Início Breves

Breves

  1. Lectra reforça parceria com London College of Fashion
  2. Pacifique Sud abre novas portas
  3. Americanos fazem mais compras online
  4. Hilfiger expande vestuário adaptado
  5. LVMH supera expectativas
  6. Crocs de luxo

1Lectra reforça parceria com London College of Fashion

A especialista em soluções de software de desenho e máquinas de corte tem vindo a alargar a parceria que tem com a London College of Fashion (LCF) desde 2014. Inicialmente, a escola superior começou por usar apenas o software de design Kaledo nas suas salas de aula, mas nos últimos anos inclui também o Modaris 3D e o Diamino. «A tecnologia Cad está a ser usada cada vez mais na indústria da moda e os estudantes da LFC que aprendem Lectra formam-se com uma vantagem face aos outros», acredita Sharon Blackford, professora sénior na LCF. Recentemente, a LCF introduziu um bacharelato em modelação de moda, com a primeira turma a formar-se em 2017, tendo no centro do curso o Modaris 3D. «No terceiro ano, os nossos estudantes percebem a importância da rapidez a chegar ao mercado e como este software facilite a produção em termos globais. Eles aprendem estratégias que ajudam a manter o desenvolvimento de produto em prazos limitados e dentro de certas restrições financeiras», explica Tina Fox, professora de desenvolvimento de design e concretização 3D. Para o futuro, a Lectra afirma que «esta parceria não dá sinais de abrandamento» e que numa altura em que a LCF se prepara para mudar de instalações para Startford, «pode contar com a Lectra para suporte tecnológico, numa altura em que procura redefinir a face da educação de moda ao colocar as suas várias disciplinas sob um único teto».

2Pacifique Sud abre novas portas

A Pacifique Sud abriu, no passado dia 6, a primeira Concept Store, no espaço das Galerias Lumière, em pleno coração do Porto. «Pretendemos que esta loja seja bastante diferente da restante oferta que conseguimos encontrar no centro do Porto. Quem trabalha na Baixa portuense e circula nela todos os dias como nós percebe que faltava uma loja para os amantes das atividades ao ar livre, quer ao nível do vestuário e calçado, como também no que respeita a equipamentos e acessórios. A escolha do local recaiu nas galerias Lumière, pois achamos que no seu interior se respira o espirito que procurávamos», sublinham sócios da marca, Raquel Ribeiro e João Freitas, em comunicado. Para João Freitas, no desenvolvimento deste conceito, estabeleceu‐se como principal desafio criar uma loja que não fosse uma Surf Shop, mas que fosse uma loja «com onda» em pleno centro urbano. Os dois sócios procuraram ainda que o novo espaço incluísse um conjunto de produtos e marcas produzidas em Portugal, como a Portside, no calçado; na gama de mochilas e carteiras, a Lona e, nas pranchas de surf, a “Extreme” da SurfFactory. A Concept Store da Pacifique Sud está de portas abertas na Loja 6 das Galerias Lumière, na Rua José Falcão, n.º 157.

3Americanos fazem mais compras online

As vendas online nos EUA vão ultrapassar um bilião de dólares (cerca de 851 mil milhões de euros) em 2027, em comparação com 445 mil milhões de dólares este ano, de acordo com uma previsão da empresa de consultoria FTI Consulting, com cada vez mais americanos a distanciarem-se das lojas físicas. As vendas online vão crescer a uma taxa anual composta de 12% até 2020 e a um ritmo mais moderado de 9% na próxima década. As compras online representaram 12% do total das vendas a retalho dos EUA e 50% do total do crescimento no último ano, segundo o estudo. A FTI indicou que a quota da Amazon nas vendas online deverá aumentar 53% até 2027, em comparação com 34% em 2016. Isto significa que a quota da Amazon vai representar quase 12% das vendas a retalho nos EUA em 2027, em comparação com 4% atualmente. Este ano, espera-se novamente que o comércio online impulsione as vendas da época de Natal, um período que tipicamente representa 20% a 40% das vendas anuais para muitos retalhistas. A National Retail Federation antecipa que as vendas feitas fora das lojas físicas, que inclui as vendas online, vão aumentar de 11% para 15%, o equivalente a 140 mil milhões de dólares, nos últimos dois meses do ano. Em 2016, essas vendas subiram 12,6%.

