Início Breves

Breves

  1. Timberland sem PVC em 2020
  2. Lacoste faz parceria com Zoo de Lisboa
  3. Câmara de Famalicão ajuda empreendedores
  4. China alimenta crescimento da Hermès
  5. Dona da Uniqlo reforça parceria com a Shima Seiki
  6. Vaporfly da Nike são mesmo mais rápidos

1Timberland sem PVC em 2020

A política de sustentabilidade da marca de vestuário e calçado para o ar livre tem uma nova meta: em 2020 ser possível comprar produtos Timberland 100% livres de PVC. A Timberland está a eliminar químicos impermeáveis à água que contenham fluorocarbonetos. O PVC, um dos materiais plásticos mais utilizados, já foi quase completamente abandonado pela marca, que além disso, e para combater os resíduos, está também a reciclar garrafas de plástico. Em 2017, foram usados 40 milhões de garrafas de plástico na produção de sapatos – mais três milhões do que no ano anterior). Até agora, a Timberland reciclou mais de 270 milhões de garrafas. Entre os 10 objetivos delineados pela marca para daqui a dois anos estão ainda a inclusão de um material reciclado, orgânico ou renovável em todos os produtos de calçado, todo o vestuário em algodão ser orgânico, proveniente dos EUA ou BCI (Better Cotton Initiative), alcançar uma taxa de reciclagem de 95% r chegar aos 10 milhões de árvores plantadas. «Na Timberland, esforçamo-nos para que o respeito pelo ambiente seja transversal a todas as áreas de negócio e tentamos, sempre que possível, implementar algumas das iniciativas globais em território nacional. É um longo percurso, aquele que temos pela frente, mas estamos na direção certa para atingir as metas a que nos propusemos para 2020», afirma Susana Silva, diretora de marca e marketing da Timberland para o Grupo Brodheim.

2Lacoste faz parceria com Zoo de Lisboa

A marca francesa uniu-se ao Jardim Zoológico de Lisboa para uma ação de sensibilização para a proteção do crocodilo-do-nilo (Crocodylus niloticus). No dia 28 de julho, em que se celebra o Dia Mundial da Conservação, por cada polo vendido nas lojas nacionais da marca, a Lacoste oferecerá 5 euros ao Fundo de Conservação do Jardim Zoológico. Esta campanha estará disponível nas 22 lojas próprias da marca e nos cinco corners no El Corte Inglés (outlets e loja online não estão incluídos). Consciente da importância da preservação da biodiversidade no mundo, a Lacoste, que apadrinha o Jardim Zoológico de Lisboa desde 1987, tem uma política ativa de apoio à conservação da natureza e em particular do animal que dá forma ao seu icónico logótipo. A caça ilegal, a crescente ocupação do habitat pelo Homem, a perseguição direta por ser considerada uma espécie perigosa para as populações e para o gado e a poluição dos rios são os maiores desafios com que o crocodilo-do-nilo se depara ao longo da vida e que fazem dele uma espécie em risco.

3Câmara de Famalicão ajuda empreendedores

A edilidade famalicense vai criar uma Bolsa de Peritos para Apoio ao Desenvolvimento de Negócios para apoiar novos empreendedores, desde a ideia de negócio até à constituição da empresa. Segundo um comunicado da autarquia, «a estratégia insere-se no objetivo mais lato do município de desenvolver, através do programa Famalicão Made IN, uma ampla rede estratégica de apoio à criação e desenvolvimento de novas empresas, por via da capacitação dos empreendedores em competências consideradas estratégicas ao sucesso do negócio, tendo em vista a geração de riqueza e a criação de emprego no concelho». A Bolsa de Peritos será constituída por especialistas em áreas como estruturação da ideia, modelo e plano de negócio, patentes, marketing, comunicação, financiamento, registo e aconselhamento jurídico. «É uma iniciativa que dá enquadramento à manifestação de disponibilidade de muitas pessoas com valor, que se têm voluntariado, no âmbito do trabalho de rede desenvolvido pelo programa Famalicão Made IN, para emprestar a sua competência empreendedora àqueles que estão a dar os primeiros passos», justifica o presidente da câmara municipal, Paulo Cunha. O processo de candidatura à Bolsa de Peritos será feito oportunamente através do preenchimento de um formulário submetido eletronicamente, em conjunto com as correspondentes normas de acesso e requisitos de admissão, no portal do projeto Famalicão Made IN.

