Início Breves

Breves

  1. Epson lança novo software para impressoras têxteis
  2. Marita Moreno premiada em Sydney
  3. Puma eleva expectativas
  4. Google ajuda a comprar
  5. As retalhistas mais fortes do Reino
  6. Kim Jones troca Vuitton por Dior

1Epson lança novo software para impressoras têxteis

A Epson apresentou recentemente o novo software Edge Print RIP, desenvolvido para as soluções da Série F da marca destinadas aos têxteis. O software está incluído na nova gama de impressoras Epson, com o objetivo de ajudar o utilizador a obter, de forma rápida, impressões de desempenho elevado, com a ajuda da tecnologia Adobe PS, para processar dados Post Script em vários formatos de ficheiro. Compatível com Windows, o Edge Print RIP tem uma configuração simples, sem necessidade de utilizar um dongle, e permite aos utilizadores gerir até quatro impressoras com um sistema simples de gestão de ficheiros, controlo de cor e de granulosidade, repetição de passos e nesting. O Epson Edge Print ajuda os clientes a obterem a melhor qualidade possível, através da tecnologia Precision Dot, que seleciona os tamanhos de gotícula e os padrões de granulosidade ideais, combinando três tecnologias Epson fundamentais: Half Tone Module, LUT (tabelas de referência) e Micro Weave. Utilizado num amplo conjunto de gamas Epson, com a finalidade de maximizar a paleta cromática, cria gradações suaves, oferece uniformidade de cores em diferentes condições de iluminação e reduz a granulosidade. O Edge Print funciona ainda em conjunto com outras ferramentas da Epson, incluindo a LFP Accounting Tool. O Epson Control Dashboard, integrado no software, permite aos clientes saber o estado da impressora e descarregar a configuração de impressão da biblioteca de suportes da Epson para um suporte de dados e enviá-la diretamente para a impressora. «Para conseguir impressões de alta qualidade, o cliente deve definir parâmetros de impressão. Para ajudar neste processo, a Epson preparou configurações validadas no software Edge Print, incluindo perfis ICC, que se podem descarregar da cloud», revela Neil Greenhalgh, diretor de produtos para têxtil da Epson Europe, em comunicado. «Em conjunto com a nossa ferramenta LFP Accounting Tool, o utilizador poderá também calcular o valor de cada impressão em função do consumo de tinta e de papel, o que permite ter uma maior noção do consumo e um melhor fornecimento em cada encomenda. É uma solução completa, que permite obter resultados fiáveis, de elevada qualidade e precisão, gerando poucos resíduos e tendo possibilidade de escalar a produção, impulsionando o negócio a acelerar a produção», explica. Inicialmente integrado na SC-F9300, a nova versão do software RIP, lançada ainda em março, é também compatível com a gama de impressoras de sublimação de tinta da Epson (SC-F6200, SC-F7200 SC-F9200) e fornecida com todos os novos equipamentos. Está ainda disponível como opção adicional para os proprietários atuais destas impressoras.

2Marita Moreno premiada em Sydney

A marca Marita Moreno recebeu o prémio “FOMA – Symbol of Harmony Award”, no evento Fashions of Multicultural Australia, que se realizou em Sydney no passado dia 10 de março. A Elementum e a 7 Hills, também elas representantes do Made in Portugal mereceram igual distinção. «O convite foi feito pela gestora do AICEP Maria Inês Veloso Ferreira e ficámos imensamente felizes por ter a oportunidade de atravessar alguns oceanos e chegar até a Austrália. Temos um projeto aprovado de internacionalização pelo Norte2020 e mesmo que a Austrália não esteja nos nossos planos de expansão numa primeira fase, é sem dúvida um grande mercado que nos interessa imenso», referiu a fundadora da Marita Moreno, Marita Setas Ferro, em comunicado. «O prémio é sobre o reconhecimento através da junção entre o elemento cultural do país que estamos a representar com o a concretização de uma coleção coesa que represente essa cultura. A nossa maior inspiração é Portugal e tudo aquilo que tem de melhor: a natureza, a cultura, a culinária, a nossa luz, as nossas pessoas», elucidou. A Marita Moreno é uma marca portuguesa de acessórios de moda, essencialmente, bolsas e sapatos, sendo que o seu atual objetivo é tornar-se 100% sustentável, um percurso que se iniciou com o lançamento da linha Vegan no verão de 2017. Atualmente, a Marita Moreno está presente em Portugal, Inglaterra, Itália e EUA.

