Início Breves

Breves

  1. Vilebrequin simplifica processos com a Gerber
  2. APICCAPS na montra da Livraria Lello
  3. Nigéria quer reavivar indústria do algodão
  4. Blockchain melhora transparência na moda
  5. Lively traz millennials para a Wacoal
  6. Tingimento de fios regressa aos EUA

1Vilebrequin simplifica processos com a Gerber

A marca de swimwear está a apostar em soluções digitais para aumentar a velocidade de desenvolvimento de produtos e criar mais oportunidades de customização. A Vilebrequin irá criar três coleções por ano, com diferentes coleções-cápsula entre as mesmas, o que irá originar um maior volume de trabalho. A empresa usa as soluções YuniquePLM e a AccuMark, da Gerber Technology, para centralizar toda a informação, tornando-a facilmente acessível para todos os membros da equipa e possibilitando que várias coleções possam ser criadas ao mesmo tempo. As ferramentas tecnológicas permitem «digitalizar e agilizar os processos para aumentar a eficiência da produção, enquanto melhora a qualidade e os ajustes», garante Christian Roche, diretor de informática da Vilebrequin. O Yunique PLM V8 oferece um acesso fácil a atualizações, uma interface renovada fácil de utilizar e integra facilmente outros programas, como o Adobe Illustrator, através do Design Suite Plugin, facilitando a importação de dados entre diferentes programas. A insígnia usa também o software de design de moldes da Gerber, o AccuMark 12.1, que permite transferir dados para toda a cadeia de aprovisionamento, agilizando a distribuição de trabalho, melhorado os ajustes e a qualidade e garantindo a consistência. «Com desenvolvimentos em novas áreas, a Vilebrequin está a diversificar e a aumentar a sua oferta, o que significa que precisamos de melhorar a comunicação dentro da nossa equipa», acrescenta Aurelie Tondella, diretora de planeamento estratégico e publicidade.

2APICCAPS na montra da Livraria Lello

No âmbito da colaboração entre a APICCAPS – Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes, Artigos de Pele e Seus Sucedâneos e a Livraria Lello, o designer e presidente da APICCAPS, Luís Onofre, foi convidado para recriar os icónicos sapatos vermelhos da famosa personagem Dorothy da história “O Feiticeiro de Oz”. O par ficará exposto na montra da livraria portuense durante dois meses. Foi igualmente lançada uma edição especial do livro, que contou com a colaboração do designer, que assina o prefácio. A Livraria Lello recebe em média 4.500 visitantes por dia.

3Nigéria quer reavivar indústria do algodão

No sentido de revitalizar a indústria têxtil e do algodão, a Nigéria é o mais recente membro do International Cotton Advisory Council (ICAC). O objetivo é impulsionar a rentabilidade na produção da matéria-prima. Formado em 1939, o ICAC é uma associação de nações produtoras e consumidoras de algodão, que ajuda os países membros a manterem a viabilidade económica no sector do algodão. A organização potencia ainda uma maior transparência no mercado mundial de algodão ao funcionar como centro de divulgação de informações técnicas e serve ainda como fórum para discussão de questões relacionadas com o algodão de importância internacional. A Nigéria torna-se assim o 29.º membro do ICAC e o 11.º país africano. A indústria têxtil representou outrora cerca de 25% dos postos de trabalho do sector produtivo da Nigéria e o governo tem vindo a trabalhar para reavivar a indústria têxtil do país, tendo em conta que transformar algodão em têxteis e em produtos finais gera mais receitas do que a exportação da própria matéria-prima, o que poderá conduzir a salários mais altos e à criação de postos de trabalho. Contudo, primeiramente é necessário potenciar a indústria do algodão – e o ICAC refere que, além de tratar das publicações e dos dados, está atualmente a trabalhar em duas «grandes iniciativas» que terão um forte potencial para a Nigéria. A primeira é uma aplicação móvel interativa, que funciona através de voz, permitindo aos produtores diagnosticar e tratar pestes, mesmo que sejam analfabetos. A segunda iniciativa é uma ferramenta de realidade virtual que permite aos cientistas e aos investigadores visitar virtualmente um terreno de cultivo de algodão, analisar as práticas levadas a cabo e observar as diferentes fases de desenvolvimento da planta. «A Nigéria é um país produtor essencial na África Ocidental e a sua integração mostra não apenas a importância do algodão na sua economia, mas também a importância do ICAC e do seu papel na promoção de um negócio saudável, sustentável e viável do ponto de vista económico para os seus membros», refere Kai Hughes, diretor-executivo do ICAC.

