Início Breves

Breves

  1. Gateway Portugal lança novas antenas
  2. Insight na ModaLisboa
  3. A invasão dos robots
  4. Tecnologia pode beneficiar “made in USA”
  5. Arte mostra tendências da Mango
  6. Guess? viaja a Palma de Maiorca

1Gateway Portugal lança novas antenas

A Gateway Portugal, especialista em soluções antifurto, está a lançar novas antenas mais leves, mais discretas e mais resistentes a riscos para evitar quebras de vendas no retalho. As novas antenas Store Protect Arctic foram criadas, segundo a empresa, a pensar em supermercados, pequenas lojas, lojas de vestuário e pontos de venda dedicados a artigos de beleza e saúde. «A série Store Protect Arctic apresenta excelente qualidade e design garantindo a segurança contra furtos. Utilizando a tecnologia AM, conta ainda com a capacidade de aceder ao sistema através da solução segura de serviço-remoto online», indica a Gateway Portugal em comunicado.

2Insight na ModaLisboa

Olhar para além do que se vê à primeira vista é o desafio lançado pela próxima edição da ModaLisboa. O evento, que se realiza de 7 a 10 de março, quer «voltar a olhar para dentro da moda, perceber que tipo de produção se faz, que género de consumidores somos, que novas gerações iremos ter, que legado vamos deixar», explica a organização em comunicado. «Queremos ser Insight porque essa introspeção nos inspira, nos obriga a reagir, a manter as dinâmicas da moda em movimento perpétuo, trabalhando as novas linguagens convocadas pelo mundo moderno, seja através da produção sustentável, da urgência sintética ou do surgimento de novos públicos e formas de consumo», acrescenta. Uma visão “por dentro” da moda que tomará forma no Pavilhão Carlos Lopes, em Lisboa, com a apresentação das coleções para o outono-inverno 2019/2020.

3A invasão dos robots

A Amazon está a testar um robot de entregas ao consumidor, batizado Amazon Scout. Como outros robots do género, é, na prática, um cesto elétrico sob rodas, com características de segurança para impedir que seja roubado ou estragado. O robot move-se a ritmo de caminhada e está atualmente a ser testado em Snohomish County, em Washington. O Amazon Scout entrega encomendas em horário laboral, de segunda a sexta-feira. Nesta fase de testes, os robots estão a ser acompanhados por humanos, para garantir que podem ultrapassar os obstáculos que eventualmente surjam. Os robots estão também a ser usados em situações de entrega reais. A proliferação deste tipo de soluções foi possível graças a grandes avanços tecnológicos nos sensores e na Inteligência Artificial, ainda que não tenha tido um grande impacto nas entregas. Entretanto, o Aeroporto de Gatwick, em Londres, está a introduzir robots no serviço de valet parking, com o objetivo de não só reduzir o stress de quem vai viajar, mas também permitir um estacionamento mais eficiente e economia de espaço. Na teoria, poderão colocar mais um terço de veículos no mesmo espaço do que os humanos conseguem. O aeroporto terá um parque com robots de serviço no verão. Os passageiros podem reservar o serviço numa aplicação e deixar o carro numa zona específica para o efeito, chamar o robot e, presumivelmente, sentir-se mais relaxado ao chegar ao terminal, enquanto o robot usa uma espécie de empilhador, com GPS, para mover o carro de forma segura. A segurança foi também tida em conta, já que o condutor não tem que entregar as chaves do carro e o facto de os carros estarem estacionados com pouco espaço entre si, faz com que sejam mais difíceis de assaltar. A aplicação liga o automóvel ao número de voo do passageiro e, por isso, o carro está pronto a ser levado quando o passageiro regressa. Esta inovação é uma estreia no Reino Unido, mas a tecnologia, da Stanley Robotics, também está a ser testada em Paris e Dusseldorf.

