Início Breves

Breves

  1. Colete inteligente da Linde ganha prémio
  2. Covid-19 provoca recessão do comércio internacional
  3. Vietname procura matérias-primas na Índia
  4. Mango nomeia novo CEO
  5. Invista mantém confiança na China
  6. Marca outdoor Montane muda de mãos

1Colete inteligente da Linde ganha prémio

A Linde Material Handling lançou um colete interativo com um sistema de segurança que avisa antecipadamente os condutores de empilhadores de situações perigosas. A peça de vestuário inteligente garantiu à Linde, responsável pela criação do produto, o prémio Dekra 2019 mesmo antes do lançamento no mercado. O artigo possui uma funcionalidade de aviso audível altamente visível e faz parte do sistema de assistência Safety Guard da empresa, que pretende aumentar a segurança dos condutores e peões nas suas imediações, ao transmitir sinais de rádio de banda ultra larga através de paredes e portas, uma vez que a falta de dispositivos de segurança pode refletir-se com consequências graves para os trabalhadores nas mais variadas situações. «É importante que os pedestres e motoristas sejam avisados de forma confiável e em tempo útil. Com o nosso colete de segurança interativo, isso pode ser alcançado de forma extremamente eficaz, muito antes de alcançar o campo de visão do outro», afirma Benjamin Reis, especialista em segurança e Chefe de Vendas de Segurança da Linde Material Handling.

2Covid-19 provoca recessão do comércio internacional

A chegada do novo Coronavírus está a ter impacto económico nos mais variados sectores e, para o comércio internacional, o vírus pode custar mais de 280 mil milhões em oportunidades de exportação. A informação provém da Euler Hermes, acionista da Companhia de Seguros de Créditos (COSEC), que afirma que esta será a maior barreira para as trocas de bens e serviços entre países durante 2020. Prova disso é o abrandamento significativo da procura por parte da Europa e da China, o país mais afetado, com perdas de 168 mil milhões de euros nas exportações por trimestre, seguindo-se a Itália com 19 mil milhões e nos restantes países da Europa o impacto conjunto das oportunidades de exportação ronda os 95 mil milhões de euros. Todos estes valores refletem um custo global provocado pelo Covid-19, referente ao mesmo período, de 280 mil milhões. A Euler Hermes antecipa uma redução de turistas da China, Itália e, de um modo geral, do continente europeu. Como consequência, também os serviços de transportes vão sofrer perdas significativas. Para ambas, o valor será de 110 mil milhões de euros e 29 mil milhões de euros, respetivamente. Apesar do panorama negativo, a Euler Hermes prevê que a atividade comercial melhore a partir de março e abril e regularize até ao final de maio, com um crescimento anual médio de cerca de 0,4%.

3Vietname procura matérias-primas na Índia

O Vietname está a ponderar recorrer à Índia para se aprovisionar de matérias-primas para o seu sector têxtil e vestuário, no seguimento da escassez provocada pelo surto de coronavírus na China. De acordo com o jornal local Vietnam Plus, o secretário do Comité Municipal do Partido, Vuong Dinh Hue, terá dito que os dois lados devem reforçar a sua parceria numa receção organizada para o embaixador indiano no Vietname, Pranay Verma. Hue acrescentou ainda que espera que a Índia importe têxteis e vestuário de Hanói. O encerramento de fábricas na China resultou num atraso das matérias-primas a chegar a diversos mercados. Responsáveis do Camboja já alertaram que 200 fábricas de vestuário irão optar pela redução da produção devido à falta de matérias-primas. Em fevereiro, executivos na China indicaram que, embora as operações no país estejam a recomeçar, ainda estão com dificuldades em voltar ao ritmo anterior, devido à manutenção de trabalhadores em quarentena, restrições às viagens e atraso na entrega de materiais que estão a afetar a produção e a causar i incerteza.

