Início Breves

Breves

  1. Levi’s volta a impressionar
  2. Covilhã celebra Dia Internacional dos Monumentos e Sítios
  3. H&M impõe limite mínimo para entregas gratuitas
  4. Preços em loja atingem máximos no Reino Unido
  5. Moschino lança coleção em parceria com o The Sims
  6. Padrão Crioulo de Francisco Vidal chega à capital

1Levi’s volta a impressionar

Depois de uma estreia bem-sucedida na Bolsa de Valores de Nova Iorque e de apresentar a nova cara da linha 501 (Hailey Baldwin), a gigante do denim continua a registar resultados positivos, justificados por investimentos no comércio eletrónico e nos artigos em denim, o que conduziu ao sexto trimestre consecutivo de aumento nas receitas. No futuro haverá mais crescimento, garante a Levi Strauss, que planeia investir 200 milhões de dólares (cerca de 176 milhões de euros) na abertura 100 novas lojas ao longo do próximo ano, assim como «noutras áreas». Atualmente, a Levi Strauss opera cerca de 800 lojas a nível mundial. A gigante do denim registou 1,43 mil milhões de dólares em vendas no trimestre terminado a 24 de fevereiro, depois da abertura de 70 lojas no último ano. Por seu lado, as vendas diretas ao consumidor (lojas próprias da marca e vendas online) subiram 10%. Houve igualmente crescimento entre todas as regiões onde a Levi’s opera. No mercado americano, as receitas líquidas aumentaram 9%, na Ásia 8% e na Europa 3%. A empresa registou ainda um crescimento a dois dígitos nas receitas nos segmentos de mulher e partes de cima, enquanto o seu maior segmento, o de jeans e calções masculinos, também incrementou 6%. De igual forma, os lucros líquidos registaram resultados positivos, tendo a Levi’s atingindo os 146,6 milhões de dólares no trimestre, comparado com uma perda de 19 milhões de dólares, no ano anterior. A subida foi impulsionada por um valor acentuadamente mais reduzido de impostos, já que nos resultados de há um ano estava incluída uma cobrança de 136 milhões de dólares ligada a uma revisão fiscal dos EUA. Segundo o CEO da Levi Straus, Chip Bergh, «tanto o comércio eletrónico como as lojas físicas têm registado resultados positivos. O crescimento foi transversal às três regiões e em todos os canais, o que mostra que a nossa estratégia está a funcionar e os nossos investimentos estão a compensar».

2Covilhã celebra Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

A 18 de abril, o Museu dos Lanifícios, na Covilhã, irá juntar-se às celebrações do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, que visa promover os monumentos e sítios históricos e valorizar o património português, ao mesmo tempo que tenta alertar para a necessidade da sua conservação e proteção. A Direção-Geral do Património Cultural, em colaboração com o ICOMOS Portugal, definiu, este ano, como tema das celebrações, “Património e Paisagem Rural”. Nesse sentido, o Museu dos Lanifícios, entre as 9h30 e as 18h (com paragem entre as 12h e as 14h30), a entrada para visita das exposições permanentes é livre. Às 10h, realiza-se uma visita guiada gratuita à exposição permanente “Da Manufactura à Industrialização dos Lanifícios”. Para as 15h está marcada a inauguração da exposição de fotografia “Paisagens rurais: interioridades”, na Real Fábrica de Panos. A mostra fotográfica, que ficará patente até 19 de maio, é da autoria de Diana Lurdes Guerra e Glaucia Benites, alunas do mestrado em Estudos de Cultura da Universidade da Beira Interior (UBI), sob orientação de Gabriel Magalhães. De acordo com o Museu dos Lanifícios, a exibição conta com «fotografias documentais de pastores/cabreiros e das paisagens envolventes, acompanhadas de relatos e de sons da interioridade». Pelas 16h, na Real Fábrica Veiga, decorre a palestra “Os negociantes de lanifícios e a justiça”, de José Avelino Gonçalves (Juiz Desembargador e Presidente da Comarca de Castelo Branco). Por último, está marcada para as 17h uma visita guiada à exposição documental “A Justiça e os lanifícios na Covilhã nos séculos XIX-XX”, organizada pelo Tribunal Judicial da Covilhã (Comarca de Castelo Branco), em parceria com a UBI e o Museu de Lanifícios, que ficará patente até 26 de maio.