4China alimenta crescimento da Hermès

A casa de moda de luxo antecipa que os lucros operacionais do primeiro semestre fiquem próximos do nível recorde registado no ano passado, depois de ter registado vendas sólidas no segundo trimestre. As vendas aumentaram 7,2%, para 1,46 mil milhões de euros, nos três meses até junho. A taxas de câmbio constantes, o aumento foi de 12% e superou as expectativas dos analistas, que apontavam para um crescimento de 10%. Isto apesar dos câmbios terem tido um efeito negativo de 165 milhões de euros na sua linha principal. As vendas na China cresceram a dois dígitos, tal como nos anos anteriores, com a procura no Império do Meio a não ser afetada pelas incertezas macroeconómicas. O diretor-executivo da Hermès, Axel Dumas, indicou ainda aos jornalistas que a atual guerra comercial entre os EUA e a China não deverá ter um impacto imediato na casa de moda. «Temos clientes que viajam», justificou. «Uma guerra comercial será má para toda a gente. Preferia que não houvesse uma guerra comercial, mas não penso que seremos dos primeiros a ser afetados», acrescentou Dumas. Na China, a empresa está mesmo a reduzir os preços em 4% desde 1 de julho, depois do governo chinês ter baixado os impostos sobre as importações. Tendo em conta os bons resultados no mercado chinês e o crescimento sólido noutros pontos do globo, a Hermès antecipa que o lucro operacional fique próximo do nível recorde registado no primeiro semestre do ano passado.

5Dona da Uniqlo reforça parceria com a Shima Seiki

A japonesa Fast Retailing Co, proprietária da retalhista Uniqlo, revelou estar a reforçar a parceria com a construtora de maquinaria têxtil Shima Seiki, desta vez para produzir vestuário em malha a pedido. A parceria surge numa altura em que a questão da produção de vestuário à medida se tornou num tema quente na indústria da moda, com o player online Zozo a espicaçar a indústria com os seus fatos que tiram medidas. No início deste mês, a Zozo revelou estar a ponderar trabalhar com a Shima Seiki. A Uniqlo já vende artigos de vestuário produzidos com os teares whole-garment da Shima Seiki, em resultado da joint-venture criada em 2016. A Fast Retailing afirma que está agora a analisar a produção de vestuário em malha por encomenda a grande escala, mas não referiu prazos. Atualmente, os clientes da Uniqlo podem encomendar artigos feitos à medida, como camisas e casacos.

6Vaporfly da Nike são mesmo mais rápidos

No ano passado, a Nike lançou os Vaporfly 4%, argumentando que as sapatilhas poderiam, em teoria, tornar o utilizador 4% mais rápidos graças à tecnologia da sola. Uma vantagem que poderia, por exemplo, retirar cinco minutos aos recordes da maratona, permitindo baixar a barreira das duas horas pela primeira vez na história. O New York Times decidiu agora comprovar a teoria através de uma análise intensiva a 500 mil tempos da maratona e meia-maratona, recolhidos da rede social Strava e concluiu que a pretensão da Nike é real. Segundo o blogue Upshot do New York Times, os benefícios das sapatilhas são generalizados a todas as pessoas, sejam amadores ou profissionais. «As vantagens para os corredores que usam os Vaporfly foram consistentes para corredores mais lentos e para os mais rápidos, para homens e mulheres, para corredores na sua segunda ou na sua quinta maratona», concluem Kevin Quealy e Josh Katz, os escritores do Upshot. O segredo está na sola intermédia dos Nike Zoom Vaporfly 4%, uma tecnologia que começou a ser usada em 2016 na Maratona de Londres que Eliud Kipchoge venceu com o segundo tempo mais rápido de sempre. Colocada na parte central da sapatilha está uma peça em fibra de carbono que armazena e liberta energia de todas as vezes que toca no chão.