Mercados

Início Notícias Mercados

Marrocos aumenta capacidade

Apesar do reconhecimento internacional, a indústria têxtil e de vestuário marroquina continua a investir na sua capacidade produtiva, procurando reunir as ferramentas que lhe permitam competir com os rivais asiáticos e com a crescente concorrência africana.

Gucci em liquidação

A casa de moda italiana está a oferecer promoções nas suas lojas em território chinês, pretendendo liquidar o merchandising concebido pela anterior diretora criativa da marca, atraindo consumidores nacionais, que se alinham à porta das lojas desde o nascer do sol.

China atiça procura interna

O Império do Meio planeia reduzir as taxas à importação de bens de consumo, incluindo produtos de beleza e de vestuário vindos do Ocidente, como forma de impulsionar as marcas globais e reforçar o consumo doméstico, num contexto de crescimento económico vacilante.

No mapa do vestuário

A Tanzânia pretende colocar o continente africano na rota do sourcing do vestuário mundial, desenvolvendo uma série de políticas destinadas a fomentar o investimento de produtores e compradores, suportadas pela ambição de vir a ser a escolha preferida em África.

Os desafios do sourcing

O envolvimento conjunto e a criação de políticas de base são essenciais à melhoria das condições de trabalho da indústria do vestuário e promoção de um melhor equilíbrio entre os benefícios económicos e sociais das cadeias de aprovisionamento globais.

Domar a cadeia de valor

O desconhecimento sobre a cadeia de valor acarreta um preço elevado para as marcas e retalhistas de vestuário e calçado que ignoram a oportunidade resultante da quebra acentuada dos preços das matérias-primas, especialmente petróleo e algodão, descurando a possibilidade de poupança que este momento patenteia.

Índia lidera têxteis orgânicos

Em 2014, centenas de produtores indianos uniram-se ao grupo internacional Global Organic Textile Standard, que define a norma líder mundial para têxteis fabricados a partir de fibras orgânicas, contribuindo para um aumento de 18% das certificações atribuídas pela iniciativa face ao ano anterior.

A revolução da impressão 3D

A cadeia de aprovisionamento da indústria da moda pode mudar drasticamente nos próximos anos com a ascensão da impressão 3D. Uma tecnologia que está já a ser usada pela Timberland para criar protótipos de solas, pela Nike na conceção de chuteiras e pela Continuum Fashion no desenvolvimento de biquínis.

Emergentes são mais éticos

Os consumidores nos mercados em desenvolvimento da Ásia-Pacífico mostram mais apetência pela compra de produtos sustentados na responsabilidade social do que os seus homólogos de países desenvolvidos.

Incentivo à economia chinesa

A China irá reduzir as tarifas de importação de alguns bens de consumo até ao final de junho como forma de impulsionar os gastos domésticos e contrariar a desaceleração da economia nacional, num momento em que um número recorde de turistas chineses opta por comprar no exterior.

Mais vistas