no decorrer no certame Motor Show 2015 em Frankfurt, onde, dois anos antes, foi divulgada uma edição limitada do Maserati Quattroporte Ermenegildo Zegna.

4As fitas de Beckham e Hart na H&M

Chegou finalmente aos ecrãs o filme publicitário com David Beckham e o ator e comediante Kevin Hart para a H&M. «Modern Essentials Selecionados por David Beckham, com Kevin Hart» mostra o comediante a representar um ator que se prepara para assumir o papel de Beckham. Hart muda-se para a casa da estrela do futebol como parte da sua preparação para a audição, oferecendo uma perspetiva cómica do mundo do famoso futebolista britânico. «Kevin Hart é um dos tipos mais engraçados e inteligentes que já conheci», afirmou Beckham. «Adoro fazer o inesperado nas minhas campanhas da H&M. Espero que todos gostem tanto de ver, como eu gostei de fazer», acrescentou. O filme integra a campanha da marca relativa à coleção “Essentials Selected by David Beckham Featuring Kevin Hart”, lançada no início deste ano. O filme está a ser apresentado nos cinemas e na televisão desde 30 de setembro, a par de uma campanha impressa.

5Versus de portas abertas nas capitais da moda

A casa de moda italiana Versace anunciou a inauguração de três novas lojas Versus – a linha de inspiração rock-chique da Versace –, em Nova Iorque, Paris e Londres. A primeira loja Versus em Nova Iorque será inaugurada na região do SoHo e terá 200 metros quadrados. A casa de moda italiana gerida por Donatella Versace já inaugurou 158 metros quadrados de espaço comercial no distrito londrino de Shoreditch, onde foram colocadas à venda peças da sua coleção de primavera/verão 2016 logo após a apresentação na Semana da Moda de Londres. A marca planeia também a implementação de 160 metros quadrados de espaço comercial em Paris, no Boulevard Saint-Germain. As três lojas seguem um novo conceito desenvolvido por Donatella Versace em colaboração com o estúdio de arquitetura britânico Carmody Groarke. A Versus Versace possui lojas no Brasil, Espanha, China, Indonésia, Japão, Qatar, Arábia Saudita e Coreia do Sul.

6Dias de desassossego para o consumo francês

O consumo doméstico em França estagnou em agosto, após um aumento residual de 0,3% no mês anterior, representando um começo pouco otimista do terceiro trimestre fiscal, naquele que é um dos principais motores da economia deste país. Este resultado fica aquém das expectativas de crescimento de 0,2% adiantadas pelos analistas. Simultaneamente, previram que o consumo doméstico francês deverá aumentar no terceiro trimestre fiscal, depois da estagnação assinalada no período anterior, impulsionado pelo aumento da confiança do consumidor, que atingiu o valor mais elevado dos últimos oito anos em setembro. O instituto oficial de estatística francês revelou que os consumidores estão cada vez mais confiantes face à sua situação financeira, em parte devido ao alívio das preocupações com o desemprego. Porém, o consumo em julho e agosto mostrou-se pouco dinâmico, referiu. Um aumento significativo da despesa em equipamentos domésticos, vestuário e energia foi ofuscado pela fraca despesa assinalada em agosto. Os gastos com bens duráveis mantiveram-se inalterados nos meses de julho e agosto.