Início Breves

Breves

  1. Crédito y Caución revela diminuição de insolvências
  2. Missoni abre as portas a investidor
  3. Apiccaps apresenta estratégia em Lisboa
  4. Fibrenamics revela tendências e oportunidades de negócio
  5. Quitosano substitui químicos perigosos
  6. Bottega Veneta tem novo diretor criativo

1Crédito y Caución revela diminuição de insolvências

A empresa especialista em seguros de crédito anunciou que as insolvências requeridas até maio apresentam uma redução de 14% face ao período homólogo de 2017. Segundo a Crédito y Caución, até final de maio, as insolvências requeridas e as insolvências apresentadas pelas próprias empresas registaram uma diminuição de 14% e 12,6%, respetivamente. Os encerramentos com plano de insolvência também diminuíram 26,4%. No entanto, o acumulado de ações de insolvência aumentou 7% face aos primeiros cinco meses de 2017, o que se explica pelo aumento no número de processos concluídos (+28%). Os distritos de Lisboa, Porto e Braga lideram o ranking de insolvências, com um total acumulado de 870, 676 e 230, respetivamente. No comparativo com 2017, a liderança cabe ao Porto, com um aumento de 17,6% no total de insolvências registado nos primeiros cinco meses do ano. Lisboa apresenta um aumento de 2,4% e Braga de 2,2%. Em termos setoriais, há decréscimos nos sectores das telecomunicações (-40%), transportes (-8,5%) e hotelaria e restauração (-0,8%). Os aumentos mais significativos verificam-se na indústria extrativa (+120%), eletricidade, gás, água (+44,4%), agricultura, caça e pesca (+34,3%), comércio a retalho e por grosso (+13,3% e +13,9%, respetivamente) e comércio de veículos (+10,1%). Também a constituição de novas empresas está a crescer, mantendo a tendência iniciada em 2016, com 72,7% dos distritos nacionais a registarem aumentos no número de novas empresas criadas até final de maio. «Nos primeiros cinco meses do ano foram constituídas 20.707 empresas, mais 11,9% que em igual período de 2017 e mais 19,5% face a 2016. Apenas no mês de maio foram criadas 3.607 empresas, o que traduz um aumento de 2,3% em relação ao mês homólogo de 2017. Destes cinco meses, janeiro foi aquele que viu surgir mais projetos empresariais (5.186) seguido de março (4.321)», indica a Crédito y Caución em comunicado. Lisboa tem o número mais significativo de constituições, seguida do Porto e do distrito de Setúbal. O maior aumento nas constituições nos primeiros cinco meses do ano pertence, contudo, ao distrito da Guarda, que passou de 131 para 174 constituições (+24,7%).

2Missoni abre as portas a investidor

A Missoni acaba de revelar que a empresa familiar conta com um novo investidor. O FSI Mid-Market Growth Equity Fund adquiriu uma quota minoritária de 41,2% na casa de moda italiana, que mantém o controlo com os restantes 58,8%. «O investimento vai consistir essencialmente de um aumento de capital», indicou o FSI. Para a Missoni, «o objetivo da parceria é melhorar a notoriedade extraordinária da Missoni e o seu potencial de desenvolvimento, de forma a nos tornarmos um player mundial e moderno, com uma estrutura organizacional adequada e dimensão para competir numa indústria global de moda e luxo». A casa de moda pretende, assim, focar-se no crescimento internacional, na expansão do portefólio de produtos e no reforço do canal de retalho. A parceria inclui ainda a nomeação de Michele Norsa, partner industrial do FSI e ex-CEO da Salvatore Ferragamo e da Valentino, como vice-presidente do conselho de administração. Para Angela Missoni, diretora criativa da casa italiana, o acordo é fulcral para «salvaguardar tanto a unidade da nossa família como do ADN da marca. Acredito que com o apoio do FSI e a visão estratégica do novo vice-presidente do conselho de administração, Michele Norsa, seremos capazes de levar esta preciosa joia familiar para um futuro brilhante». A Missoni foi fundada em 1953 por Ottavio e Rosita Missoni e é uma das mais conhecidas casas de moda independentes de Itália. As malhas de qualidade e os padrões multicoloridos, que tiveram grande influência na moda dos anos 70, evoluíram e tornaram-se na sua imagem de marca.

3Apiccaps apresenta estratégia em Lisboa

A Apiccaps – Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes, Artigos de Pele e Seus Sucedâneos está a promover, em conjunto com o Ministério da Economia, a iniciativa FOOTure. De 18 de junho a 13 de julho, o Espaço 560, na sede do Ministério da Economia, acolhe uma exposição e quatro seminários sobre calçado. A exposição será inaugurada hoje, às 18h, com a presença do Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral. O ciclo de seminários inicia-se igualmente hoje, ao ritmo de um por semana, sempre à segunda-feira. Este primeiro seminário, com início marcado para as 18h15, terá como tema “Geração Startup”, contando como oradores com Rafic Daud (Undandy), Joana Lemos (Freakloset) e Miguel Vieira (Feet it). A 25 de junho, às 17h, é a vez das “Plataformas digitais de comércio” e terá como intervenientes Fortunato Frederico, do grupo Kyaia, e Gonçalo Cruz, da Platform. A 2 de julho, o tema é “Economia circular”, com Maria José Ferreira (Centro Tecnológico do Calçado de Portugal) e Nuno Carvalho (APIC – Associação Portuguesa de Curtumes) como oradores e, a terminar o ciclo, a 9 de julho, estarão Luís Onofre, presidente da Apiccaps, e Eduarda Abbondanza, da Modalisboa, a discutir “O design como fator crítico”. Segundo o comunicado da Apiccaps, «com esta iniciativa, o Ministério da Economia alia-se ao Plano Estratégico da Indústria Portuguesa de Calçado, que tem como objetivo tornar o calçado português a grande referência internacional pela sofisticação e pela criatividade, reforçando as exportações portuguesas alicerçadas numa base produtiva nacional, sustentável e altamente competitiva, fundada no conhecimento e na inovação».

