Início Breves

Breves

  1. Decenio reinventa-se aos 25
  2. Zalando põe fim à Bread & Butter
  3. Zippy lança luvas solidárias
  4. Gap convida 8 marcas “quentes”
  5. FashionDeli em modo natalício
  6. O momento saudável do comércio de rua no Porto

1Decenio reinventa-se aos 25

A marca portuguesa está a celebrar 25 anos de atividade com os olhos postos na renovação e na abertura de novas lojas. «De Norte a Sul de Portugal é possível perceber que as lojas Decenio estão a mudar, estão a ficar mais frescas e acolhedoras, estão mais charmosas. Luz, tons neutros, móveis de linhas retas e simples e um espaço de exposição feito para permitir que as peças estejam visíveis e acessíveis. Entrar é um início de uma experiência que merece ser vivida», afirma Ricardo Fernandes, administrador do Grupo Cães de Pedra. Há quatro anos, o Grupo Cães de Pedra adquiriu a Decenio, que agora inicia um novo ciclo sob o conceito Decenio Mediterrano, «onde os clientes, homem e mulher, podem encontrar um estilo continuadamente de inspiração mediterrânica, focado no sul europeu, fomentador de uma forma de estar na vida que passa pelo lazer, elegância, sofisticação e, obviamente, credibilização de que esta marca está a crescer para um novo rumo que se pretende que seja de valorização», explica em comunicado. Prova da renovação é a mais recente reabertura no Funchal, no passado mês de novembro, localizada no Madeira Shopping. Nos últimos meses a marca remodelou ainda a loja do Marshopping em Matosinhos, a nova loja de rua em Leiria, as lojas na Covilhã e na Guarda, no Serra Shopping e no La Vie Guarda, respetivamente, e o espaço no Designer Outlet Algarve em Loulé.

2Zalando põe fim à Bread & Butter

A feira de moda Bread & Butter, sob a chancela da Zalando, que se realizava anualmente em Berlim, não terá continuidade em 2019, revelou o seu cofundador David Schneider ao jornal alemão Handelsblatt. A plataforma de comércio eletrónico assumiu a liderança da Bread & Butter em 2015, depois da falência dos fundadores da feira no ano anterior. A Zalando relançou a feira em 2016 e abriu-a ao público num evento que se realizava ao fim-de-semana. O objetivo foi «democratizar a moda», tendo a organização criado um espaço na feira dedicado a stands pop-up para marcas que vendessem na plataforma Zalando. Uma exposição de Vivienne Westwood e concertos de artistas como A$AP Rocky ajudaram a aumentar a atratividade da feira a nível internacional. Em 2018, a Bread & Butter registou um recorde de 35 mil visitantes e esteve completamente esgotada nos três dias do evento, contando com presença de marcas como a Mac Cosmetics, Nike, Vans e Adidas. No entanto, a Zalando decidiu cancelar o evento, pelo menos em 2019. David Schneider explicou ao Handelsblatt que o cancelamento esteve relacionado com a dimensão e o valor do evento face à estratégia geral da plataforma de comércio eletrónico. «Criámos um conceito extraordinário ao longo de três anos, que nos trouxe muita experiência e sucesso», afirmou Schneider. «Tudo o que investimos tem que ser estratégico e, simultaneamente, expansível. Com a Bread & Butter simplesmente atingimos os nossos limites», acrescentou. David Schneider avisou que é muito cedo para falar num eventual regresso em 2020, mas confirmou que a Zalando irá manter os seus direitos sob a Bread & Butter. O responsável também abordou a possibilidade de trabalhar num formato de “pop up” para públicos internacionais, admitindo que poderá ser possível trabalhar com a marca «em cidades selecionadas» para eventos futuros. Schneider referiu ainda que, com o encerramento da feira, a Zalando terá, provavelmente, que despedir cerca de 20 pessoas, acrescentando que plataforma iria tentar contratar os trabalhadores da Bread & Buter que quisessem permanecer com a retalhista online. Quando questionado se a opção por descontinuar a feira estaria relacionada, de algum modo, com os resultados financeiros da Zalando, David Schneider negou essa possibilidade. As ações da empresa desceram de forma contínua ao longo do ano, diminuindo do recorde de 30,41 dólares (cerca de 27 euros) em janeiro para 15,25 dólares em novembro, o que representa uma queda de cerca de 50%.

3Zippy lança luvas solidárias

A marca de vestuário infantil do grupo Sonae criou o projeto Gloves, em parceria com a fundação Make a Wish. Trata-se de luvas especiais, desenvolvidas pela Zippy, que podem ser usadas por pais e filhos, com o objetivo de reforçar o sentimento de união. Por cada par de luvas vendidas, um euro reverte a favor da fundação Make a Wish Portugal, com o objetivo de contribuir para tornar realidade os sonhos de crianças e jovens com doenças graves, progressivas, degenerativas ou malignas. «Este é um projeto que toda a equipa Zippy acarinha de uma forma especial. Idealizámos umas luvas que pudessem reforçar o conceito de togetherness – o sentimento de unidade entre pais e filhos -, e que ao mesmo tempo pudessem ser um símbolo de solidariedade e espírito natalício. Queremos que as Gloves possam contribuir para concretizar os sonhos de algumas crianças em Portugal», afirmou Filipa Bello, diretora criativa da Zippy. As luvas estarão disponíveis a partir de 5 de dezembro em todas as lojas da marca, incluindo online.

4Gap convida 8 marcas “quentes”

A marca norte-americana desafiou a oito grandes marcas – Balmain, Dsquared2, MSGM, No Vacancy Inn, Officine Générale, Opening Ceremony, Stampd e Surf is Dead – a reinventarem sua clássica camisola para homem. O resultado foi uma camisola de gola redonda e sete diferentes hoodies, em que cada peça combina o logotipo da marca com a imagem da Gap. As propostas variam em estilos e estéticas, desde a versão overszie da MSGM até às cores vibrantes da Surf is Dead. Cada marca associou-se a uma diferente organização sem fins lucrativos, para onde será dirigida parte dos lucros. «A coleção deste ano coloca enfase numa peça clássica da Gap, com colaborações entusiasmantes do universo masculino. Representa o melhor do programa “Coolest Designers on the Planet” e a influência global do vestuário de homem na peça que todos queremos vestir», afirmou o editor da GQ, Jim Nelson. A revista masculina GQ e a marca Gap têm trabalhado juntas, na coleção GQ for Gap, desde 2017, com o objetivo de dar voz a designers emergentes de vestuário masculino dos EUA. A nova coleção está disponível nas lojas da Gap, com os preços a oscilarem entre os 78 e os 148 dólares.

5FashionDeli em modo natalício

No dia 14 de dezembro, o mercado FashionDeli está de volta ao Second Home Lisboa, no Mercado da Ribeira. O espaço, normalmente só aberto para membros, dedicado à criatividade e diversão, irá contar com peças de designers portugueses. O objetivo é «alterar a maneira como as pessoas olham para a moda», refere a organização em comunicado. Alexandra Moura, Antiflop, Cask, Jolie Su, Leonor Silva Jewellery, Marta Pinto Ribeiro Nomera Jewellery, Susana Bettencourt e Valentim Quaresma são as marcas já confirmadas. O espaço estará aberto das 16 às 22 horas.

6O momento saudável do comércio de rua no Porto

O momento saudável do comércio de rua no Porto