Início Breves

Breves

  1. Levi Strauss em alta
  2. Chanel compra marca britânica
  3. Bangladesh na rota da seda
  4. Uniqlo abre a maior loja em Manila
  5. Novo revestimento mantém edifícios frescos
  6. Guarda-chuvas de Luís Onofre chegam às lojas

1Levi Strauss em alta

A gigante do denim Levi Strauss registou fortes vendas e lucros no terceiro trimestre – o quarto período consecutivo com crescimentos de dois dígitos. As vendas subiram 10%, para 1,39 mil milhões de dólares (1,22 mil milhões de euros), impulsionadas pelas mais de 65 lojas próprias em operação. O volume de negócios nas vendas diretas ao consumidor aumentou 14% graças à performance e expansão da rede de retalho, assim como ao crescimento das vendas online. As vendas no mercado americano, o maior, subiram 7%, na Ásia o aumento foi de 8% e a Europa confirmou o bom momento, com um crescimento de 17%. O volume de negócios das vendas por grosso também subiu (+8%), refletindo um aumento de vendas em todas as regiões. Os lucros, por seu lado, registaram um saldo positivo de +45%, para 130 milhões de dólares, enquanto a margem bruta cresceu de 51,8% no ano passado para 53,2% este ano. «Este crescimento foi transversal a praticamente todas as áreas do nosso negócio, incluindo as nossas quatro marcas, homem e senhora, partes de cima e partes de baixo, e todas as regiões e canais, com resultados que nos colocam entre os players com melhor performance na indústria», revelou o CEO da empresa, Chip Bergh.

2Chanel compra marca britânica

A Chanel adquiriu a marca britânica de swimwear para homem Orlebar Brown. Não foi desvendado quanto é que a Chanel, que detém já a marca de swimwear feminino Eres, pagou pela Orlebar Brown, mas notícias do último ano sugerem que a marca britânica, uma das favoritas das celebridades, estaria no mercado por cerca de 50 milhões de euros. A Orlebar Brown foi fundada há 11 anos por Adam Brown e incluía a empresa de investimento Piper entre os seus parceiros, juntamente com outros investidores mais pequenos. Com a Chanel ao comando, Adam Brown vai manter-se ao leme criativo da marca e Paul Donoghue continuará a ser o CEO. Segundo a Chanel, as duas marcas partilham valores e haverá sinergias óbvias entre a Orlebar Brown e a Eres. A Orlebar Brown deverá ainda ajudar a Chanel no digital, numa altura em que as marcas de luxo começam a perceber a importância das vendas online. A marca de swimwear masculino foi fundada inicialmente como um negócio puramente online e só se expandiu mais tarde para o retalho físico, tendo aberto 24 lojas em 11 países e estando disponível em mais 250 pontos de venda. Contudo, 40% das suas vendas (acredita-se que o volume de negócios deve rondar os 28 milhões de euros) são ainda realizadas online. Para a Orlebar Brown, há igualmente vantagens em ficar sob a alçada da Chanel, antecipando-se um crescimento rápido na Europa, nos EUA e na Ásia. A marca britânica, de resto, tem uma forte história por detrás. Fundada por Brown, um fotógrafo, quando este não conseguia encontrar calções de banho para si próprio que ficassem bem fora da água, acabou por alargar a sua oferta a partes de cima, sapatilhas casuais, vestuário para meninos e peças customizadas pelos consumidores. A Orlebar Brown tem uma longa lista de clientes famosos e a aparição de Daniel Craig, no papel de James Bond, num filme com uns calções da marca foi a melhor publicidade. Jay-Z, David Gandy, Damien Lewis, Michael Fassbender e o ex-Primeiro-Ministro do Reino Unido, David Cameron, também já foram fotografados com modelos da Orlebar Brown.

3Bangladesh na rota da seda

A indústria da seda do Bangladesh é uma das mais antigas do mundo, com os produtores na região noroeste de Rajshahi a produzirem alguns dos fios de seda mais procurados. Esta região é especializada em seda de elevada qualidade produzida pelos bichos-da-seda que se alimentam de folhas frescas de amoreira. Mas a indústria de seda do Bangladesh foi duramente afetada nos anos 1990 e 2000 pelo que os responsáveis chamam de má política governamental, que permitiu que seda chinesa de qualidade inferior invadisse o mercado. Mas o país está agora empenhado em revitalizar esta indústria e criar centenas de milhares de postos de trabalho. «A sericultura tem uma enorme perspetiva de crescimento se cuidarmos dela adequadamente», afirma Abdul Hakim, presidente do Conselho de Desenvolvimento da Seda. À AFP, o dirigente revelou que o número de produtores de bichos-da-seda diminuiu de 10 mil para cerca de 2 mil em apenas alguns anos. «O nosso plano é trazer especialistas chineses e formar os nossos produtores. Isso vai aumentar a nossa produção de seda», explicou. Com o crescimento da economia do Bangladesh, que registou um aumento de 7,5% no ano passado, a procura por seda de Rajshahi multiplicou várias vezes, garantiu à AFP Akhi Akter, supervisora na fábrica de seda Sopura, uma das maiores produtoras de seda do país. Um sari de seda de Rajshahi de qualidade média custa atualmente cerca de 100 dólares (aproximadamente 87,50 euros) e artigos em seda premium podem ascender a mais de 250 dólares no mercado local. «Há um enorme potencial mercado de exportação para a nossa seda», sublinhou Akter.

