Início Arquivo

Britânicos não apostam em tamanhos grandes

Apesar dos inúmeros esforços da indústria da moda, muitas das mulheres britânicas ainda lutam para conseguir encontrar peças de roupa bonitas e atractivas, e, tamanhos grandes.

Segundo o estudo Plus-Size Fashion, levado a cabo pela Key Note, apenas 11% das 1.164 mulheres – com mais de 15 anos – inquiridas nesta análise, feita a nível nacional em Novembro de 2004, afirmaram ser “muito fácil” encontrar roupa atractiva em tamanhos grandes.

Com efeito, parece que a chamada roupa plus-size (tamanhos grandes) para as jovens raparigas é uma área particularmente problemática, tendo quase um terço das inquiridas nesta estatística (32%) concordado que devia existir um maior leque de opções, para as mulheres com menos de 25 anos.

De acordo com as estimativas da Key Note, as cadeias de roupa diversificada como a Next e a Dorothy Perkins (e outras especializadas em tamanhos grandes como a Evans), garantem a maior fatia deste segmento de mercado, com 29% do valor dispendido, seguidas pelas restantes cadeias, como a Marks & Spencer, que aparecem em segundo lugar, com 27% do total dispendido neste mercado.

Este relatório revela ainda que as mulheres acham mais difícil encontrar peças de roupa que as satisfaçam em tamanhos grandes, em mais do dobro da percentagem que pensa o contrário (24% contra 11%).

Encontrar roupa em tamanhos maiores atractiva e dentro da moda constitui igualmente um problema significativo para as mulheres com filhos pequenos (com idades entre os 0-4 anos e 5-9 anos).

Esta é uma fase da vida em que muitas mulheres passam a vestir tamanhos muito acima do seu habitual, e ao mesmo tempo ficam com pouco tempo disponível para procurar roupa adequada nas lojas.

A Key Note prevê que o Mercado britânico da roupa em tamanhos grandes cresça 6% durante o ano de 2005, em linha com os restantes segmentos do mercado do vestuário.

Como resultado do aumento da concorrência entre os retalhistas mais conceituados do país, e perante a possibilidade de aumento de impostos na sequência das recentes eleições no Reino Unido, este crescimento deverá abrandar para os 4,5% a 4,7% aproximadamente, devendo as vendas neste segmento atingir, em 2009, o valor total de 5,13 mil milhões de libras.


No que respeita aos factores que influenciam este mercado, o estudo em questão apurou que o segmento do vestuário em grandes tamanhos é influenciado por diversos aspectos, incluindo o facto da população britânica ter vindo a tornar-se mais idosa e obesa, situação resultante de uma combinação de factores demográficos e de estilos de vida, incluindo a falta de exercício presente na vida diária e ainda as mudanças registadas ao nível dos hábitos alimentares.

Ainda em relação aos resultados deste estudo de mercado, veio confirmar que os padrões corporais e físicos das mulheres britânicas estão efectivamente a mudar, tornando-se mais fortes, apesar de 44% das inquiridas pensar que devem elas “devem orgulhar-se da sua aparência” e ainda que “não devem ter receio de usar cores mais vivas e modelos mais na moda”.

Entretanto, a maior parte dos retalhistas de vestuário no Reino Unido estão a adaptar os seus padrões de medidas e tamanhos, tendo em conta as variações de tamanho e peso e considerando o facto das mulheres deste país se estarem a tornar mais pesadas e largas, reformulando em alguns casos todas as suas linhas de roupa e respectivos tamanhos.

No entanto, e dado tratar-se de uma questão sensível, muitos destes retalhistas tendem a não dar a devida atenção às suas próprias políticas de medidas de roupa…