Início Breves

Breves

  1. Natacha Ramsay-Levi estreia-se na Chloé
  2. Next vende plus size a crianças de 3 anos
  3. Chineses querem comprar na rede
  4. Tráfego cresce nas lojas Uniqlo
  5. Retalho norte-americano em baixa para 2017
  6. As gatas das botas

1Natacha Ramsay-Levi estreia-se na Chloé

A designer apresentou a primeira coleção para a casa francesa há dias, em Paris, durante a semana de pronto-a-vestir feminino dedicada à primavera-verão 2018, e conquistou a crítica com peças que capturavam a essência do estilo parisiense: sem esforço, feminino e luxuoso. Decotes vitorianos, blusas bordadas, vestidos de folhos e botas cowboy estiveram em destaque na passerelle da Chloé, uma das marcas favoritas das amantes de moda e, também, uma das mais copiadas pelas retalhistas da moda rápida. Natacha Ramsay-Levi veio substituir a diretora criativa Clare Waight Keller, um dos nomes responsáveis pelo sucesso global da Chloé, mas, de acordo com os especialistas, a coleção estreia esteve à altura das expectativas.

2Next vende plus size a crianças de 3 anos

A Next está a vender peças de roupa plus size para crianças entre os 3 e os 16 anos e os consumidores já mostraram o seu descontentamento com esta investida da retalhista. Composta por 47 peças, a coleção-cápsula “Plus Fit” está a ser comercializada como «mais generosa na cintura e na anca para um fitting confortável» e inclui tudo, de vestuário escolar a jeans e leggings. «Os pais precisam de comprar roupas confortáveis para os seus filhos, no entanto, é bastante chocante que os retalhistas de vestuário tenham de apresentar tamanhos plus siz para criança», lamentou Russell Viner, responsável de promoção da saúde no Royal College of Paediatrics and Child Health, em declarações ao MailOnline. A aposta da Next surge menos de um ano depois de os dados do National Child Measurement Programme for England terem mostrado que cada vez mais crianças são clinicamente obesas. O estudo revelou que uma em cada 10 crianças entre os 10 e os 11 anos foi considerada obesa ou com excesso de peso em 2015/2016, uma percentagem recorde.

3Chineses querem comprar na rede

Os consumidores chineses, especialmente os membros da geração Z, estão a liderar as compras nas redes sociais, sugeriu um novo relatório da Accenture. As compras por impulso e a gratificação instantânea são as forças motrizes deste comportamento e significam que as marcas capazes de alavancar a sua presença nas redes sociais terão um mercado crescente para aproveitar. Cerca de 70% dos jovens chineses entre os 18 e os 22 anos estão interessados em comprar produtos através das redes sociais, face aos 44% à escala global, mostrou a pesquisa junto de 10 mil consumidores em 13 mercados. «A geração Z é o próximo grande mercado de consumo e poder de compra», sublinhou Yew Hong Koh, diretor-geral da Accenture. A Accenture destacou ainda que 31% dos consumidores chineses da geração Z utilizam as redes sociais como fonte de inspiração de produtos e 58% aumentaram a sua utilização no último ano quando se trata de tomada de decisão em torno de compras de produtos.

4Tráfego cresce nas lojas Uniqlo

A gigante do retalho nipónico confirmou que o número de clientes nas lojas Uniqlo no Japão subiu 2,9% no ano terminado a 31 de agosto. Todavia, os gastos por cliente caíram 1,8%. No entanto, as vendas globais subiram 1,1%, assinalando o 5.º ano consecutivo de crescimento. Os aumentos de preço em 2014 e 2015 fizeram com que os números dos clientes caíssem, pelo que a empresa-mãe Fast Retailing baixou os preços de alguns produtos em fevereiro de 2016, ajudando a Uniqlo a reconquistar clientes, como mostraram os dados de março desse mesmo ano. Além disso, alguns artigos novos beneficiaram de vendas particularmente fortes, incluindo os soutiens sem aros, lançados em fevereiro de 2016. A Fast Retailing espera que as vendas do grupo alcancem os 3 biliões de ienes (aproximadamente 22 mil milhões de euros) a médio-prazo, uma escalada de 70% relativamente aos valores de 2016. Aumentar o tráfego das lojas e o gasto por cliente serão os meios para alcançar esse fim, segundo a empresa.

5Retalho norte-americano em baixa para 2017

A Federação Nacional de Retalho (NRF na sigla original) reviu em baixa as suas previsões para as vendas no retalho norte-americano em 2017, esclarecendo que estas devem crescer entre 3,2% a 3,8%, em vez dos 3,7% a 4,2% antecipados no início do ano. As revisões aos números das vendas, ao rendimento disponível e ao consumo exigiram que a NRF ajustasse a sua projeção de vendas para 2017, explicou o analista da NRF, Jack Kleinhenz. «Ainda que as compras mais fracas do que o esperado no 1.º trimestre, bem como a desaceleração da inflação, tenham também contribuído para a atualização, a NRF antecipa vendas mais fortes em direção ao outono e à quadra natalícia», informou Kleinhenz.

6As gatas das botas

Neste outono-inverno, há um par de botas para cada estilo e guarda-roupa. As botas brancas, as botas-meia, as botas de salto contrastante e as botas pela coxa são apenas alguns modelos em destaque, havendo inclusivamente alternativas de preço indicadas para cada bolso. Retalhistas como a Zara, H&M e Mango já se apressaram a reinterpretar as botas-meia começadas pela Balenciaga, dando igual atenção aos modelos de salto contrastante em acrílico ou metal e às populares botas brancas em pele ou verniz. As botas pela coxa são a evolução natural dos modelos acima do joelho das estações frias anteriores e deverão dominar os coordenados das amantes de moda. A par do popular branco e do clássico preto, o vermelho é a cor mais requisitada, independentemente dos modelos.