Mercados

Início Notícias Mercados

Covid-19 com impacto misto na Europa

As empresas do Velho Continente inquiridas pela International Textile Manufacturers Federation revelaram uma queda menos acentuada das encomendas mas expectativas mais negativas para os negócios de 2020. A nível mundial, contudo, as previsões de vendas são melhores e há quem espere recuperar ainda este ano.

Consumidores chineses dão novo alento à indústria de luxo

Marcas de luxo, como a Burberry e a Aquazzura, estão a registar um crescimento das vendas na China, o que dá alento ao sector. Ainda assim, as vendas globais deverão cair 35% este ano.

Ásia em crise

O continente asiático, que é o principal centro produtor de têxteis e vestuário do mundo, está a viver um dos períodos mais complicados. Além da contração na China, outros países produtores, do Vietname à Turquia, estão a sentir os efeitos da pandemia no negócio.

Protecionismo atrasa recuperação do comércio

Os seis maiores mercados da ITV portuguesa vão perder, em conjunto, 864 mil milhões de euros em exportações. As conclusões de um novo estudo da Euler Hermes mostram que o país mais afetado será a China e que a crise na procura e nos preços provocada pela pandemia pode ser agravada por políticas protecionistas.

E-commerce português cresce com o Dott

A rapidez e facilidade de adesão, graças a um modelo chave na mão, tem ajudado o markeplace Dott a crescer, passando, em apenas um ano, de 400 para 1.000 lojas e mais de 2,5 milhões de produtos disponíveis. Um modelo que tem ainda ajudado empresas como a Cellar45 a enveredarem pelas vendas online.

Europa mais otimista

Um novo estudo da International Textile Manufacturers Federation revela que as empresas têxteis com sede na Europa estão mais otimistas do que no último inquérito e anteveem uma queda nas vendas inferior às de outros continentes. No total, as vendas mundiais deverão cair 33% em 2020.

Europa dá sinais de recuperação

A produção industrial em Portugal não resistiu e sofreu um descalabro, em abril, com o confinamento. Na Europa, o índice de produção industrial para maio está a subir, dando alguma esperança ao sector.

“Made in USA” pede apoios

Com o retalho em queda, os produtores de algodão, têxteis e vestuário dos EUA sentem dificuldades para manter o negócio. Há, todavia, quem esteja a superar as expectativas, quer com modelos de negócio diferentes, quer com a produção de artigos para a área da saúde.

África luta pela sobrevivência

Embora o continente tenha sido, até agora, menos afetado do que outros pelo novo coronavírus, a indústria têxtil e vestuário africana está igualmente a atravessar dificuldades, provocadas, sobretudo, pelo cancelamento de encomendas.

ITV da América Latina em risco

Com as fábricas a fecharem, quer por ordem governamental, quer por falta de encomendas, a indústria têxtil e vestuário da América Latina e os seus trabalhadores estão a lutar para se manter no negócio.

Mais vistas