Início Breves

Breves

  1. PLM da Lectra soma clientes
  2. Isko é primeira mundial com denim certificado
  3. IA gera modelo humano para fitting de roupa
  4. Pepe Jeans está de parabéns
  5. Noivas por medida online
  6. Moda plastificada

1PLM da Lectra soma clientes

O grupo espanhol de vestuário outdoor Ternua investiu num software de product lifecycle management (PLM) para alargar a sua presença geográfica, com o reforço do trabalho de equipa global. A empresa, fundada em 1994, escolheu a plataforma Lectra Fashion PLM 4.0, que irá implementar no seu processo de produção. O grupo Ternua especializou-se em vestuário técnico e sustentável para quem gosta de praticar desporto ao ar livre todo o ano. A empresa tem um departamento de investigação e desenvolvimento que trabalha na conceção dos próprios tecidos, usando materiais amigos do ambiente, como algodão orgânico ou reciclado. A Ternua detém três marcas e exporta atualmente para mais de 50 países, com operações na Europa, América e Ásia. Já a solução de PLM da Lectra, que será agora implementada na empresa espanhola, centraliza e armazena informação proveniente das suas marcas, digitalizando a cadeia de aprovisionameno. Isso irá ligar todas as equipas envolvidas no processo, desde o design à produção, independentemente de onde estão localizadas. Além disso, os trabalhadores poderão comunicar melhor com os fornecedores externos, encontrar informação precisa e controlar melhor o desenvolvimento de cada coleção.

2Isko é primeira mundial com denim certificado

A Isko, empresa especializada em denim, é a primeira produtora mundial a conseguir uma Declaração Ambiental de Produto (DAP) que certifica a priori todos os artigos que fabrica. A DAP é um documento usado para comunicar informação verificada, transparente e comparável sobre o ciclo de vida dos produtos. Numa iniciativa que tem como objetivo perceber qual o impacto da cadeia de produção, a Isko conseguiu obter uma avaliação de quase 25 mil produtos de denim que fabrica através da metodologia LCA (Life Cycle Assessment), que analisa o impacto em todo o ciclo de vida do artigo. «Ao compreender a pegada ambiental de qualquer produto somos capazes de identificar áreas em que possam ser feitos melhoramentos e permitir aos clientes tomar decisões informadas», explicou a empresa. Esta iniciativa não só irá permitir à Isko certificar a priori todos os seus produtos como também servir de referência para futuros artigos do segmento denim.

3IA gera modelo humano para fitting de roupa

A start up de inteligência artificial (IA) Vue.ai anunciou o desenvolvimento do primeiro gerador de modelos humanos baseado em IA. Este software funciona analisando a roupa e gerando automaticamente uma figura humana e também prevê como é que a peça de vestuário irá assentar. A empresa garante que o programa ajudará os consumidores a prever se uma peça de roupa lhes fica bem, sendo que a opção escolhida para levar a cabo este projeto não passou pelo uso de scanners 3D, que analisam o corpo. A Vue.ai desenvolveu um algoritmo que permite gerar tipos de corpo humano com recurso à IA e depois visualizar a peça nesses modelos. A start up, que trabalha com multinacionais como a Levi’s e a Diesel, acredita que desenvolveu uma abordagem eficiente em termos de custo para que os retalhistas possam colocar as peças no mercado o mais depressa possível. O CEO da Vue.ai, Ashwini Asokan, explicou que as equipas responsáveis pelo processo de digitalização nas empresas de retalho têm muitos problemas com esta questão de colocar os produtos online da melhor forma para os clientes e a nova solução pretende colmatar as falhas neste campo.

4Pepe Jeans está de parabéns

Há precisamente 45 anos, a Pepe Jeans London começou a sua aventura com a abertura da primeira loja na zona de Portobello. Desde aí, a dedicação ao denim, aliada a um design atual, tornaram-se sustentáculos da marca londrina. Para assinalar a data redonda, a Pepe Jeans London lançou agora uma edição especial de 12 t-shirts que recuperam os logótipos originais de 1973. «Através deste lado mais vintage, as t-shirts combinam o melhor do design que a marca foi criando ao longo destas quatro décadas: motivos icónicos e aspetos retro, nunca deixando de fora o seu lado mais cool e atual», revelou a marca em comunicado. Individualmente numerada «de forma a assegurar uma maior exclusividade», a coleção-cápsula unissexo está disponível nas lojas Pepe Jeans e em pepejeans.com.

5Noivas por medida online

Enquanto procurava o vestido ideal para o seu casamento, a ex-aluna de Harvard Leslie Voorhees deparou-se com o mesmo problema de muitas futuras noivas: não conseguia encontrar um modelo com o fitting ideal, em linha com as tendências de moda e dentro do seu orçamento. À data, Leslie Voorhees supervisionava a produção da Apple na China e teve a oportunidade de explorar a região de Suzhou, responsável pelo aprovisionamento da maioria dos vestidos de noiva do mundo. Aí, nasceu a ideia da Anomalie, uma plataforma online e direta ao consumidor que permite que as noivas escolham todos os pormenores do seu vestido. Desde que foi lançada, em dezembro de 2016, a Anomalie já arrecadou 4,5 milhões de dólares (aproximadamente 3,6 milhões de euros) em financiamento e, no ano passado, a plataforma garantiu mais de 1.000 vestidos de noiva. Para começar o processo de design, a noiva precisa de responder a um inquérito com 15 questões, podendo depois inserir diferentes imagens num mood board semelhante ao da rede social Pinterest. Um dos oito designers da equipa da Anomalie ajuda a conduzir o processo. A cliente recebe depois um esboço do modelo, juntamente com amostras de tecido. Depois do processo de design estar concluído, a produção e entrega demoram três meses. A maioria dos tecidos vem da China, outros da Coreia do Sul e de Taiwan. A fundadora sublinha que são «expressamente proibidas» as cópias de designs existentes. Leslie Voorhees faz ainda «visitas mensais a todas as fábricas para estar em contacto com a produção e, também, em busca de novos parceiros». Os preços variam entre os 1.000 e os 1.500 dólares.

6Moda plastificada

Ainda que muitas marcas – da moda de luxo à fast fashion – se estejam a esforçar e a lutar por uma relação mais amigável com o meio ambiente, o plástico é uma das grandes tendências da primavera-verão 2018. As gabardinas em policloreto de vinilo (PVC) ou poliamida (PA) estão a definir os coordenados de homem e senhora e, de acordo com as recentes semanas de moda, dedicadas ao outono-inverno 2018/2019, vão ganhar ainda mais força nos próximos meses. A par do outerwear, também o calçado e os acessórios se renderam ao plástico, com bolsas e saltos altos transparentes em destaque nas publicações das redes sociais. Como exemplos, uma bolsa de PVC da Staud foi pesquisada mais de 3 mil vezes na plataforma Lyst só nas últimas semanas e a busca pelos sapatos embrulhados em plástico da Jimmy Choo em colaboração com a Off White teve um crescimento de 40% no mesmo período. A febre terá começado quando a Calvin Klein lançou um casaco axadrezado coberto com uma capa de plástico transparente para proteger a peça da chuva, tornando-se no artigo mais pesquisado da marca em toda a coleção outono-inverno 2017/2018.