4Fibrenamics revela tendências e oportunidades de negócio

A plataforma Fibrenamics, da Universidade do Minho, vai promover sessões gratuitas de apresentação de tendências e oportunidades de negócios nas áreas dos materiais, tecnologias e produtos. Sob a designação de Ignite Sessions, «esta iniciativa marca a nova fase da plataforma Fibrenamics, onde o apoio estratégico à atividade das empresas é um dos principais pilares», revela em comunicado. A primeira sessão está agendada para a tarde de dia 4 de julho, no Paço dos Duques, em Guimarães, e terá como tema “Advanced Materials – What’s Next?”. Bruno Figueiredo, CEO da Graphenest e distinguido pela Forbes como uma das figuras com menos de 30 anos mais bem sucedidas na área da indústria, será o orador principal, mas o programa inclui ainda intervenções de José Borges, diretor do CINAMIL – Centro de Investigação da Academia Militar, Rui Rodrigues, diretor de desenvolvimento de mobilidade elétrica da Caetanobus, do Grupo Salvador Caetano, Tânia Calçada, diretora da área de tecnologia do futuro da Sonae, e Raul Junqueiro, diretor de cidades inteligentes e desenvolvimento de negócio do DST Group. O evento é gratuito mas sujeito a inscrição (aqui).

5Quitosano substitui químicos perigosos

Investigadores alemães estão a explorar formas de usar quitosano, derivado da quitina presente na superfície de insetos, para substituir químicos tóxicos na produção têxtil. Os investigadores do Fraunhofer Institute for Interfacial Engineering and Biotechnology em Estugarda têm focado a sua pesquisa em alternativas de base biológica aos químicos perigosos usados no processamento têxtil. «Há já muito tempo que estamos a trabalhar no desenvolvimento de processos para a reciclagem de materiais residuais e desperdícios e, por isso, temos o conhecimento necessário», garante Susanne Zibek, que lidera a investigação em biotecnologia industrial no instituto. Inicialmente os investigadores desenvolveram um processo de purificação para separar a quitina de outros componentes da superfície dos insetos, como proteínas e minerais. «Estamos a investigar várias formas de fazer a deacetilação da quitina para produzir quitosano», explica Susanne Zibek. Devido à sua capacidade de formar filmes, os investigadores acreditam que o quitosano pode ser usado como um agente encolante, que reduz a fricção nos teares e evita o endurecimento ou quebra dos fios no processo de tecelagem. Depois, o encolante pode ser lavado ou permanece no fio. A segunda aplicação possível é no acabamento de têxteis com propriedades funcionais. «Por exemplo, queremos usar o grupo de aminoácidos funcionais para ligar moléculas hidrofóbicas com o quitosano – podem ser conseguidas propriedades de repelência de água quando aplicadas a têxteis», aponta a responsável. Até agora, os acabamentos hidrofóbicos para têxteis de exterior são comummente obtidos com recurso a fluorcarbonetos, compostos todavia prejudiciais ao meio ambiente.

6Bottega Veneta tem novo diretor criativo

A Bottega Veneta anunciou a nomeação de Daniel Lee como o novo diretor criativo da marca. O designer britânico, de 32 anos, estava na Céline, onde trabalhou nos últimos seis anos como diretor de pronto-a-vestir sob a direção de Phoebe Philo, mas tinha já passado pela Balenciaga, Donna Karan e Maison Margiela após a sua formação na Central Saint Martins. «Sinto-me honrado e entusiasmado por continuar o legado que foi criado na Bottega Veneta nas últimas cinco décadas», afirmou Lee. «Mantendo os códigos da casa, o lado artesanal, a qualidade e a sofisticação, espero evoluir a partir do que foi feito anteriormente, ao mesmo tempo que contribuo para uma nova perspetiva e modernidade», acrescentou. Para François-Henri Pinault, presidente do conselho de administração e CEO do grupo Kering, que detém a Bottega Veneta, «a singularidade da sua visão, inspirada por uma abordagem criativa muito pessoal, convenceu-me que ele era o mais bem posicionado para abrir um novo capítulo na história da casa. O seu trabalho é caracterizado por um grande rigor, domínio do conhecimento no estúdio, uma verdadeira paixão pelos materiais e uma energia que mal posso esperar para ver a tomar forma na Bottega Veneta». Daniel Lee sucede já no dia 1 de julho a Tomas Maier, que saiu da casa de moda italiana depois de 17 anos no leme criativo.