3Puma eleva expectativas

A marca alemã de vestuário e calçado desportivo espera impulsionar as vendas em cerca de 10% anualmente até 2022, aproximando assim a sua rentabilidade da das arquirrivais Adidas e Nike. A Puma registou uma margem operacional de 5,6% em 2017, bastante aquém da rival alemã Adidas e da líder de mercado Nike. A marca, que viu as suas ações caírem em janeiro depois da empresa-mãe, o conglomerado francês Kering, ter revelado a intenção de dividir a marca entre os seus acionistas, anunciou também que irá propor um dividendo entre 25 e 35% do lucro líquido consolidado a partir de 2019. Porém, o presidente-executivo da Puma, Bjorn Gulden, espera que o Kering continue acionista da marca «por muito tempo» e não tem quaisquer planos de «mudança estratégica». A Puma investiu alto em patrocínios e parcerias nos últimos anos, patrocinando equipas de futebol e estabelecendo alianças com celebridades como a cantora Rihanna.

4Google ajuda a comprar

Até aqui, o Google tem agrupado sistematicamente pesquisas de produtos de milhões de consumidores. Agora, quer ficar com uma parte do lucro dessas compras. Para isso, a empresa americana de tecnologia está a associar-se à Target, Walmart, Home Depot, Costco e à Ulta Beauty e, num novo programa, esses retalhistas podem listar os seus produtos na pesquisa do Google, bem como no serviço de compras do Google Express e no Assistente do Google em smartphones e dispositivos de voz. Em troca das listagens do Google e da ligação aos programas de fidelização, os retalhistas garantem à Google uma parte de cada compra. O argumento da Google junto dos retalhistas tem que ver com a oportunidade de influenciar as decisões de compra dos consumidores, jogada que provavelmente os ajudará a competir com a Amazon. A ideia de negócio surgiu de uma conclusão dos executivos da Google, que perceberam que milhões de consumidores faziam pesquisas de imagens de produtos interrogando: “Onde posso comprar isto?”, explicou Daniel Alegre, responsável de retalho da Google, à Reuters. Nos últimos dois anos, as pesquisas móveis acerca de onde comprar produtos cresceram 85%, segundo Alegre. «Vemo-nos como parte de uma solução para que os retalhistas possam gerar melhores transações e aproximar-se do consumidor», garantiu Alegre. Nos últimos seis meses, a Target viu crescer, em média, 20% o número de artigos nos carrinhos de compras do Google Express dos clientes, como resultado da sua associação à Google.

5As retalhistas mais fortes do Reino

A retalhista de brinquedos Lego destronou a British Airways e subiu ao primeiro lugar como marca de consumo mais forte. No inquérito anual junto de mais de 2.500 britânicos, conduzido pela Superbrands, a retalhista dinamarquesa foi a que pontuou mais alto em termos de qualidade, fiabilidade e distinção. Muitos dos primeiros lugares da lista foram preenchidos por retalhistas, com a gigante da tecnologia Apple a destronar a Andrex no terceiro lugar. A Disney, Marks & Spencer e Boots conseguiram o quinto, sexto e sétimo lugares, respetivamente, com a Disney a fazer a sua primeira aparição no Top 10 desde 2013. A Amazon ficou fora das primeiras 20 posições, enquanto os grandes armazéns John Lewis ocuparam o número 15. A Lego subiu na lista desde 2016, quando ficou no número 25, saltando para o segundo lugar no ano passado. «Num mundo onde as expectativas dos clientes escalaram legitimamente, as marcas não podem desiludir e precisam de se esforçar continuamente para manter as suas valiosas reputações», afirmou o presidente da Superbrands, Stephen Cheloitis.

6Kim Jones troca Vuitton por Dior

Depois de muita especulação, o designer Kim Jones foi esta semana confirmado como novo diretor criativo da Dior Homme, mudando de casa, mas não de grupo – ambas as marcas pertencem ao conglomerado de luxo francês LVMH. Anteriormente responsável pela linha masculina da Louis Vuitton, Jones assume o papel logo depois da saída de Kris Van Assche, recentemente anunciada, depois de 11 anos no leme da linha masculina. «Estou feliz por dar as boas-vindas a Kim Jones, com quem tive a oportunidade de colaborar anteriormente na Louis Vuitton», afirmou Pietro Beccari, presidente-executivo da Dior, em entrevista ao WWD. «Admiro a sua visão criativa, que combina a cultura contemporânea com a interpretação própria dos códigos e herança da casa», acrescentou. Mais sucinto, Kim Jones agradeceu a Beccari (e a Bernard Arnault) na sua conta oficial na rede social Instagram. «Obrigado, Pietro Beccari e Bernard Arnault, por este novo capítulo na minha carreira». Kim Jones cortou os laços com a Louis Vuitton após a apresentação da coleção dedicada ao outono-inverno 2018/2019, em Paris. Depois de assumir o leme criativo do segmento de homem da Louis Vuitton, em 2011, Kim Jones colecionou colaborações – um dos casos mais paradigmáticos e recentes foi a parceria estabelecida com a marca de streetwear Supreme – e fez da marca uma referência no vestuário masculino.