Mercados

Início Notícias Mercados

Tommy Hilfiger domina retalho

A marca norte-americana ocupa o pódio da lista das insígnias com mais lojas nos principais mercados internacionais. De acordo com o relatório da JLL Retail, a Tommy Hilfiger supera marcas como Levi’s, Nike e Hugo Boss, num documento que olha para o Médio Oriente como mercado em expansão.

Crescer em tempos de crise

As exportações de vestuário estão em crescimento no Bangladesh, desafiando o medo de que a violência recente perpetrada por islamitas pudesse incitar as marcas ocidentais a baterem em retirada, levando a produção das suas roupas para outros destinos.

Consumidores em mudança

As dramáticas alterações demográficas mundiais estão a alterar a paisagem do consumo e, segundo um relatório recente da McKinsey & Company, há três grupos de consumidores que deverão gerar cerca de metade do crescimento do consumo global urbano entre 2015 e 2030.

Espaço de mudança

A narrativa que atualmente impera é que os shoppings estão a morrer: uma pesquisa rápida na web fornece todas as indicações de que este hábito de compras é descartado pelos consumidores. Não obstante, uma análise mais profunda permite perceber que os centros comerciais de topo não estão a ser considerados, e o melhor exemplo é o florescimento do Dubai Mall, nos Emirados Árabes Unidos.

México e Turquia podem ser a nova China

Através da China, as cadeias de aprovisionamento mundiais da moda vivem a um ritmo denso e rápido. O país asiático é, de longe, o maior exportador de vestuário do mundo. A posição foi conquistada por ser um fornecedor rápido, confiável, barato e por, durante décadas, oferecer a grandes marcas a opção com melhor custo/beneficio para fabricar roupa. No entanto, as mudanças que se fazer sentir na China, e também na moda, podem redesenhar o mapa de produção mundial de vestuário.

China em mudança

O que esperar do Império do Meio em 2016? De acordo com um relatório da consultora McKinsey & Company, a atividade de produção da China está em mutação e não em vias de extinção – com os seus “vencedores” a tornarem-se ainda mais competitivos à escala global.

Tecnologia que entusiasma

A inovação nos materiais e no desempenho do vestuário de outdoor está em crescendo. Salt Lake City foi a anfitriã deste ano da Outdoor Retailer, onde retalhistas, fabricantes, fornecedores e profissionais do sector de desportos de inverno reuniram-se para discutir os mais recentes produtos e tecnologias.

O retalho no ano do macaco

A vulnerabilidade da economia chinesa está a deixar os consumidores mais preocupados com os seus orçamentos neste Ano Novo Chinês e os descontos já não bastam para garantir a sua atenção.

Exportações têxteis nacionais somam mais 2,2%

A ITV portuguesa registou um aumento de 2,2% das exportações nos primeiros cinco meses do ano, apesar das quebras nos envios para Espanha e Reino Unido. Em termos de produtos, os tecidos impregnados e revestidos destacaram-se pela positiva, enquanto o vestuário em tecido e os tecidos em malha sentiram mais dificuldades.

O potencial do desporto

Mediante a ascendente tendência global de fitness e adoção de um estilo de vida saudável, a par da predileção generalizada pela categoria de athleisure, que converteu as sapatilhas e leggings em artigos omnipresentes nas mais diversas circunstâncias sociais, muitos questionam-se sobre por quanto mais tempo o crescimento vertiginoso do segmento se poderá prolongar.

Mais vistas