Início Breves

Breves

  1. Marques’Almeida e Farfetch distinguidas
  2. Berg Outdoor apresenta sapatilhas premiadas
  3. Prada falha no 1.º semestre
  4. A nuvem da Billabong
  5. Shoppings: mudança ou morte
  6. Guarda-roupa de transição

1Marques’Almeida e Farfetch distinguidas

O reconhecido portal de moda The Business of Fashion (BOF) seleciona, anualmente, as 500 individualidades mais influentes da indústria da moda, divulgando depois os seus nomes na famosa lista BOF 500. A seleção deste ano foi recentemente divulgada e há três nomes portugueses entre os eleitos. José Neves, fundador do portal de comércio eletrónico de luxo Farfetch, é um deles. O empresário tem presença na categoria Fashion 2.0 do ranking. Marta Marques e Paulo Almeida, a dupla de designers que decide os destinos da marca Marques’Almeida, figuraram na lista na categoria de designers. Os três nomes representam Portugal na conceituada lista do BOF e, antes deles, só Felipe Oliveira Baptista, diretor criativo da Lacoste, constou na seleção, em 2013.

2Berg Outdoor apresenta sapatilhas premiadas

Recorrendo a materiais naturais de origem portuguesa, como a cortiça e o Burel, a Berg Outdoor desenvolveu as sapatilhas Jindo Burel, já foram premiadas internacionalmente e que agora chegam às lojas. A parte superior das sapatilhas em cortiça e Burel, com atacadores de algodão, forro em pele e sola de borracha com 30% de componentes de cortiça tornam o modelo fabricado em Portugal 100% reciclável. As sapatilhas estão disponíveis para homem (dos tamanhos 39 ao 47) e mulher (dos tamanhos 36 ao 41), na loja online Berg Outdoor e nas lojas Sport Zone. O modelo foi reconhecido internacionalmente pelas suas características inovadoras na recente edição da ISPO Munich, o prestigiado salão internacional dedicado ao mundo desportivo que acontece todos os anos em Munique, na Alemanha. O júri internacional elogiou a «funcionalidade, estilo e propriedades ecológicas» do modelo Jindo Burel da Berg Outdoor. Os pares combinam ainda as propriedades de termorregulação, resistência à água, flexibilidade, durabilidade e conforto premium. Para assinalar o lançamento das novas sapatilhas, a marca decidiu lançar um novo passatempo online, com a oferta de um fim de semana na Serra da Estrela, para duas pessoas, com uma noite no hotel Casa das Penhas Douradas e uma visita guiada à Fábrica do Burel. Para participar é necessário preencher o formulário, colocar “Gosto” na página de Facebook da marca e partilhar a publicação em modo público com a frase “Quero explorar a Serra da Estrela com a #bergoutdoor”. O passatempo termina dia 18 de setembro.

3Prada falha no 1.º semestre

Depois dos seus lucros no primeiro semestre terem falhado as estimativas dos analistas, a Prada advertiu que o seu plano de recuperação pode demorar mais do que o esperado a ter resultados, uma vez que a marca italiana tem tido dificuldades em travar a queda nas vendas. O lucro líquido caiu 18%, para os 115,7 milhões de euros nos seis meses até julho, de acordo com um comunicado divulgado pela Prada. Os analistas previram 143 milhões de euros, de acordo com dados compilados pela Bloomberg. Já a receita caiu 5,7%. «O grupo está confiante de que o plano de recuperação é a melhor forma de regressar ao crescimento constante das receitas e das margens, embora ciente que os resultados podem demorar mais do que o esperado», afirmou a Prada. Neste primeiro semestre, a Prada foi mais duramente atingida do que a maioria das suas concorrentes devido a uma desaceleração da procura em toda a Ásia, onde garante metade da receita.

4A nuvem da Billabong

A retalhista especializada em artigos de surf Billabong International aliou-se à plataforma Aptos Singular Commerce para apoiar a integração dos seus canais físicos e digitais de retalho, numa altura em que procura responder às necessidades de omnicanal dos clientes, de acordo com um comunicado de imprensa da Aptos. A Billabong planeia implementar soluções de comércio baseadas na nuvem da Aptos. De forma geral, as aplicações e funções baseadas em nuvem podem ajudar os retalhistas a economizar dinheiro e mão-de-obra que, de outra forma, seriam gastos na manutenção de equipamentos, enquanto possibilitam que os vários elementos da organização acedam e visualizem dados operacionais. Portanto, não surpreende que os retalhistas em dificuldades – como é o caso da Billabong, que tem vindo a divulgar quebras nas receitas – procurem fazer este tipo de investimento. Porém, a Billabong não está apenas à procura de cortar custos. Quer, também (e precisa), apresentar-se aos clientes de forma transparente e singular, independentemente de se tratar de compras online, na loja ou no smartphone. Este anúncio aconteceu cerca de três meses depois de a Billabong indicar Jim Howell, ex-executivo da Nordstrom, que afirmou ter desempenhado um papel fundamental na estratégia omnicanal dos grandes armazéns, como seu novo CFO.

5Shoppings: mudança ou morte

O modelo de negócio tradicional dos centros comerciais nos EUA precisa de uma reestruturação e reposicionamento significativos – caso estas superfícies comerciais pretendam sobreviver no atual ambiente de retalho, de acordo com um relatório da consultora CBRE, analisado pelo The Wall Street Journal. A consultora imobiliária defende que os shoppings precisam de abandonar as lojas âncora e as pequenas cadeias de acessórios e vestuário – que ocupam uma média de 79% do espaço comercial – e abraçar investimentos que não enfrentem a concorrência do comércio eletrónico, como restaurantes, espaços beleza e bem-estar e lojas de mobiliário doméstico. Ainda assim, os contratos de arrendamento podem prolongar-se até 10 anos e, por vezes, exigem a aprovação das lojas para mudanças físicas importantes no próprio centro comercial. Quando entra num centro comercial, o consumidor atual, em particular o da geração milénio, está à procura de experiências que não consegue encontrar ou comprar em destinos online. Por isso, os shoppings, e até mesmo os supermercados com uma oferta alargada, estão a surgir com cada vez maior frequência.

6Guarda-roupa de transição

Face à incerteza dos dias, com as temperaturas a oscilarem 10 graus durante a semana, entre dias de sol e períodos de chuva, importa por esta altura ir adaptando os coordenados ao chamado estilo de transição. Este estilo consiste, de acordo com os entendidos, em fazer casamentos entre os looks de primavera-verão e os de outono-inverno. Minissaias usadas com collants – transparentes e com apontamentos como riscas e brilhantes ou os trendy collants de rede – e malhas leves são um dos looks vencedores dos últimos dias de verão/primeiros dias de outono. As calças leves e fluidas deixam por esta altura de se usar com sandálias e passam a ser combinadas com sapatos de salto alto. A camisola de gola alta (preta ou em cores nude) deve também começar a ser introduzida gradualmente nos coordenados, usada em camadas com os vestidos florais que fizeram as noites de verão. No calçado, as ankle boots – botas pelo tornozelo – são as melhores aliadas e, na última camada, vencem as gabardinas, considerando o seu carácter multiusos.