Início Arquivo

CEI estreia-se no Têxtil

A CEI- Companhia de Equipamentos Industriais, líder mundial no uso de tecnologia de corte automático de couro por jacto de água, mais conhecida pelo seu investimento no sector do calçado, começou a apostar agora no sector têxtil, exportando para a Turquia um equipamento de gravação a laser que permite altos níveis de personalização dos artigos. Testado com sucesso no sector do calçado, a empresa de S. João da Madeira tem desenvolvido este novo sistema a laser aplicável à cardagem em parceria com as empresas de calçado Aerosoles e Ecco, inserindo-se no âmbito do projecto FATEC- Fábrica de Alta Tecnologia para Calçado (com o apoio do PRIME), que teve inicio em 2002 e terminará no final deste ano.

A CEI foi fundada por Fernando Sousa em 1995, quando ainda trabalhava no INESC como engenheiro informático, juntamente com Álvaro Gouveia e Agostinho da Silva, dois engenheiros mecânicos que trabalhavam numa empresa de equipamentos industriais. O CTC – Centro Tecnológico do Calçado, propôs então o lançamento de empresas de bens de equipamento que apostassem nas novas tecnologias, uma oportunidade que os três engenheiros aproveitaram e desenvolveram já no âmbito do FACAP- Fábrica de Calçado do Futuro. Assim, durante quatro anos desenvolveram não só tecnologias de corte por jacto de água, como outras inovadoras, e criaram 40 protótipos de equipamentos. A empresa tem dois escritórios, um no norte e um no Sul, pois, embora tenha sido criada perto de Sintra, sempre sentiu necessidade de se aproximar da zona industrial, até porque os protótipos têm de ser sucessivamente testados.

A gama de produtos da CEI não encontra grande concorrência a nível mundial e é líder mundial na tecnologia de corte automático de couro por jacto de água para alta produção, através do modelo Cutterjet. Os mercados vão desde os principais europeus aos emergentes de Leste, passando depois no outro lado do Atlântico pelos EUA, Canadá e Brasil, ou pelo Oriente, onde conta com a Tailândia, Coreia, Indonésia, e com a China. Neste último tem como cliente a maior fábrica de calçado do mundo. A Nike, a Adidas/Reebok, a Timberland e a Ecco – tendo como exemplo curioso a imagem do fundador, Karl Toosbuy, gravada com este equipamento de laser num par de sapatos que os funcionários lhe ofereceram -, são algumas das empresas que trabalham com os sistemas portugueses da CEI. A empresa tem 32 trabalhadores, comercializa 7 marcas próprias, despende cerca de um milhão de euros em I&D anualmente e apresentou em 2004 dois milhões de euros de volume de negócios.