Início Arquivo

Carrefour finta ano terrível

O Carrefour, o segundo maior retalhista do mundo, registou um pequeno aumento nas vendas anuais após aquilo que um analista descreveu como um ano «terrível». A empresa sedeada em França culpou um «ambiente em deterioração» pelo impacto no comércio de produtos alimentares, sobretudo no Sul da Europa, em 2011. As vendas no quarto trimestre caíram 0,8%, com as vendas em França a caírem 2,4% e com o volume de negócios na Europa, excluindo França, a descer 4,3%, apesar de uma recuperação na Bélgica. O aumento de 6,8% nas vendas na América Latina foi impulsionado por uma recuperação nas vendas nos hipermercados no Brasil, assim como pelo continuado crescimento no Atacadão. Ao mesmo tempo, as vendas na Ásia subiram 2,8%, graças à expansão na China, que contrabalançou as vendas mais baixas de artigos não-alimentares. O Carrefour confirmou as suas previsões anuais de lucro mas no limite mais baixo, esperando uma quebra de 15% a 20% no lucro operativo de 2011. O presidente e CEO do Carrefour, Lars Olofsson, indicou que «no atual ambiente difícil, o Carrefour está a centrar os seus esforços na execução do seu plano em França e no Sul da Europa, tendo como objetivo preços baixos consistentes e promoções mais direcionadas. Ao mesmo tempo, enquanto nos centramos mais na eficiência de custos e na liquidez, o Carrefour irá continuar a investir na sua estratégia multicanal, alargando a sua oferta de produtos da marca Carrefour e expandindo-se nos mercados emergentes», indicou. A empresa de consultoria e pesquisa na área do retalho Conlumino considera que os resultados encobrem um ano «terrível» para o Carrefour, em que teve cinco avisos de lucro, uma fusão falhada no Brasil e dificuldades estratégicas na Europa. «Na realidade, independentemente de qualquer remodelação que sofra, um hipermercado Carrefour nunca vai estar a par de uma department store como o Printemps ou as Galerias Lafayette», explicou o consultor chefe da Conlumino, Simon Chinn. «O foco do Carrefour deve estar na melhoria das suas capacidades de compras multicanal para os clientes, com uma maior integração da sua oferta na Internet com a oferta nas lojas físicas, algo que o seu rival Casino fez bem e de que está a beneficiar», concluiu. A empresa irá anunciar os seus resultados anuais a 8 de março.