Do vestuário ao calçado, 29 designers provenientes de algumas das escolas mais reputadas da Europa apresentaram, ontem, as suas propostas no âmbito da quinta edição do Concurso Europeu de Jovens Designers do CENIT. Entre eles, nove foram premiados, dos quais dois – Zhikai Yang (vestuário) e Stephanie Grosslercher (calçado) – em duplicado.
Do trabalho manual da Atelier des Créateurs à dimensão da Crialme, passando pela tecidoteca da Calvelex, a produção vertical da Riopele e o universo do calçado da Eureka, os jovens designers europeus que por estes dias estão em Portugal para participar no concurso do CENIT mostraram-se fascinados com a indústria de moda portuguesa.
Sem estação do ano, uma marca de homens – e de algumas mulheres «seguras do seu estilo». É assim que Denise Lemos, define A Indústria, uma insígnia 100% portuguesa, que acaba de inaugurar um espaço na Embaixada do Príncipe Real, em Lisboa.
A frase é da designer Francesca Giobbi, que marcou presença no seminário “Automação e Desemprego: Soluções”, a convite da Católica Porto Business School. Na sessão, apresentou o seu movimento “Fashion For Better”, que pretende tornar a indústria da moda mais sustentável, socialmente responsável e transparente.
Alemanha, Espanha, França, Itália, Reino Unido e Portugal são os países de origem dos 29 jovens designers que estarão no Porto na final de 19 de dezembro, a lutar pelos vários prémios do Concurso Europeu de Jovens Designers do CENIT. No mesmo evento serão ainda entregues os Prémios de Excelência ModaPortugal 2018 a empresas nacionais.
A China será o mercado que irá crescer mais rapidamente no mundo da moda e o seu papel nas trocas comerciais deverá evoluir, segundo o relatório The State of Fashion 2018. O estudo prevê ainda que, em 2019, o crescimento global da indústria da moda desacelere.
O espírito da quadra já contagiou a marca portuguesa de vestuário para criança, que se uniu à Bebés de S. João e criou uma coleção de Natal. Por cada artigo vendido entre os dias 1 e 24 de dezembro, a Laranjinha irá doar cinco euros à associação de apoio à maternidade.
Com o ano a chegar ao fim, a Lyst revelou o seu relatório Year in Fashion, onde divulga quais as marcas mais desejadas, os artigos mais procurados e os maiores influencers das redes sociais em 2018. Os uggly sneakers, a influencer Kylie Jenner e a Gucci são alguns dos nomes em destaque.
É sabido que os gostos dos utilizadores do Facebook ajudaram a Cambridge Analytica a eleger o atual presidente dos EUA, Donald Trump. Mas, afinal, também a moda teve o seu papel, já que a empresa criou perfis de utilizadores baseada nas preferências por determinadas marcas e na sua relação com as tendências políticas.

CPM quase esgotada

A extensão para a Body & Beach Fabrics e a aposta em Modest Fashion são algumas das novidades anunciadas para a próxima CPM. A feira de moda russa reabre portas de 25 a 28 de fevereiro de 2019, depois de uma edição em setembro que acolheu cerca de 750 expositores de 21.500 visitantes.

Mais vistas