Início Breves

Breves

  1. Inditex supervisiona sustentabilidade
  2. Usar o telemóvel durante as compras aumenta gastos
  3. Amazon lança drone que entrega encomendas
  4. O renascimento do retalho inclui lojas pop-up
  5. O algodão que engana da Teijin
  6. A importância das entregas gratuitas

1Inditex supervisiona sustentabilidade

A gigante espanhola vai criar, dentro do seu conselho de administração, um comité para a sustentabilidade, que tem como objetivo supervisionar as estratégias e o cumprimento das mesmas no grupo. A decisão foi anunciada aquando da revelação dos mais recentes resultados da Inditex, que deram nota de uma subida de 10% nos lucros líquidos no primeiro trimestre de 2019, devido a um crescimento recorde das vendas, para 5,9 mil milhões de euros. Além de supervisionar «o compromisso da Inditex para a sustentabilidade», o novo comité irá vigiar os esforços levados a cabo na cadeia de aprovisionamento e a relação entre os vários agentes envolvidos em questões ecológicas. Além disso, deverá verificar o cumprimento das normas de segurança e dos direitos humanos do grupo em toda a cadeia de aprovisionamento e qualquer assunto ou iniciativa que possa ter impacto na pegada ecológica do grupo. Entre as várias iniciativas apresentadas pela Inditex durante o trimestre, destaque para o projeto de investigação com o MIT (Massachussetts Institute of Technology) para investigar novas técnicas de reciclagem, no valor de 3,5 milhões de euros.

2Usar o telemóvel durante as compras aumenta gastos

Quando os consumidores usam o telemóvel enquanto realizam as suas compras em supermercados, a conta aumenta, em média, 41%. A revelação é de um estudo realizado pela Stockholm School of Economics, da Suécia, pela Universidade de Bath, do Reino Unido, pela Babson College, de Massachusetts, e pela Universidade do Tennessee (ambas nos EUA). A investigação revela que os consumidores que utilizam os telemóveis enquanto realizam compras em lojas físicas se movem mais lentamente, o que significa que caminham entre mais corredores e, por isso, estão expostos a mais produtos. Os consumidores foram monitorizados enquanto usavam óculos de rastreamento ocular durante uma ida as compras. Ainda que 41% possa parecer um valor elevado, nos dois cenários que a Stockholm School of Economics analisou, os consumidores, enquanto usavam o telemóvel, acrescentaram mais 45% e 58% de artigos aos seus cestos. Além de visitarem mais corredores, acabam por ver mais produtos, o que, defendem os investigadores, acaba por distrair os consumidores das suas listas de compra e do caminho que normalmente fazem. Quando veem mais artigos nas prateleiras, ficam confusos em relação aos artigos que lhes fazem realmente falta, ou acabam por ver ofertas especiais que, de outra forma, não teriam reparado. Carl-Philip Ahlbom, da Universidade de Bath, explica que «os retalhistas normalmente estão preocupados em relação à utilização do telemóvel, pois acreditam que pode distrair os consumidores e fazer com que gastem menos dinheiro. Foi por isso que ficamos tão surpreendidos por descobrir um efeito totalmente contrário. As descobertas foram claras – quanto mais tempo ao telemóvel, mais dinheiro se gasta».

3Amazon lança drone que entrega encomendas

A tecnologia está a ter um impacto cada vez maior no retalho e a gigante norte-americana está na fila da frente no que toca a inovações. O mais recente desenvolvimento é um drone que poderá, em breve, entregar encomendas nas casas dos clientes. O denominado Prime Air Hybrid Drone levanta na vertical e depois inclina-se na horizontal como um avião. O drone usa uma série de sensores que a Amazon garante que lhe permitirão voar sem ameaçar as aeronaves tradicionais ou as pessoas em terra. «O design é maravilhoso», afirma Gur Kimchi, vice-presidente da Amazon Prime, ao LA Times. «A performance é simplesmente incrível. O seu sistema autónomo faz do dispositivo seguro», explica. O drone tem a capacidade de fazer entregas até cerca de 12 quilómetros a partir de um armazém da empresa, em 30 minutos, e consegue carregar encomendas com cerca de 2 quilos.

