Início Destaques

CENIT destaca excelência do vestuário

Na terceira edição, os Prémios de Excelência Empresarial atribuíram galardões nas categorias Economia Circular, Eficiência Energética, Maior Investimento, Maior Crescimento em Valor das Exportações e Marca. Sourcetextile, Pedrosa & Rodrigues, Impetus, Polopique e Decenio foram as vencedoras.

Polopique (Maior Crescimento em Valor das Exportações )

As inúmeras certificações da Sourcetextile, incluindo o STEP by Oeko-Tex nível 3, garantiram à empresa de confeção de vestuário em malha de Braga a distinção na categoria de economia circular. «Hoje em dia toda a gente fala de sustentabilidade, na minha opinião um pouco também por moda, mas mais do que uma moda é um dever cívico e uma obrigação», afirmou, ao Portugal Têxtil, Paulo Barbosa, administrador da empresa. «Penso que aquilo que nos distinguiu dos outros concorrentes nesta área da economia circular foi o facto de sermos uma empresa relativamente recente, com 13 anos, e desde o início da empresa, em 2006, sempre nos termos regido por uma indústria muito mais sustentável e com preocupação a nível social – os nossos colaboradores são parte fundamental deste projeto. Tentamos ser ligeiramente diferente dos outros», explicou. “For you and for me” é o novo slogan da empresa, que está a preparar uma iniciativa que será desvendada no próximo ano, também na área da sustentabilidade. «Temos um projeto de inovação, muito pela área da sustentabilidade, que penso que ainda vai dar muito que falar», antecipou Paulo Barbosa.

Sourcetextile (Economia Circular)

Também relacionado com a área da sustentabilidade, mas na categoria de Eficiência Energética, a Pedrosa & Rodrigues distinguiu-se pelas práticas adotadas que incluem, entre outras, um sistema de otimização de frotas e a instalação de painéis fotovoltaicos. «Temos também veículos elétricos que usamos para levar e trazer clientes. E há questões arquitetónicas de isolamento acústico e térmico que foram mesmo pensadas para otimizar o consumo energético», destacou Ana Rodrigues, cliente liaison e membro da segunda geração do negócio familiar. «Sentimos que as boas práticas associadas à eficiência energética se traduzem numa melhoria de processos que nos torna mais ágeis e mais competitivos», sublinhou.

Os vencedores dos números

Pedrosa & Rodrigues (Eficiência Energética)

Nos indicadores de negócio, a Impetus destacou-se pelo volume de investimento. «Este prémio é o resultado de um plano de investimentos que temos vindo a fazer nos últimos anos com maior incidência em 2018, que teve a ver com uma aposta muito grande no sector produtivo, através de um investimento de aquisição de equipamentos, e também de incorporação de uma empresa no grupo que é uma aposta para a perpetuação da empresa, procurando mais tecnologia, maior capacidade instalada de produção e também uma capacidade de produtos de valor acrescentado», revelou André Rodrigues, diretor da empresa, que antevê a continuação dos investimentos no próximo ano. «O objetivo da nossa empresa é ter lucro, é criar condições a todos nós, parte da família Impetus, mas também reinvestir aquilo que vamos tendo de proveitos no sentido de tornar a empresa sempre dinâmica e que ela se perpetue ao longo dos anos», acrescentou.

Impetus (Maior Investimento)

Já Luís Guimarães, presidente do grupo Polopique, subiu ao palco para receber o galardão relativo ao maior crescimento em valor das exportações. O grupo exporta 90% da sua produção sobretudo para Espanha mas também para outros mercados europeus e mundiais, como os EUA, o Japão e a Coreia do Sul. «Estamos a investir nos mercados europeus mais a Norte e também nos EUA», apontou Luís Guimarães. E o futuro mantém-se voltado para a conquista de novos clientes além-fronteiras. «A nossa estratégia vai passar por continuar a crescer de momento nos EUA, em Inglaterra e na Irlanda», enumerou.

Decenio x Alexandra Moura (Marca)

O último prémio foi entregue à Decenio pela colaboração com a designer Alexandra Moura. «Pretendíamos ter alguém que contrastasse bastante com aquilo que é a Decenio, que é uma marca clássica que queremos tornar mais moderna e contemporânea. Para haver essa disrupção, achamos que o cunho da Alexandra Moura se encaixava perfeitamente na nossa estratégia», justificou Maria Sousa, diretora de marketing da marca do grupo Cães de Pedra. Já Alexandra Moura garantiu que «além de ter sido tudo sempre muito aliciante, porque a Decenio deu-me sempre carta branca para pensar as coisas como eu acharia que era o ideal para este momento que estamos a viver em conjunto, é uma união de esforços, de estéticas, de know-hows, de forças diferentes mas que estão a caminhar num mesmo sentido».

Os Prémios de Excelência Empresarial, uma iniciativa promovida pelo CENIT – Centro de Inteligência Têxtil e pela ANIVEC – Associação Nacional das Indústrias de Vestuário e Confecção, estão já na terceira edição, tendo sido entregues também em 2017 e 2018. «Portugal tem uma indústria inovadora de excelência que merece ser distinguida publicamente numa cerimónia como esta», realçou o presidente do CENIT, Luís Hall Figueiredo.