4Blockchain melhora transparência na moda

A startup alemã Retraced lançou uma solução tecnológica, que tem como base a tecnologia blockchain, para aumentar a transparência na cadeia de aprovisionamento. A empresa está a usar a plataforma de blockchain Hyperledger Fabric da Oracle como base da sua nova ferramenta, que foi apresentada pela marca Cano Clothing Company, cujo calçado em pele é produzido no México. A solução da Retraced recolhe informação acerca da cadeia de aprovisionamento da Cano Clothing Company e disponibiliza-a para o consumidor final – ligando os consumidores com os produtores dos artigos e revelando informação acerca das matérias-primas e dos processos produtivos. Adicionalmente, a empresa pode recolher informação útil para ajudar a tornar a cadeia de aprovisionamento mais eficiente. Além disso, uma aplicação móvel, prestes a ser lançada, irá permitir aos consumidores digitalizarem o seu calçado para saberem mais informações acerca do tipo de pele, que processos foram usados na produção do couro e mesmo conhecer os artesãos que transformaram a pele em calçado. «Trabalhar com uma marca ética como a Cano permite-nos realizar mais testes e melhorar a flexibilidade da solução, enquanto simultaneamente ajudamos os clientes da marca a ficarem mais informados acerca dos padrões éticos e sustentáveis de produção da empresa», explica o cofundador da Retraced, Lukas Pünder. A empresa pretende ampliar a solução, começando pelo mercado alemão de moda sustentável.

5Lively traz millennials para a Wacoal

A japonesa Wacoal Holdings Corp irá adquirir a Intimates Online por 85 milhões de dólares (cerca de 75 milhões de euros), numa aquisição que lhe dá um maior acesso ao mercado dos millennials. Conhecida pela sua marca Lively, uma marca de lingerie inclusiva, a Intimates Online foi lançada em 2016 por Michelle Cordeiro Grant, antiga diretora comercial da Victoria’s Secret. A empresa criou uma comunidade de mais de 80 mil embaixadores da marca, através de marketing digital, e opera lojas em Nova Iorque e em Chicago. Até ao momento, a Lively já angariou 15 milhões de dólares em fundos de capital de risco, incluindo o investimento de 6,5 milhões de dólares da GGV Capital, da NF Ventures e do antigo CEO da Nautica, Harvey Sanders. A NF Ventures é detida pela Gelmart International, produtora de roupa íntima, que foi a primeira investidora na empresa, tendo criado uma unidade produtiva para a Lively, de forma a agilizar a cadeia de aprovisionamento, impulsionar a inovação e aumentar a sua flexibilidade. A aquisição, por parte da Wacoal International, empresa-mãe da marca Wacoal America, prevê a manutenção de Michelle Cordeiro Grant como CEO. A Wacoal Intenational refere que a Lively «traz consigo uma grande comunidade de consumidores millennials», que diferem da sua atual base de clientes, permitindo às duas marcas crescerem através do marketing digital e do comércio eletrónico. A Lively terá também acesso aos recursos produtivos e canais de distribuição da Wacoal. «A marca Lively tem um grande potencial mundial que pode ser ampliado com o apoio global corporativo da Wacoal», assegura Bob Vitale, presidente e CEO da Wacoal America.

6Tingimento de fios regressa aos EUA

A norte-americana Meridian Specialty Yarn Group (MSYG) abriu aquela que garante ser a primeira unidade de tingimento de fio e fibras a ser construída nos EUA nas últimas duas décadas, representando a única unidade de tingimento do género no país. A empresa, que fornece várias indústrias, incluindo a do vestuário, refere que a nova unidade, de aproximadamente 10.776 metros quadrados, localizada em Valdese, Carolina do Norte, entrou em operação no início de julho. Até esse momento, todas as fibras acrílicas tingidas pelos produtores dos EUA eram importadas. «A nossa nova tecnologia dá-nos a capacidade de processar cada fibra nas várias formas. Isto é muito pouco usual no mundo do tingimento de fios», explica Tim Manson, presidente da MSYG. «Conseguimos tratar e tingir quimicamente todos tipos de fibras, das celulósicas às fibras de origem animal, passando pelo poliéster, poliamida, até à fibra aramida. A maioria das empresas de tingimento especializam-se em produtos em específico, porém, estamos agora em posição de aprovisionar de todo o mundo, todo o tipo de fibras têxteis, suportando uma grande amplitude de aplicações finais», acrescenta. A tecnologia da nova unidade da empresa irá permitir também uma entrega mais rápida à cadeia de aprovisionamento da América do Norte, para todas as indústrias que a empresa serve. A MSYG acrescenta que, ao usar tecnologia, maquinaria e robótica inovadoras, este tipo tingimento posiciona a empresa como a mais moderna, no que toca a tecnologia, da América do Norte.