Novos materiais e técnicas de produção, novas plataformas de vendas e novos modelos de negócio, um renovado contacto com os clientes e uma renovada via de internacionalização – há designers nacionais que tratam a tecnologia por tu.

A guerra dos sexos

Numa altura em que as tendências de mercado apontam para uma vitória do menswear e consequente derrota do womenswear nos próximos anos, estará a moda de autor “made in Portugal” sincronizada com as estatísticas? Luís Onofre, Miguel Vieira, Júlio Torcato, Nuno Baltazar e Hugo Costa respondem.
A taxa turística entrou em vigor no dia 1 de março e os designers sediados no Porto – com lojas em pontos turísticos da cidade – estão do lado do executivo camarário, ainda que para as associações hoteleiras a medida seja «injusta» e «excessiva».
O surf e a moda não são corpos estranhos. Há décadas que as duas indústrias se cruzaram para dar origem a coleções de surfwear. Esta primavera, da linha Fenty by Puma à Michael Kors, da Coach à Gucci e da No. 21 à Louis Vuitton, o vestuário do segmento volta a fazer ondas no guarda-roupa.
A organização do salão de moda já relançou o desafio às marcas: caso pretendam captar os mais de 50 mil visitantes da Panorama Berlin, é necessário agendar rapidamente a viagem para a capital germânica, entre os dias 3 e 5 de julho de 2018, datas da edição primavera-verão 2019.
Carolina Machado, Ana Duarte, Inês de Oliveira e David Ferreira aprenderam a andar lá fora, mas, graças a parcerias firmadas com empresas nacionais, continuam a caminhar lado a lado e de mão dada com o “made in Portugal”.
Três dias, 25 mil pessoas e 27 desfiles – alguns deles duplos –, resumida a números, a passagem do Portugal Fashion pelo Parque da Cidade do Porto fica assim. Mas, na verdade, entre regressos e aniversários, estreias e boas-novas que prolongam o certame para lá da passerelle, há muito mais a dizer.
Cede a toponímia lugar às tendências do outono-inverno 2018/2019. O primeiro dia de desfiles do Portugal Fashion no Porto abriu com duas promessas para a fileira moda nacional, no concurso Bloom, e fechou com Júlio Torcato, a celebrar 30 anos de carreira.
Não é a primeira vez nem será a última. Filipe Faísca há muito se comprometeu em não deixar morrer tradições e, este ano, reaviva os Bordados da Madeira, não numa, mas em duas coleções. A primeira foi já desvendada na 50.ª edição da ModaLisboa.
A conta oficial da marca na rede social Instagram agrega quase 7.000 seguidores, a do designer ultrapassa os 10.000. Aos 21 anos, Gonçalo Peixoto fez do ciberespaço rampa de lançamento e assentou os pés nas passerelles da semana de moda de Londres e, este mês, da ModaLisboa.

Mais vistas