4O renascimento do retalho inclui lojas pop-up

Com o crescimento do comercio eletrónico, há novas desafios para as lojas físicas. Porém, os consumidores ainda olham para os espaços físicos como parte importante da experiência de compras. O uso das conhecidas lojas pop-up tornou-se, cada vez mais, um elemento importante para a estratégia das marcas, segundo um estudo conjunto entre a Universidade da Carolina do Sul e a plataforma Storefront. Mais de 80% dos 600 retalhistas internacionais questionados afirmam que tiveram pelo menos uma loja pop-up e consideram que foi um sucesso. O estudo, que inquiriu responsáveis de marcas online e retalhistas, revela que mais de 58% admitem estar interessados em abrir uma loja pop-up no futuro. Em vez de olharem para estes espaços como uma forma de impulsionar as vendas de forma instantânea, as marcas visam criar relações duradouras com atuais e potenciais clientes. Dos inquiridos, 63% frisam que a hipótese de desenvolver uma ligação pessoal com os consumidores foi uma das principais razões para apostarem numa loja pop-up. Gerar “buzz” ou fazer com que as pessoas falem sobre a marca foi outra das razões citadas por 66% dos inquiridos. Cerca de metade (46%) afirmou que a introdução de um novo produto esteve entre uma das principais justificações para investir numa loja pop-up. «O renascimento do retalho está relacionado com a experiência do cliente. As vendas podem ser feitas online, mas, a criação de uma relação pessoal e de uma envolvência duradoura deve ser feita pessoalmente», considera o docente da Universidade da Carolina do Sul, Mark Rosenbaum.

5O algodão que engana da Teijin

A Teijin Frontier, unidade de conversão de fibras do conglomerado japonês Teijin Group, desenvolveu um novo têxtil de alta performance em poliéster, semelhante ao algodão, produzido a partir de matérias-primas recicladas. O novo material combina o aspeto e textura do algodão com diferentes propriedades intrínsecas do poliéster, como uma maior capacidade de absorção de humidade, uma secagem rápida e proteção contra a radiação ultravioleta. As suas semelhanças ao algodão são conseguidas através da utilização de um filamento de poliéster – não uma fibra cortada – obtido a partir de polímeros reciclados. «A procura por têxteis altamente funcionais está a crescer em linha com a popularidade do athleisure e da utilização do vestuário de outdoor no quotidiano», afirma a empresa. «Os têxteis convencionais para desporto e outdoor absorvem a humidade e reduzem rapidamente a temperatura, mas não são adaptáveis para o uso diário devido às suas texturas pouco naturais. Os têxteis de algodão e de misturas de algodão são usados com frequência, mas são pouco confortáveis quando o utilizador transpira», explica. A inovação será incluída na coleção da Teijin de desportos de inverno e outdoor para o outono-inverno 2020/2021.

6A importância das entregas gratuitas

Além de representarem um custo elevado para quem vende online, as entregas livres de custos para os consumidores são também vistas como um fator que os encoraja a fazerem mais encomendas e a devolverem a maioria delas. No entanto, um estudo da Whistl, no Reino Unido, sugere que tal pode não ser o caso. A investigação revela que as entregas gratuitas não aumentam o volume de encomendas devolvidas e, dada a grande procura pelas mesmas, podem, pelo contrário, impulsionar fortemente as vendas. A maioria dos consumidores não paga pelas entregas e não quer pagar pelas devoluções, por isso, as empresas que oferecem estas opções são mais atrativas, segundo a Whistl, que não indicou quantas pessoas abordou nem que empresas inquiriu. A investigação mostra que as empresas «que oferecem entregas gratuitas nas compras online não registaram um aumento no número de artigos devolvidos». A Whistl refere que cerca de 60% dos inquiridos não pagam pelas entregas. E apesar das compras de vestuário, calçado e dispositivos eletrónicos terem uma taxa de devolução mais elevada do que a das restantes das categorias, tal não se deve às entregas gratuitas. Os consumidores procuram «boas» políticas de devolução, e o que significa «boas»? Os consumidores do Reino Unido referem que o fator mais importante são as entregas gratuitas e os portes pré-pagos, seguido dos reembolsos rápidos. O fator idade também influenciou as escolhas, já que quem procura entregas gratuitas são maioritariamente mulheres entre os 55 e os 75 anos, a viverem no sudeste do Reino Unido.