4Tecnologia pode beneficiar “made in USA”

Os mais recentes desenvolvimentos na fiação têm o potencial para romper com o modelo atual de aprovisionamento, a nível mundial, e alterar o custo de produção. Durante um seminário da Texworld USA, especialistas no sector discutiram como a tecnologia e a nova maquinaria estão a modificar o processo de produção. Estes fatores podem diminuir os custos a nível de produção, encorajando o investimento na produção em locais que normalmente possuem custos muito avultados, como os EUA. «Todos queremos atingir certos objetivos», afirmou David Sasso, vice-presidente de marketing e vendas na Buhler Quality Yarns/Samil Spinning Co, citado pelo Sourcing Journal. «Os consumidores querem mais qualidade, gostam de estar na moda e de produtos com valor. Os retalhistas querem ter melhores margens, o que faz com que, por vezes, diminuam os custos de produção, o que pode ter o efeito oposto em relação ao que os consumidores querem», explicou. Akitsugu Mori, gestor de produto na empresa japonesa Murata, falou acerca dos benefícios de utilizar uma máquina de fiação Vortex, que utiliza jatos de ar para fiar. As fibras formadas por estas correntes de ar fazem com que o fio apresenta com uma vasta gama de funcionalidades. «A tecnologia Vortex pode ser a resposta para a velocidade e para a redução de custos», apontou Akitsugu Mori. Além disso, à medida que as novas tecnologias e maquinaria de empresas como a Murata e a Rieter se tornam mais rápidas, «os requisitos quanto às fibras tornam-se ainda mais exigentes – como processamos fibras a alta velocidade?», questionou David Sasso. Thomas Kuettel, presidente e CEO da Rieter, referiu que, entre os quatro tipos de tecnologia de fiação, a mais recente tecnologia, o jato de ar, é 20 vezes mais rápida do que a tecnologia mais lenta, que é a fiação por anel. «Nos EUA temos uma situação favorável quanto aos custos energéticos, que são relativamente baixos», destacou Thomas Kuettel. Tal significa que, se as empresas optarem por máquinas de jato de ar, podem obter um retorno de investimento mais rapido, admitiu. O principal objetivo da inovação e de nova maquinaria, segundo Chuck Butts, assessor e técnico de vendas da Murata, é «ajudar os produtores a reduzir os custos». Para David Sasso, no entanto, é também importante falar sobre a rapidez com que os produtos podem chegar ao mercado. «Procuramos a velocidade. Estando no hemisfério ocidental, quanto mais automatizado for, mais produtivo me torno, os custos tornam-se mais próximos dos custos globais. O fator energético é importante, o fornecimento de matérias-primas nas proximidades é também essencial, assim como a capacidade de resposta rápida. Com este tipo de máquinas a tornarem-se mais acessíveis, muda toda a dinâmica do aprovisionamento», admitiu.

5Arte mostra tendências da Mango

A marca espanhola escolheu as galerias de arte contemporânea Elba Benítez e Heinrich Ehrhardt para mostrar as novas propostas para a próxima estação quente. O evento foi conduzido por Sofía Sánchez de Betak, embaixadora da Mango, que através das obras exibidas revelou as tendências da estação. Peças intemporais, como o trench coat, o blazer masculino ou a camisola rendada, fazem parte dos pilares da coleção, lado a lado com peças mais ousadas, como calções de ciclista, numa gama de tons pastel e estampados tie-dye. O evento serviu ainda para revelar os primeiros avanços da coleção Mango Commited, composta por peças desenhadas a partir de tecidos reciclados e de fibras sustentáveis que integram o projeto Take Action, que engloba as ações orientadas para a criação de um modelo de negócio mais sustentável.

6Guess? viaja a Palma de Maiorca

A ilha espanhola foi o cenário escolhido por Paul Marciano, cofundador da Guess?, para a campanha da marca para a primavera-verão 2019. Captada pela fotógrafa de moda Tatiana Gerusova e com os modelos Viki Odintcova, Kristina Krayt, Mishel Gerzig, Gulsina Kalimullina e Andrea Damante, a campanha põe em destaque as peças-chave de pronto-a-vestir para a estação quente que se aproxima, nomeadamente vestidos compridos de padrões florais e tons fortes para senhora e as camisas estampadas de manga curta e os blusões de ganga para homem. A Guess? opera diretamente 1.011 lojas de retalho nos EUA, Europa e Ásia, estando ainda à venda em 652 pontos de venda geridas por licenciados e distribuidores, em mais de 100 países em todo o mundo.