Início Breves

Breves

  1. Rui L. Reis duplamente distinguido
  2. Nizza regressa a 1950
  3. Benetton reforça online
  4. LVMH é incubadora de luxo
  5. Marcas rumam à América
  6. Pés no verão

1Rui L. Reis duplamente distinguido

O diretor do Grupo 3B’s do Instituto de Investigação em Biomateriais, Biomiméticos e Biodegradáveis (I3Bs) e vice-reitor para a Investigação e Inovação da Universidade do Minho, Rui L. Reis, foi duplamente distinguido à escala internacional no passado mês de março. O investigador recebeu o Prémio Internacional UNESCO de Investigação em Ciências da Vida 2017, em Malabo, na Guiné Equatorial. O galardão – que inclui 100 mil dólares (85 mil euros) e uma estátua de um artista local – enalteceu Rui L. Reis «pelas suas contribuições excecionalmente inovadoras para o desenvolvimento de biomateriais de base natural e suas aplicações biomédicas, incluindo engenharia de tecidos, medicina regenerativa, células estaminais e sistemas inteligentes de libertação controlada de medicamentos, que têm um enorme potencial para melhorar a saúde humana». O prémio, um dos maiores a nível internacional na área das ciências da vida, destaca a investigação neste domínio científico que tenha um forte impacto internacional, sendo atribuído pela UNESCO, com o alto patrocínio do Governo da Guiné Equatorial. Rui L. Reis torna-se o primeiro cientista europeu com este galardão, que vai na sua quarta edição. «É um grande privilégio receber este importante prémio de natureza global, é mais um estímulo para todo o grupo de investigação que tenho o prazer de liderar e aceito-o em nome de todos os que de algum modo contribuíram para ele. É também um orgulho poder ver reconhecida a investigação que se faz na Universidade do Minho e que é cada vez mais relevante em termos internacionais», afirmou. Já em Londres, Rui L. Reis recebeu o “IET Harvey Engineering Research Award”, um dos maiores prémios científicos do mundo na área da Engenharia. O galardão é atribuído anualmente e, a cada triénio, à área da Engenharia Médica, pela “Institution of Engineering and Technology” (IET), que tem 170 mil membros de 150 países. O prémio monetário, no valor de quase 400 mil euros, vai ser usado para criar modelos inovadores e funcionais de cancro em 3D, que possam ajudar a prever a eficácia de medicamentos, evitando o recurso a diversos testes em animais e alguns ensaios clínicos. «É um grande privilégio receber este conceituado prémio e ser o primeiro cientista cuja carreira foi toda feita num país – Portugal – onde a língua não é a inglesa. Todos os vencedores anteriores trabalhavam no Reino Unido, EUA, Austrália ou Singapura», reconheceu Rui L. Reis.

2Nizza regressa a 1950

Na nova coleção, dedicada à estação quente de 2018, a Nizza inspirou-se nas silhuetas femininas dos anos 1950. A coleção pretende, explica a marca, «recuperar o empoderamento feminino com peças que insinuam o contraste entre a fragilidade da mulher nesta época com o novo poder que conquistou. Em 1952, as mulheres começaram a usar calças – justas, de cintura alta, que acentuavam as formas, que a Nizza reinventa agora com modernidade». Na altura, a mulher ganhou voz e um novo papel social, que a marca nacional de vestuário de senhora concretiza «de forma literal, com o símbolo da liberdade: o pássaro». A coleção destaca-se pelas saias românticas e vestidos fluídos de comprimento midi e cintura vincada. A silhueta é ultrafeminina, as cores flutuam entre o fúcsia, o rosa, o vermelho e o laranja em coordenados monocromáticos e estampados primaveris que pintam quase metade do imaginário da Nizza para o verão.

