Início Breves

Breves

  1. Vans destrona Adidas
  2. Bombazina ganha segunda vida
  3. Amazon Fashion à conquista da Europa
  4. A era da personalização extrema
  5. Ikea e Apple unem esforços
  6. Laranja protege vestuário

1Vans destrona Adidas

As sapatilhas brancas imaculadas foram cunhadas o calçado de cobiça de 2016 e calçadas por celebridades como Michele Obama. Porém, em 2017, o famoso modelo Stan Smith da Adidas está completamente ultrapassado. Nos últimos meses, houve vários estilos candidatos a sucessores das Stan Smith – dos mais desportivos, robustos e coloridos aos mais minimalistas e clean –, mas só um tem sido capaz de dominar os coordenados das massas: o clássico e intemporal Vans Old Skool. Com uma lista de colaborações que inclui nomes como Marc Jacobs, Opening Ceremony, Kenzo, Nordstrom, Off-White, Alyx e, mais recentemente, Karl Lagerfeld, a marca desportiva até aqui praticamente circunscrita ao guarda-roupa de adolescentes, skaters e elementos de bandas de Rock & Roll, tem dominado as galerias de estilo de rua das principais capitais de moda, sendo fotografada nos pés de modelos, editoras e bloggers. O modelo clássico em preto, podendo surgir também em cano alto, é o favorito.

2Bombazina ganha segunda vida

Numa viagem ao passado e a um dos tecidos que já experimentou vários picos de popularidade, neste outono-inverno, a bombazina ganha uma segunda vida, sendo reinterpretada pelas marcas do luxo em peças de cores quentes como o vermelho e o laranja queimado e em tons românticos e pasteis. Na coleção da Prada, dedicada à estação fria, a bombazina cruzou a passerelle em look total – blazer e calças – e, na Marc Jacobs, os clássicos casacos de bombazina com lapelas de pelo desfilaram em cores terrenas e quentes. O material vintage foi ainda trabalhado nas propostas de marcas como a Mulberry e Nina Ricci. Entretanto, a tendência extravasou para o território do retalho e, na Zara, há saias abotoadas pelo joelho, enquanto na coleção da Mango podem ser encontradas calças boca-de-sino em cores como o rosa pastel.

3Amazon Fashion à conquista da Europa

A Amazon Fashion apresentou recentemente uma nova marca de vestuário de senhora, batizada Find, mas, por enquanto, a sua oferta está disponível apenas na Europa, de acordo com um comunicado de imprensa da empresa. A coleção outono-inverno da Find inclui mais peças de moda e tendência do que aquelas que geralmente são encontradas entre as ofertas de vestuário das marcas próprias da Amazon, incluindo vestidos florais, jeans de dois tons e botas-meia. Há também peças-chave do guarda-roupa feminino, no entanto, incluindo uma gabardina, t-shirts com slogans e uma grande variedade de denim. O lançamento da marca é acompanhado pela primeira grande campanha de publicidade da Amazon Fashion no Reino Unido, Alemanha, Itália, França e Espanha, de acordo com a empresa. Esta marca, que inclui aproximadamente 800 itens, juntamente com o primeiro grande esforço de publicidade de moda da Amazon, é o maior lançamento de uma marca de moda da retalhista online até ao momento, de acordo com a empresa digital L2.

4A era da personalização extrema

Hoje, os consumidores já não exigem apenas personalização aos retalhistas. De acordo com o Retail Dive, atualmente, os clientes esperam mais do que um envolvimento pessoal, exigem também compromissos no momento certo, no dispositivo certo, com a mensagem certa. Querem uma experiência verdadeira e integrada em canais cruzados. Esta forma de envolvimento de próximo nível está inserida numa era denomina “personalização extrema”. A personalização extrema requer envolvimento em termos de contexto, conteúdo e dados comportamentais. Aproveitando o avanço das plataformas de marketing capacitadas pela Inteligência Artificial (IA), a personalização extrema está a emergir como uma vantagem competitiva para as marcas de retalho modernas. Agora, com a IA, a personalização é possível tanto para o conteúdo como para o contexto. Ironicamente, “as máquinas” vão ajudar os profissionais de marketing modernos a personalizar e humanizar mensagens e compromissos para alcançar o público de forma mais efetiva. A boa notícia é que os retalhistas podem integrar imediatamente a aprendizagem de máquinas e as soluções de personalização de IA no seu pacote de automação de marketing existente. Isso proporcionará mais eficácia e melhores resultados, com impacto imediato. Todavia, não se trata apenas de gerar receitas. As marcas modernas fazem isso recorrendo às novas tecnologias (e criatividade) para envolver os clientes, melhorar a sua satisfação e ganhar a sua lealdade.

5Ikea e Apple unem esforços

A nova aplicação móvel da cadeia sueca Ikea recorre à tecnologia de Realidade Aumentada) para permitir que os seus clientes experimentem soluções de mobiliário e decoração virtualmente num determinado espaço, antes de se comprometerem com a compra. A app IKEA Place, a ser lançada a 19 de setembro, vai contar com 2.000 produtos, que serão apresentados em formato 3D e projetados à escala para que cada solução selecionada tenha o tamanho, o design e a funcionalidade adequados ao espaço escolhido pelo utilizador. A percentagem de eficiência de escala de redimensionamento dos artigos é de 98%. A app permite ainda visualizar a textura dos tecidos. A app foi desenvolvida com base na nova tecnologia ARKit da Apple e, para além de posicionar os produtos numa divisão, a aplicação permite que o utilizador carregue uma imagem/vídeo do espaço na aplicação e a partilhe com os seus amigos. A IKEA Place vai estar disponível a na App Store da Apple.

6Laranja protege vestuário

Depois do domínio do millennial pink, o tom de rosa que tomou de assalto as coleções de marcas de luxo e de retalhistas como a H&M com igual força, os previsores de tendências anunciaram já a cor que se segue nos guarda-roupas femininos: o safety orange, ou laranja de segurança. Calvin Klein, Chromat, Fenty by Puma, Sies Marjan e Tom Ford renderam-se muito recentemente ao tom vibrante, com o qual pintaram as coleções dedicadas à primavera-verão 2018, apresentadas na passerelle da semana de moda de Nova Iorque. O cor-de-laranja, que transporta as consumidoras para um
ambiente de vestuário de proteção e segurança, tem sido apresentado em peças de estética desportiva, mas ainda pode evoluir no decorrer das semanas de moda dedicadas à próxima estação.