4Hilfiger expande vestuário adaptado

A Tommy Hilfiger, detida pela PVH Corp, está a lançar uma linha de vestuário para pessoas com deficiência. A linha de adulto tem costuras ajustadas e aberturas que permitem que os prestadores de cuidados vistam o utilizador mais facilmente e vem no seguimento da coleção já lançada na primavera do ano passado para crianças. A marca acrescentou ainda fechos magnéticos às peças de vestuário, para tornar mais fácil tirá-las pela cabeça ou vestir com apenas uma mão. O vestuário para pessoas com deficiência é um mercado de nicho mas há milhões de potenciais consumidores em todo o mundo, que sentem dificuldade em encontrar vestuário adaptado na maioria das marcas. O designer Tommy Hilfiger descreve o esforço como parte da «democratização da moda». A linha de vestuário adaptado consiste em 37 modelos para homem e 34 para senhora com base na coleção de sportswear da marca. As calças têm fechos em velcro e fechos magnéticos, assim como aberturas de perna ajustadas e costuras que acomodam aparelhos ortopédicos.

5LVMH supera expectativas

O LVMH registou um crescimento do volume de negócios acima do esperado no terceiro trimestre. O grupo de luxo, que inclui marcas como a Louis Vuitton, a Christian Dior e a Moet & Chandon, revelou que as vendas comparáveis aumentaram 12%, para 30,1 mil milhões de euros, acima do crescimento de 9% esperado. O grupo, contudo, mantém-se atento ao mercado, destacando riscos como a valorização do euro e as tensões diplomáticas na Ásia – um mercado essencial – por causa da disputa entre a Coreia do Norte e os EUA. «Num ambiente geopolítico e cambial incerto, o LVMH vai continuar vigilante», sublinhou o grupo em comunicado. O LVMH, gerido pelo bilionário francês Bernard Arnault, tem conseguido manter-se na liderança da recuperação do sector, graças ao conjunto de marcas na indústria de bens de luxo. A Louis Vuiton continua a ser a estrela do portefólio, mas a recente integração completa da Christian Dior no grupo também contribuiu para o crescimento não-orgânico do volume de negócios no terceiro trimestre e ajudou a compensar o impacto cambial negativo. As vendas comparáveis na divisão de moda e artigos em pele do LVMH como um todo subiram 13% entre julho e setembro.

6Crocs de luxo

Graças à intervenção de nomes como Christopher Kane e Demna Gvasalia, diretor criativo da Balenciaga, a americana Crocs tem vindo a dar passos ousados nas passerelles do luxo, abandonando o estigma de “patinho feio” do calçado confortável e calçando os pés das amantes da moda. O designer britânico Christopher Kane iniciou o processo de reconversão das malogradas sandálias em objeto de cobiça. No desfile de apresentação da coleção dedicada à primavera-verão 2017 as modelos calçaram crocs com aplicações de pedras como Sodalita, Malaquita, Diásporo e Jaspe Zebra e ainda ganharam cores originais, destacando os tons térreos. Considerando a preponderância da estética antimoda e da chegada do vestuário e calçado utilitários às passerelles, esta colaboração teve pés para andar e incentivou outras, nomeadamente um regresso para a primavera-verão 2018 na passerelle de Kane e uma entrada em altura no desfile da Balenciaga, para a mesma estação. Às mãos do diretor criativo Demna Gvasalia, as sandálias foram trabalhadas com salto e em cores femininas, como o cor-de-rosa pastilha elástica.