Início Arquivo

Burberry cada vez mais digital

Apesar dos seus 154 anos, a Burberry tem um à-vontade com a tecnologia que parece crescer a cada dia que passa. Se para a presidente-executiva da empresa, Angela Ahrendts, o projecto Atlas, que transformou por completo todo os sistemas de informação da empresa, é um dos grande motivos da óptima performance que a Burberry tem vindo a apresentar, para Cristopher Bailey, o director criativo, as inovações tecnológicas e os “new media” são uma peça-chave na estratégia de imagem e comunicação da marca. Perante tal conjugação de forças em prol da tecnologia, que têm na responsável financeira do grupo um terceiro aliado de peso, não é de estranhar o pioneirismo da Burberry na utilização de uma tecnologia que ainda está a dar os primeiros passos comerciais e que teve no filme Avatar uma excelente montra para a sua promoção. A Burberry vai assim, pela primeira vez no mundo da moda, transmitir o desfile da sua próxima colecção a ser apresentada em Londres no formato 3D e em directo para Nova Iorque, Dubai, Paris, Tóquio e Los Angeles. A transmissão, apadrinhada por Bailey e efectuada em parceria com a Sky Television, utilizará a tecnologia 3D pela primeira vez num desfile de moda. «Este evento sem precedentes vai permitir que as pessoas em várias partes do mundo experienciem a energia e a atmosfera do mesmo», afirmou Bailey. «A tecnologia 3D trará a nossa audiência global para o espaço do nosso show em Londres, permitindo-lhe observar as cores e os tecidos, ouvir a música e viver o momento em que todos os elementos se conjuguam», acrescentou. O desfile terá lugar no dia 24 de Fevereiro, às 16h (hora de Londres) no Chelsea College of Art e será transmitido para um grupo seleccionado de profissionais nos Estúdios Skylight em Nova Iorque, na loja Colette em Paris, no The Adress no Dubai, na La Fabriique em Tóquio e nos estúdios Milk em Los Angeles. Quem não tiver a sorte de ser convidado para este evento terá sempre a oportunidade de assistir ao desfile através do website da marca. Entretanto, a Burberry anunciou que os resultados de 2009 vão ser melhores que o esperado graças à recuperação dos mercados de consumo onde actua e aos efeitos positivos em termos de eficiência trazidos pelo seu novo sistema integrado de gestão SAP. No último trimestre do ano, as vendas da Burberry subiram 12% em termos homólogos, com as vendas na sua rede retalhista a crescerem 16%. O sucesso dos projectos de reengenharia de processos e os novos sistemas de informação têm vindo a permitir uma alocação de recursos mais eficiente da empresa tendo, no ano passado, gerado uma redução de custos na ordem dos 70 milhões de euros. A eficiência dos novos sistemas tem também permitido a canalização das atenções em termos de tecnologias de informação e comunicação para os “new media” e para a Internet, o que tem permitido o aumento de notoriedade da marca e um crescimento do volume de negócios on-line a um ritmo anual intenso. Para Stacey Cartwright, a estratégia da Burberry assente em três pilares tem encontrado nos números e nos resultados a prova de que a aposta foi certeira. Produto inovador, sistemas de informação geradores de eficiência e “new media” como forma de promoção da marca e de relacionamento com os seus clientes são ,assim, fundamentais na prossecução dos objectivos estratégicos de uma empresa cada vez mais líder na moda britânica, europeia e mundial.