4Mango nomeia novo CEO

A retalhista espanhola sediada em Barcelona acaba de nomear um novo CEO. Toni Ruiz assume agora novas funções, depois de ter feito parte do Conselho de Administração desde 2015 com o cargo de diretor financeiro e, em 2018, ter sido nomeado diretor-geral. «Com esta decisão, valorizou-se a propriedade da Mango e reforçou-se o papel de líder exercido por Toni Ruiz na transformação da empresa, o que deverá continuar nos próximos anos», refere a Mango em comunicado. O novo CEO é licenciado em Economia pela Universidade de Barcelona, mestre em Economia e Direção de Empresas pelo IESE e ainda foi diretor financeiro na empresa Leroy Merlin do grupo Adeo. Isak Andic, fundador da Mango e CEO até à data, permanece como presidente do conselho de administração, a par de nomes como Daniel López, diretor de expansão e franchising, e Jonathan Andic, diretor da Mango Man e da imagem e comunicação. Já o comité diretivo passa a contar com Elena Carasso, diretora de vendas online e relações com os clientes, Luis Casacuberta, diretor do segmento de mulher, Josep Barberà, diretor financeiro, David Gutiérrez, diretor dos recursos humanos, Jordi Álex Moreno, diretor técnico, António Pascual, diretor da cadeira de fornecedores, e César de Vicente, diretor global de retalho.

5Invista mantém confiança na China

A Invista afirma estar confiante no aumento da procura de poliamida na China, numa altura em que continua a fazer progressos na sua unidade produtiva de 400 mil toneladas de adiponitrila (ADN) em Xangai. A fábrica, que representa um investimento de 1,2 mil milhões de dólares, anunciado em agosto de 2018, faz parte de um acordo com o Shanghai Chemical Industry Park (SCIP). Vai produzir ADN – um ingrediente essencial para a produção de poliamida 6.6 que é usada em plásticos, revestimentos e fibras têxteis. Em janeiro, o projeto obteve a aprovação da avaliação de impacto ambiental e de condições de segurança. Os passos seguintes estão a ser dados, confirma a Invista, com mais de 90% do equipamento de processamento já encomendado. A construção vai começar este ano, com o início da laboração previsto para 2022. «Estamos confiantes em relação ao crescimento da procura na China e continuamos a avançar no nosso investimento no SCIP», confirma Kyle Redinger, vice-presidente da Invista Intermediates Asia Pacific. «Pelas nossas estimativas, a China pode ser o maior consumidor mundial da poliamida 6.6 nos próximos anos e acreditamos que é importante servir a China a partir da China para compreender todo o potencial de crescimento. Vamos continuar os nossos esforços para satisfazer a nossa forte procura local e regional por produtos em poliamida de elevada qualidade», acrescenta. A Invista indica que a sua mais recente tecnologia de ADN permite maior produção, redução no consumo de energia, menos emissões de gases com efeito de estufa, maior estabilidade dos processos e menor intensidade de capital em comparação com as tecnologias atuais.

6Marca outdoor Montane muda de mãos

A especialista europeia de vestuário outdoor Montane foi adquirida pela empresa de investimentos especialista em marca de consumo Inverleith LLP. Os valores da transação não foram revelados, mas sabe-se que o negócio implica uma posição maioritária da Inverleight na Montane. Fundada há 25 anos, a Montane é uma marca especialista em vestuário e equipamentos para desportos de montanha, incluindo escalada e trail running. A marca dirige-se fundamentalmente aos segmentos de elevada performance dos mercados de outdoor e patrocina diversos eventos mundiais, incluindo o Tor des Géants, The Montane Lakeland 100 e The Montane Yukon Arctic Ultra. O investimento da Inverleith irá permitir à Montane expandir a distribuição dos seus artigos no Reino Unido e internacionalmente, com um foco no desenvolvimento de produto no que afirma ser um mercado «em rápido crescimento», indica o just-style.com. «Depois de duas décadas ao leme, é altura de passar as rédeas da Montane a um novo proprietário entusiasmado, que reconhece a força da posição diferenciada da Montane, que partilha os valores e crenças da empresa e que tem conhecimento do consumidor e comercial para ajudar a guiar a empresa para o próximo nível de crescimento», afirma o diretor-geral da Montane, Jake Doxat. «Estou confiante que a Montane vai continuar a sua dinâmica positiva sob o seu novo acionista maioritário. Estou ansioso por continuar a contribuir para o crescimento da Montane enquanto administrador», acrescenta.