3Benetton reforça online

O Grupo Benetton deu uma nova vida às suas plataformas de comércio eletrónico, com novas lojas online para as marcas United Colors of Benetton e Sisley. A morada www.benetton.com foi completamente renovada para oferecer aos clientes uma experiência de compra cada vez mais imersiva. O novo website, traduzido em sete idiomas e disponível em 24 países, «visa aumentar as vendas online, especialmente nos EUA, onde o grupo relançou o projeto de comércio eletrónico com o objetivo de consolidar a sua liderança e aumentar a cota de mercado», explicou o Grupo Benetton em comunicado. A loja online da United Colors of Benetton tem um grafismo novo e funcionalidades melhoradas, tornando a experiência de navegação mais fácil, também, em dispositivos móveis, utilizados por mais de 50% dos internautas. «A nova e-shop e o desenvolvimento do comércio eletrónico são parte integrante da estratégia do Grupo Benetton de focar na abordagem omnicanal, que melhora a integração entre as lojas físicas e o mundo online», revelou a Benetton. Este impulso em relação às vendas online abrange a marca Sisley – a partir do final de abril, a e-shop www.sisley.com lançará uma nova imagem. O novo website da Sisley estará disponível inicialmente para os mercados italiano, francês, alemão, britânico e norte-americano, aos quais seguir-se-ão versões para outros mercados.

4LVMH é incubadora de luxo

Através de um novo programa de aceleração de startups apresentado esta semana, o conglomerado de luxo francês vai ajudar projetos emergentes da indústria, incluindo uma startup que trabalha com bichos da seda para o desenvolvimento de novos materiais têxteis e outra cujo software pode ajudar a detetar falsificações. O LVMH revelou, na segunda-feira, um programa de aceleração de startups, com sede na Station F, a incubadora de empresas que abriu em Paris no verão de 2017, que visa apoiar cerca de 50 empresas anualmente. «A ideia é animar e ativar as conversas em torno das coisas que podem afetar a indústria de luxo», explicou Ian Rogers, ex-executivo da Apple que se juntou ao LVMH em 2015 como diretor do digital. «Há uma proximidade histórica entre o grupo, os seus valores e o universo da criação de empresas e startups», afirmou Bernard Arnault, CEO do LVMH, no lançamento do programa.

5Marcas rumam à América

O número de retalhistas internacionais – marcas de vestuário e empresas de cosmética, entre outros – que procura um lugar ao sol no mercado norte-americano está a crescer rapidamente, segundo a CNBC. No entanto, entrar num novo país não é fácil, mesmo para marcas estabelecidas. A H&M e a Zara, por exemplo, tiveram de recuar na abertura de novas lojas, já que as vendas dispararam online, mas o tráfego em loja dececionou em algumas cidades. «Vemos muitos retalhistas internacionais relutantes em vir para os EUA depois de os grandes retalhistas demorarem mais a ter sucesso aqui», reconheceu David Zoba, da imobiliária Jones Lang LaSalle. «Não é um sucesso da noite para o dia», acrescentou. Ainda assim, há muitas marcas a preparar-se para dar o salto. A Primark, por exemplo, quer melhorar a sua perceção de marca em território norte-americano; a marca sueca de produtos de SPA L:A Bruket está a aventurar-se a solo, depois de ter estado à venda em espaços de retalhistas norte-americanos como a J. Crew; a mexicana KidZania vai estrear-se em Dallas, Chicago e Nova Iorque e a portuguesa Parfois, com 700 pontos de venda à volta do globo, será inquilina do espaço The Edit, estreando-se assim nos EUA.

6Pés no verão

Nesta estação quente, mesmo para quem não segue as tendências à risca, há modelos de calçado difíceis de contornar, que pedem para ser incluídos nos coordenados. Os chinelos e sandálias rasas com tiras de plástico transparente estão em destaque nas propostas das casas de luxo e nas montras dos retalhistas populares, seguindo a tendência que já tomou conta do guarda-roupa feminino. Os modelos abertos e de ponta quadrada são outro dos vencedores, recuperados de décadas passadas. As tiras laterais continuam em voga, nos sapatos de salto médio ou mesmo em botins e texanas. Por último, os chinelos e sandálias com salto redondo – preferencialmente com textura e cor – prometem dar um final irreverente aos coordenados estivais.