3H&M impõe limite mínimo para entregas gratuitas

A retalhista sueca reintroduziu o pagamento de taxas nas entregas das compras online para os membros do H&M Club. O objetivo é diminuir os custos logísticos e restaurar a rentabilidade. O H&M Club inclui 16 das marcas do grupo, está em 71 mercados e, até ao final do ano, deverá chegar a sete novos países, incluindo os EUA. A segunda maior retalhista de vestuário do mundo, na qual a marca própria H&M representa a maior parte das vendas, tem investido para ir de encontro às necessidades dos consumidores, depois de, nos últimos anos, ter registado sucessivas quedas nos lucros e acumulado grandes quantidades de inventário. No H&M Club existem dois escalões para os membros: o “base” e o “plus”, que dependem de quantos pontos os clientes têm, explicou Samuel Holst, diretor do H&M Club. Os membros de nível “base” da Alemanha, o maior mercado do grupo sueco, vão precisar de gastar pelo menos 25 euros para que a entrega seja gratuita. No mercado doméstico, o valor mínimo é de 200 coroas suecas (cerca de 19 euros). «Temos muitos custos logísticos nas vendas online. Para o nível “plus”, as entregas vão continuar a ser gratuitas em todas as compras. Contudo, para o nível “base”, haverá valores mínimos» revelou Holst à Reuters, acrescentando que as devoluções continuarão a não ter nenhum custo para todos. Samuel Holst não adiantou quanto a H&M espera economizar com esta decisão. O número de membros do H&M Club duplicou, em 2018, para 30 milhões, impulsionado pela introdução das entregas e devoluções grátis para todos os membros. No primeiro trimestre de 2019, juntaram-se mais cinco milhões de pessoas. Os membros ganham pontos em função do número de compras que realizam, com a avaliação e classificação das compras e se interagirem com a H&M na aplicação móvel.

4Preços em loja atingem máximos no Reino Unido

Segundo o British Retail Consortium, no Reino Unido, os preços ao consumidor registaram, em março, a maior subida dos últimos seis anos, devido, sobretudo, ao aumento do custo de alimentos não perecíveis. Em território britânico, os preços em loja evidenciaram uma subida anual de 0,9% em março, comparada com o crescimento de 0,7% em fevereiro, sendo a maior taxa de inflação desde março de 2013. A força impulsionadora por detrás deste aumento foi a aceleração nos preços dos artigos alimentares, que conheceram uma subida anual de 2,5%, em março, face a um crescimento de 1,6% de fevereiro. Os preços dos produtos alimentares não perecíveis atingiram a taxa mais alta desde fevereiro de 2013, ou seja, um aumento anual de 3,4% em março e um crescimento acentuado em relação à subida de fevereiro, que foi de 1,5%. Um aumento global nos preços dos cereais e as condições prejudiciais na produção de cebolas, batatas e couves no Reino Unido, no ano passado, impulsionaram os preços totais, refere o British Retail Consortium. Com a contínua incerteza do Brexit, os riscos de crescimento da inflação irão persistir, segundo a presidente do British Retail Consortium, Helen Dickinson. «Um Brexit sem acordo e caótico poderá conduzir a preços mais altos e menos escolhas nas prateleiras», alerta. Os preços dos bens não alimentares permaneceram inalterados em relação a março de 2018, um abrandamento em relação ao aumento de 0,2% em fevereiro. Os retalhistas online continuaram a baixar os preços do vestuário e artigos eletrónicos.

5Moschino lança coleção em parceria com o The Sims

Jeremy Scott, diretor criativo da Moschino, será o anfitrião da festa anual do estúdio Electronic Arts, que desenvolve o jogo virtual, com o objetivo de celebrar o lançamento de uma nova coleção colaborativa. Inspirada no jogo de simulação da vida real, a nova colaboração inclui artigos de vestuário e acessórios, misturando elementos icónicos do jogo em peças da Moschino. Na prática, as oito peças terão efeitos pixelizados para criar o efeito virtual do The Sims. «Adoro a ideia de poder imaginar, desenhar e dar vida a um mundo de pessoas únicas com o universo de The Sims», afirma Jeremy Scott. «Este conceito espelha todas as possibilidades do que posso fazer para cada coleção na Moschino, enquanto crio um universo de fantasia repleto de histórias e personagens fantásticas», acrescenta. A coleção estará disponível a partir do dia 13 de abril em todas as lojas Moschino, bem como na plataforma da marca italiana.

6Padrão Crioulo de Francisco Vidal chega à capital

A partir deste sábado, 13 de abril, pelas 17h, o espaço Espelho D’Água, em Lisboa, acolhe a exposição de Francisco Vidal, artista lisboeta que mistura origens cabo-verdianas e angolanas. Depois de ter passado por cidades como Londres, Nova Iorque, Berlim ou Bruxelas, foi em Angola que Francisco Vidal começou a desenhar os seus primeiros retratos, enquanto dava aulas de arquitetura em Luanda. O trabalho do artista retrata as figuras mais marcantes da história da política e da cultura africanas. O fruto deste trabalho, onde todos os retratos são desenhados em cima de padrões – também eles representativos de momentos como o pós-colonialismo, do qual Francisco Vidal se considera descendente – chegam agora ao Espaço Espelho D’Água, onde estarão patentes até 25 de maio.