Início Notícias Moda

Cannes além do cinema

Além de celebrar o cinema, o Festival de Cannes tornou-se um momento fulcral para a moda. A 72.ª edição não foi exceção, com as atrizes e modelos da atualidade a fazerem entradas triunfais, incluindo a estreia da coleção da H&M com Giambattista Valli.

Elle Fanning em Dior

Com a consagração do filme sul-coreano “Parasite”, de Bong Joon-ho, que venceu a Palma de Ouro deste ano, o Festival de Cinema de Cannes encerrou as portas no último sábado, depois de uma semana e meia de estreias de obras cinematográficas.

Elle Fanning em Valentino

O certame é também uma das passadeiras vermelhas mais desejadas por atrizes, modelos e cantoras, transformando a Promenade de la Croisette num desfile de moda – que este ano revelou um lado teatral e ousado.

Elle Fanning foi um dos destaques em Cannes. A jovem atriz, que com apenas 21 anos tem um currículo invejável, foi uma das juradas e uma das figuras mais elogiadas pelas escolhas de guarda-roupa. Elle Fanning desfilou num vestido de baile da Prada e terminou com um conjunto Dior a lembrar o glamour New Look de Grace Kelly nos anos 50. A blusa em organza branca ligeiramente exagerada e a saia evasé em tule preto, complementadas por um chapéu, assentaram na perfeição à atriz.

Vanessa Friedman, colunista e guru de moda do The New York Times, elogiou a jovem atriz, afirmando mesmo que «se Elle Fanning não tiver um contrato de embaixadora de moda no próximo nível, alguma coisa correu muito mal com o complexo industrial do estilo de celebridades».

Ousadia sem idade

A juventude de Elle Fanning contrastou com a experiência de Chloe Sevigny, presença quase obrigatória em Cannes, que, apesar do papel pouco satisfatório no filme de zombies “The Dead Don’t Die”, de Jim Jarmisch, que se estreou no primeiro dia do festival, conquistou os críticos na passadeira vermelha.

Chloe Sevigny em Marine Serre

A rainha dos filmes alternativos atraiu os flashes dos fotógrafos com um vestido ousado, de dois tons, da Mugler na noite da estreia. Ao longo dos outros dias, Chloe Sevigny usou dois vestidos curtos Miu Miu, um coordenado desportivo e um vestido com rendas da Loewe. O estilo vanguardista culminou com um vestido preto da coleção de outono-inverno 2019 da designer francesa Marine Serre, com mangas florais rosa e uma corrente dourada, complementado por collants com o logótipo da marca – uma lua em quarto crescente.

Bella Hadid em Roberto Cavalli
Sara Sampaio em Armani

Selena Gomez marcou presença na apresentação do filme “The Dead Don’t Die”, com um conjunto de top e vestido Louis Vuitton. Já a modelo Bella Hadid destacou-se com um vestido encarnado Roberto Cavalli e outro de tule e folhos da Dior e a modelo portuguesa Sara Sampaio esteve em algumas estreias, nomeadamente em de “Once Upon a Time… in Hollywood”, onde usou um vestido cor de pêssego de Georges Hobeika,  bem como na gala da amfAR, onde ganhou lugar em várias listas dos mais bem vestidos graças a um vestido Armani, de penas preto.

Índia dá cartas

Segundo a AFP, nenhum país atraiu mais as atenções na passadeira vermelha do que a Índia, com um batalhão de estrelas de Bollywood a manterem os fotógrafos ocupados.

Deepika Padukone em Giambattista Valli

Deepika Padukone acabou por gerar um dos momentos mais icónicos em termos de moda em Cannes, com um vestido verde-lima com folhos em tule de Giambattista Valli – o mesmo que, pela primeira vez, irá criar uma coleção com a retalhista H&M e que esteve em Cannes a mostrar os primeiros resultados dessa colaboração.

Priyanka Chopra, Diana Penty, Kangana Ranaut e Aishwarya Rai Bachchan também pararam o trânsito na Croisette, esta última num vestido transparente em amarelo ácido.

Embora nenhuma delas tenha tido um grande filme em Cannes, Huma Qureshi colocou o designer Gaurav Gupta sob as luzes dos holofotes, graças a um vestido multicamada e com folhos que, afirmou, foi «fantástico» usar. «É quase como uma flor prateada. Literalmente ele fê-lo para mim em quatro dias», revelou Huma Qureshi à AFP.

O brilho das pedras

Para além de ser uma passadeira vermelha alternativa, o Festival de Cinema de Cannes tornou-se uma das maiores montras para os joalheiros de topo.

Camila Morrone com joias da Bulgari

Camila Morrone, uma atriz argentina de 21 anos considerada uma das grandes descobertas desta edição do festival, foi uma das que usou melhor estas pedras de luxo, nomeadamente um colar Bulgari, quando acompanhou o namorado Leonardo DiCaprio na estreia do filme de Quentin Tarantino, “Once Upon a Time… in Hollywood”.

A cantora Rita Ora também brilhou com um colar de diamantes, apesar da transportadora que o devia trazer de Londres o ter deixado, juntamente com outros artigos de joalharia avaliados em 3,5 milhões de euros, num avião, tendo sido recuperados posteriormente.