Mercados

Início Notícias Mercados

Aliança europeia quer recuperação “verde”

A H&M é uma das numerosas empresas que se estão a juntar aos ministros da União Europeia e associações sem fins lucrativos para apoiar uma nova aliança informal lançada pelo Parlamento Europeu, na semana passada, a pedir uma “recuperação verde” após a pandemia de Covid-19.

ITV da Tunísia em dificuldades

A indústria têxtil e vestuário tunisina está a alertar para um enorme prejuízo comercial e humanitário devido ao cancelamento de encomendas e interrupções na produção resultante da atual crise do novo coronavírus, numa altura em que se dedica à produção de máscaras sociais.

Empresas antecipam mais de meio ano para recuperar

Com a confiança em baixa e a certeza de que as medidas governamentais são insuficientes, os mais de 220 CEO e administradores de médias e grandes empresas inquiridos em Portugal pelo Kaizen Institute Western Europe preveem reduzir os postos de trabalho e recuperar o nível de atividade entre seis a 12 meses.

Produção da ITV pode cair mais de 50%

Um estudo recente da Euratex revela que a queda na produção e nas vendas de têxteis e vestuário na Europa deverá superar os 50%. Os números seguem-se a um ano de 2019 já difícil e numa altura em que o Velho Continente, e o mundo, lutam contra a ameaça do Covid-19.

Quebra no volume de negócios pode chegar aos 50%

Um inquérito da Deloitte a 31 CEO´s nacionais revela que a quebra no volume de negócios, num prazo de três meses, pode atingir os 50%, sendo que a um ano a quebra pode ser de 25%.

Exportações têxteis já em queda em fevereiro

Amparadas pelos números positivos de janeiro, as exportações acumuladas de têxteis e vestuário nos dois primeiros meses do ano registaram uma descida ligeira de 0,9%. Ainda sem grande impacto do Covid-19, mercados como a Bélgica, a França, EUA e Reino Unido continuavam a crescer.

«Haverá uma relocalização da produção para a Europa»

Alicia Garcia-Herrera, investigadora do Bruegel, analisa o impacto que o Covid-19 tem na globalização. Para a economista vivem-se tempos de grandes mudanças com a relocalização da produção para a Europa, o que pode ser importante para Portugal e Espanha.

Vendas de têxteis podem cair até 40% no sul da Europa

Estudo do Boston Consulting Group refere que impacto do novo coronavírus pode ser semelhante ao do sector entre 2006 e 2013.

Exportações da ITV começam ano em alta

No primeiro mês do ano, as exportações portuguesas de têxteis e vestuário subiram 2,7% face a janeiro de 2019, para 456,2 milhões de euros. A maioria das categorias registou um aumento, com destaque para os envios de vestuário e seus acessórios, exceto de malha, que somaram mais 5,7 milhões de euros.

O efeito bola de neve do coronavírus

O surto de coronavírus está a abalar a economia internacional, mas o maior impacto reflete-se na China. A dificuldade de recuperação dos produtores têxteis e de vestuário é notória e os trabalhadores em quarentena, as restrições de viagem e os atrasos nas entregas de encomenda continuam a afetar a produção e a aprofundar a incerteza.

Mais vistas