Vestuário

Início Notícias Vestuário

Exportações fecham em alta

O ano de 2015 fechou em alta para a indústria têxtil e vestuário, que, no total, registou um aumento de 5% das exportações, ultrapassando os 4,8 mil milhões de euros. O vestuário foi a categoria com mais peso, com 2,89 mil milhões de euros, seguido dos artigos têxteis e dos têxteis-lar, que registaram o maior crescimento.

Wedoble entra na via verde

Com Itália a destacar-se como principal mercado, a marca nascida no berço da A. Ferreira & Filhos está a apostar na vertente ecológica. Para vestir os mais pequenos dos 0 aos 24 meses, o algodão orgânico é a principal novidade da coleção primavera-verão 2020.

Nascer de novo

Durante décadas, as marcas do segmento outdoor têm servido a um núcleo demográfico de alpinistas e praticantes de desportos ao ar livre de meia-idade, com a inovação de produtos e equipamentos de performance práticos, como parkas resistentes à água. Contudo, marcas como a The North Face, Columbia, Canada Goose e Penfield estão a estabelecer alianças com insígnias de streetwear para chegarem aos consumidores urbanos.

O aprovisionamento de proximidade

As marcas de moda começam agora a aprovisionar-se em fabricantes do Leste Europeu e na América Central para conseguirem maior rapidez de resposta. O reshoring, o regresso a casa da produção, está a dar lugar ao nearshoring, ou aprovisionamento de proximidade.

Exportações da ITV abrandam

De janeiro a setembro de 2018, as exportações da ITV cresceram a um ritmo mais lento, com um aumento de 2% face a igual período do ano passado. Tecidos de malha, algodão e vestuário em tecido são os principais responsáveis pelo arrefecimento, com uma redução combinada das vendas de 36 milhões de euros.

Walmart redefine objetivos

O gigante do retalho americano divulgou alguns dos planos destinados a estimular as vendas e a aumentar a quota de mercado, incluindo preços mais competitivos, maior variedade e um aprovisionamento sistemático, demonstrando-se recetivo à instalação da Primark em solo americano no final de 2015.

Reabertura deve ser «cautelosa»

Numa fase em que a indústria e o retalho de vestuário estão a retomar a atividade torna-se fundamental, alerta a GlobalData, seguir medidas que evitem os pontos de contágio. O processo de reabertura deve ser gradual e contar com o apoio necessário para o fazer com segurança.

Maroc in Mode atrai negócios

A feira marroquina recebeu cerca de mil profissionais de diversos países, sobretudo europeus, em busca de fornecedores de tecidos, malhas, acessórios e serviços de confeção. Entre os expositores estiveram quatro empresas portuguesas, empenhadas em trazerem bons contactos e afirmarem a sua posição no mercado.

O tamanho conta

Tamanhos inconsistentes, desadequados e desproporcionais são um dos grandes problemas que os retalhistas têm de enfrentar na hora de fidelizar os clientes e impulsionar as vendas online. Uma dificuldade que cadeias como F&F e C&A estão a combater com novas soluções tecnológicas.

Futuro em África – Parte 2

Apesar das dificuldades que ainda assombram a indústria de vestuário na África Oriental, países como o Quénia estão a criar condições para se tornarem num centro de produção por excelência para as marcas europeias e americanas, com perspetivas de evolução promissoras.

Mais vistas