Têxtil

Início Notícias Têxtil

Polopique fia crescimento

O grupo Polopique acaba de instalar uma nova fiação de raiz, vocacionada essencialmente para a produção de fios finos, mesclas e fios de cor. Segundo o presidente do grupo, Luís Guimarães, a unidade produtiva vem responder às necessidades latentes, aumentando a produção mensal para 360 toneladas.

Paulo de Oliveira está a recrutar

A maior produtora de lanifícios da Península Ibérica quer voltar a expandir o seu efetivo. Sediada na Covilhã, a Paulo de Oliveira está atualmente à procura de candidatos para diferentes funções.

Satinskin: digital da cabeça aos pés

Assumindo-se como a única estamparia digital de raiz em Portugal, a Satinskin investiu nos últimos cinco anos cerca de 12 milhões de euros em tecnologia de ponta para estampar tecidos e malhas para o sector moda, mas também para têxteis-lar, incluindo felpos.

Algodão orgânico: pior a emenda que o soneto?

A t-shirt de algodão orgânico que muitos consumidores se orgulham de vestir pela manhã consome mais recursos naturais do que a sua rival em algodão convencionalmente cultivado e pode ter ainda maior impacto no meio ambiente.

Diastêxtil reforça investimentos

O grupo fundado e liderado por Conceição Dias está em expansão em todas as frentes. Além da aquisição de novas confeções, tem em curso investimentos na Modelmalhas e na Sonix, numa estratégia de crescimento que deverá continuar no futuro próximo.

Polopique investe na tricotagem

O grupo liderado por Luís Guimarães acaba também de instalar a terceira unidade de fiação, reforçando assim a verticalidade industrial, um dos seus principais trunfos. Além disso, cresceu em volume de negócios no ano passado e antecipa um 2019 igualmente positivo.

Malha na cama impulsiona Crispim Abreu

Pioneira na roupa de cama em malha, a Crispim Abreu tem expandido consistentemente o seu negócio, que inclui também a produção de malha e de vestuário. Em 2016, a empresa, que conta já com o apoio da segunda geração na direção, registou um crescimento de 13%, mas ambiciona chegar mais longe.

Algodão orgânico, porquê?

Um relatório recente da plataforma Textile Exchange destacou as três razões principais para apoiar a expansão do cultivo de algodão orgânico, estabelecendo os benefícios da fibra em comparação com o algodão convencional, juntamente com conselhos para marcas e retalhistas.

«Olhar para a frente é que é o desafio»

Numa entrevista a duas vozes ao Jornal Têxtil, os irmãos Paulo Augusto e Luís Oliveira levantam a ponta do véu sobre os atuais planos da Paulo de Oliveira, onde se destacam a nova aposta no segmento de senhora, com uma coleção desenvolvida numa parceria luso-italiana mostrada atualmente na Première Vision – onde estão nomeados para os PV Awards –, a expansão em força nas Américas e a transformação para uma indústria “verde”.

A força do digital

A estamparia digital veio dar uma pincelada de tinta fresca à moda ao permitir a produção de pequenas quantidades sem o recurso às matrizes ou cilindros da estamparia convencional. Numa era onde o céu é o limite para a imaginação, passou a ser possível alargar o número de padrões e cores da indústria têxtil e vestuário.

Mais vistas