Início Breves

Breves

  1. Isabel Marant em negociações
  2. Vestuário ganha no retalho
  3. Hunter abre lojas de Tóquio a NY
  4. Amazon testa drones no Japão
  5. Wolford com resultados agridoces
  6. Sympatex lança vestuário na Ispo Munich

1Isabel Marant em negociações

Isabel Marant está em negociações preliminares com a Eurazeo para vender uma quota maioritária na sua empresa, segundo fontes próximas. A casa de moda francesa, ainda controlada por Marant e pelos seus associados, gera vendas anuais de cerca de 200 milhões de euros, segundo revelou uma das fontes à Reuters. A Eurazeo estará em conversações com Isabel Marant há algumas semanas, mas, de acordo com outra fonte, o negócio ainda não está iminente. A empresa de private equity está a fazer as devidas diligências e o negócio pode demorar semanas, ou até meses, a materializar-se, indicou a fonte, acrescentando inclusive que não é certo que se chegue a concretizar. A Isabel Marant tem 19 lojas em todo o mundo mas faz a maioria das suas vendas através de lojas multimarca e grandes armazéns. A casa de moda, liderada pela designer epónima, pretende aumentar o capital para se expandir internacionalmente e alargar a sua gama de produtos, nomeadamente em artigos em pele, revelou uma das fontes. A Eurazeo fez vários investimentos na indústria da moda e do luxo nos últimos anos. Em setembro fez parte de uma ronda de financiamento para a retalhista online de artigos de luxo em segunda mão Vestiaire Collective. Fez ainda investimentos consideráveis na marca italiana de outdoor Moncler, que entrou na bolsa de valores de Milão há dois anos.

2Vestuário ganha no retalho

Os números oficiais mostram que novembro foi um bom mês para o retalho de moda nos EUA, com o vestuário a ter uma performance superior a outros sectores. O Departamento de Comércio revelou que as vendas a retalho no geral subiram em novembro em comparação com outubro, aumentando pela maior margem desde o verão, com uma subida de 0,4%. Em termos anuais, as vendas cresceram 1,4%. Embora 0,2% seja inferior ao crescimento de 0,6% em julho, o aumento é visto como positivo pelos analistas, depois de vários meses de vendas anémicas. Muitos acreditam que assinala o início de uma curva de crescimento (embora moderada), assim como mostra a importância da Black Friday para os resultados de novembro. Apesar do otimismo, os analistas revelaram uma certa cautela, advertindo que a Black Friday não deu o impulso que os retalhistas esperavam e que o abrandamento das vendas em artigos mais dispendiosos significa que os consumidores podem não se sentir confiantes o suficiente para fazer compras onerosas neste momento. A boa notícia é que estes mesmos consumidores estão a comprar moda, com as vendas a subirem 0,8% face ao mês anterior. As vendas subiram ainda nas lojas de artigos de desporto, tempos livres e livrarias (+0,6%).

3Hunter abre lojas de Tóquio a NY

A Hunter, conhecida pelas suas galochas, anunciou planos para 2016, onde pretende «explorar e amplificar a sua ligação a festivais de música» com a abertura de lojas flagship. No seguimento do sucesso da sua primeira loja em Regent Street, em Londres, vai abrir uma loja monomarca Hunter em Tóquio, em março, a que se seguirão outras em Nova Iorque e Hong Kong. «A Hunter tem estado num percurso incrível nos últimos dois anos, conseguindo um dinamismo real à medida que avançamos com a transição deste negócio com 160 anos», considera o diretor criativo Alasdhair Willis. «Durante este enorme período de transformação fizemos quatro desfiles que definiram a marca Hunter Original na Semana de Moda de Londres. Usando este sucesso como um forte impulsionador, e continuando o nosso empenho em inovar, é agora altura de chegar mais longe. Estou entusiasmado com os nossos planos para os próximos dois anos, que vão ter o consumidor como centro de tudo o que fazemos», acrescentou Alasdhair Willis.

4Amazon testa drones no Japão

A Amazon vai começar a testar os serviços de entrega através de drones em algumas regiões do Japão, numa altura em que o governo aliviou a legislação para o uso comercial de drones. O governo japonês deverá permitir a utilização de drones para a entrega de medicamentos com receita médica e necessidades diárias em algumas áreas da cidade de Chiba, um dos maiores subúrbios de Tóquio. A lei da aviação que especifica as altitudes máximas de voo para os drones será revista, noticiou a Nikkei Asian Review, o mesmo acontecendo com outras regras, como a exigência de um operador de drone manter sempre o veículo aéreo não-tripulado à vista. A Amazon já fez testes de entrega com drones nos EUA, Canadá e Reino Unido, mas ainda não lançou o serviço comercialmente.

5Wolford com resultados agridoces

A empresa austríaca Wolford AG, especialista em collants, registou prejuízo no primeiro semestre – tradicionalmente o mais fraco por razões sazonais – apesar de ter registado um aumento de quase dois dígitos no volume de negócios. O prejuízo bruto da empresa atingiu 900 mil euros nos seis meses até 31 de outubro, em comparação com o lucro bruto de 1,38 milhões de euros no mesmo período do ano passado. O volume de negócios aumentou 9,1%, para 79,2 milhões de euros, graças aos efeitos positivos do câmbio do dólar americano e da libra inglesa. Quando ajustado a efeitos cambiais, o crescimento foi de 3,1%. O volume de negócios gerado pelas lojas próprias da Wolford subiu mais de 7%, tanto em termos absolutos como em termos comparáveis. O volume de negócios online aumentou 63,9%, enquanto o volume de negócios das vendas por grosso cresceu 5,2%. Recentemente, a Wolford implementou uma reorientação estratégica, para aumentar o volume de negócios e o lucro. Como resultado, a empresa confirmou o objetivo original de gerar mais um aumento no volume de negócios e concluir o atual ano fiscal com resultados operacionais positivos.

6Sympatex lança vestuário na Ispo Munich

A especialista em têxteis funcionais Sympatex Technologies revelou que, pela primeira vez, vai mostrar vestuário com tecnologia de gestão de humidade para utilização em atividades de exterior no próximo ano. A nova tecnologia, indica a Sympatex, oferece um clima ótimo para mudanças entre atividades de elevada exigência e fases de descanso. A sua camada funcional segue o princípio do puxa-empurra: devido a um efeito de sucção vertical, a humidade é rapidamente transferida da pele para a camada funcional interior, onde é armazenada temporariamente e espalhada por uma superfície grande. Além disso, a sua membrana hidrófila é ativada pela elevada concentração de humidade e permite uma melhor transmissão de vapor de água, explica a Sympatex. Com a camada têxtil funcional, a humidade é apenas transferida para o exterior, já que o efeito de sucção para o exterior evita que a humidade seja transportada novamente para o interior. O vestuário será mostrado na próxima edição da Ispo Munich, que se realiza de 24 a 27 de janeiro. A Sympatex vai ainda apresentar a nova tecnologia de malha exterior para calçado, que oferece malha laminada que é 100% à prova de água e vento. Batizada Climate Technology Seamless, a proposta para o calçado oferece respirabilidade graças à membrana flexível, 100% reciclável, enquanto o exterior é uma malha hidrofóbica.