Mercados

Início Notícias Mercados

O novo luxo nipónico

Com a recente retoma económica a alavancar os gastos no mercado de luxo nipónico – o segundo maior do mundo –, quais as estratégias a adotar, entre o retalho tradicional e a proposta online, para capitalizar esse impulso?

Bangladesh ameaça domínio chinês

O Bangladesh pode ultrapassar a China e tornar-se no maior fornecedor de vestuário da UE em 2020, graças a uma conjugação de preços competitivos e entrada sem taxas no mercado europeu.

Vestuário técnico em ascensão

Com capacidade para resistir às nódoas, aos líquidos e ao óleo, o mercado de vestuário com características funcionais, usado sobretudo em áreas como a medicina e a indústria, está em trajetória ascendente e, apesar da pressão para encontrar químicos mais sustentáveis, deverá continuar a prosperar no futuro.

ITV do Peru tem metas ambiciosas

Para atingir o objetivo de duplicar as exportações de têxteis e vestuário, o Peru está empenhado em injetar valor na cadeia produtiva com recurso às suas fibras nobres, como a vicunha e a alpaca.

Lojas sem roupa?

Quando os clientes entrarem na loja Nordstrom Local, no estado norte-americano da Califórnia, vão encontrar alfaiates que customizam fatos e stylists que dão conselhos de estilo –, mas não vão encontrar roupas. A mais recente aposta dos grandes armazéns passa por espaços comerciais sem inventário.

Estará Londres fora de moda?

O aumento dos custos e a perda de talentos foram alguns dos temas que assombraram a passerelle da última semana de moda de Londres. De acordo com alguns analistas, o Brexit pode estar a deixar o Reino Unido fora de moda.

Millennials anunciam novo luxo

Os millennials americanos ficaram muito atrás das suas contrapartes em mercados como o Reino Unido, Itália e China para compras de produtos de luxo ou moda de alta qualidade. Mais de um quarto dos millennials americanos não fez compras de luxo de 500 dólares ou mais nos últimos 12 meses.

Produção mundial a todo o vapor

Os anos de 2017 e de 2018 deverão ser positivos para a produção mundial, seguindo a tendência já sentida no ano passado. Embora a tónica seja, no geral, positiva, o mais recente relatório do FMI destaca, como preocupações, as mudanças fiscais americanas, as políticas chinesas e os riscos associados às negociações do Brexit.

Mercado inundado de algodão

Na próxima época, o mercado vai ser inundado com algodão, à medida que os agricultores aproveitam os preços altos para produzir mais e a China liberta parte significativa do seu inventário estratégico.

As origens da moda rápida

Em Inglaterra, durante a II Guerra Mundial, o vestuário, como qualquer outro artigo de primeira necessidade, foi severamente racionado. À escassez, juntava-se depois o custo crescente das roupas disponíveis. Mais do que isso, o racionamento foi aplicado não só à população, como também aos fabricantes de vestuário.

Mais vistas