Mercados

Início Notícias Mercados

«Haverá uma relocalização da produção para a Europa»

Alicia Garcia-Herrera, investigadora do Bruegel, analisa o impacto que o Covid-19 tem na globalização. Para a economista vivem-se tempos de grandes mudanças com a relocalização da produção para a Europa, o que pode ser importante para Portugal e Espanha.

Vendas de têxteis podem cair até 40% no sul da Europa

Estudo do Boston Consulting Group refere que impacto do novo coronavírus pode ser semelhante ao do sector entre 2006 e 2013.

Exportações da ITV começam ano em alta

No primeiro mês do ano, as exportações portuguesas de têxteis e vestuário subiram 2,7% face a janeiro de 2019, para 456,2 milhões de euros. A maioria das categorias registou um aumento, com destaque para os envios de vestuário e seus acessórios, exceto de malha, que somaram mais 5,7 milhões de euros.

O efeito bola de neve do coronavírus

O surto de coronavírus está a abalar a economia internacional, mas o maior impacto reflete-se na China. A dificuldade de recuperação dos produtores têxteis e de vestuário é notória e os trabalhadores em quarentena, as restrições de viagem e os atrasos nas entregas de encomenda continuam a afetar a produção e a aprofundar a incerteza.

Os prós e contras do just-in-time

O modelo de produção just-in-time tem vindo a ganhar terreno, numa altura em que as empresas procuram evitar o stock excedentário, alinhando a oferta à procura. Contudo, a nova estratégia pode constituir um passo em falso, como prova o surto de coronavírus que agora afeta todas as indústrias globais.

China vence corrida pelo preço

Apesar dos rumores sobre a ascensão de potenciais substitutos, onde se incluem o Vietname, o Bangladesh e a Etiópia, a China continua a provar a sua competitividade no mercado global de sourcing, com o preço por peça de vestuário a descer 4,6% em 2019.

Coronavírus põe ITV em risco

A economia mundial e particularmente a indústria têxtil e de vestuário (ITV) dependem de uma rede complexa e globalizada de cadeias de aprovisionamento. Contudo, estas interações parecem agora estar na corda bamba, face ao surto de coronavírus, cujo prejuízo para o crescimento global poderá atingir os 145 mil milhões de euros.

Faixa e Rota abre horizontes

A indústria têxtil e vestuário chinesa atravessa um período crítico de desaceleração do crescimento, marcado pelo aumento do nível salarial e políticas de antipoluição mais restritas. A Iniciativa Faixa e Rota (Belt and Road Iniciative) poderá ser a resposta aos desafios, permitindo deslocar a produção e aproximar os países asiáticos.

América Latina de mãos atadas

O processo de impeachment de Donald Trump e a crescente instabilidade política que se faz sentir na América Latina têm vindo a prejudicar as encomendas e a congelar investimentos. As exportações de têxteis e vestuário da região podem não ter atingido os objetivos mínimos previstos para 2019.

Preço do algodão na corda bamba

Depois de um ano de altos e baixos, os preços do algodão parecem ter oferecido tréguas ao final de 2019. O índice A do grupo Cotlook aponta para uma estabilização do preço global numa média de 0,75 dólares por libra – ainda que esta fase de equilíbrio seja precária.

Mais vistas