4Uniqlo abre a maior loja em Manila

A retalhista de vestuário Uniqlo abriu a sua maior loja no sudeste asiático em Manila, nas Filipinas. A insígnia da Fast Retailing inaugurou ao espaço de 4.100 metros quadrados no bairro de negócios de Makati na passada sexta-feira, 5 de outubro, elevando o número de pontos de venda no país para 52 – o que representa o quarto maior número de espaços comerciais fora do Japão. A Uniqlo indicou que está a apostar na população jovem e que fala inglês das Filipinas, assim como no crescimento do turismo, para aumentar as vendas. «Temos muito espaço para crescer tendo em conta o tamanho da economia filipina e o seu potencial de desenvolvimento», afirmou o diretor-executivo da Uniqlo para o sudeste asiático e Oceania, Satoshi Hatase. «Está longe de estar saturado», acrescentou. A loja abriu numa altura em que os preços ao consumidor nas Filipinas têm aumentado ao ritmo mais elevado na Ásia. A inflação acelerou 6,7% em setembro, o valor mais alto em nove anos, elevando os preços dos produtos alimentares e combustíveis. Com planos para entrar no Vietname até 2019 e mudar para lojas maiores e de rua na região, a retalhista nipónica está no caminho para atingir o seu objetivo de triplicar as vendas no sudeste asiático para 300 mil milhões de ienes (cerca de 2,3 mil milhões de euros) até 2022, em comparação com 100 mil milhões de ienes em 2017. A expansão coloca a Fast Retailing numa forte posição para capitalizar a crescente classe média na região, apontou Thomas Jastrzab, analista da indústria na Blooberg Intelligence. «Os básicos com bom valor da Uniqlo, como as t-shirts e as saias, devem atrair os consumidores preocupados com o orçamento que têm de lidar com o aumento da inflação», referiu Jastrzab.

5Novo revestimento mantém edifícios frescos

Os edifícios já estão a ser pintados para ajudar a que se mantenham frescos no interior, reduzindo a utilização de ar condicionado e o custo energético e ambiental a ele associado. Mas uma equipa de investigadores da Universidade de Columbia está a ir mais longe, tendo desenvolvido um novo tipo de revestimento que pode melhorar a eficiência energética. «É como neve», admite Yuan Yang, professor assistente de ciência e engenharia dos materiais em Columbia. A neve, elucida, é composta por cristais de gelo microscópicos que criam pequenas bolsas de ar capazes de dispersar a luz – o efeito que faz com que a neve seja branca, em vez de transparente como o gelo, e altamente refletora. Os investigadores conceberam um revestimento polimérico que tem também bolsas de ar à escala micro e nano que o tornam branco. «A nossa tinta pode ser muito mais refletora do que a tinta normal», garante Yang. A tinta normal pode refletir até 85% da luz solar. O novo revestimento, dependendo da espessura com que é aplicado, pode refletir até 99% (se for usado com tinta de cor é menos eficiente e é também menos eficiente em áreas com elevada humidade). Numa cidade quente e seca, o revestimento branco pode manter um edifício a uma temperatura cerca de 12ºC inferior à temperatura exterior num dia de verão.

6Guarda-chuvas de Luís Onofre chegam às lojas

O universo de acessórios de Luís Onofre cresceu e, depois de ter os ter apresentado no desfile no Portugal Fashion em março, os guarda-chuvas do designer estão agora a chegar às lojas, a tempo dos primeiros pingos que se devem fazer sentir ainda esta semana. No total, Luís Onofre oferece 15 modelos de guarda-chuvas, produzidos em Itália com telas “premium” estampadas com flores ou penas de pavão, e cabos em resinas e metais de «alta qualidade», decorados com bolas de bilhar ou flamingos. Os novos acessórios chegam no ano em que o designer celebra o 18.ª aniversário da marca Luís Onofre, comemorados ainda com um novo logótipo, criado para marcar a efeméride, e com uma linha de carteiras de edição limitada.