Início Arquivo

CeNTI com pés para andar

Já com a “casa” montada e em pleno funcionamento, o CeNTI abriu hoje oficialmente as portas, com a inauguração das suas instalações perante uma plateia de empresários, responsáveis governamentais e representantes das diversas entidades parceiras neste projecto. Logo na apresentação inicial, António Amorim, da administração do CeNTI realçou que este «é ainda um recém-nascido mas desde a sua criação que tem assumido um papel de relevo». O Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes nasceu oficialmente em 2006 e conta como parceiros fundadores o Citeve, a Universidade do Minho, a Universidade do Porto, a Universidade de Aveiro e o Centro Tecnológico das Indústrias do Couro. Em 2008 foram instaladas as tecnologias, com um investimento em dois anos (2007 e 2008) de 4,6 milhões de euros, e, desde então, tem vindo a desenvolver a sua actividade. «Em quatro anos seleccionámos uma equipa, seleccionámos equipamentos, começámos imediatamente a trabalhar com as empresas e, passados apenas dois anos, estamos aqui a mostrar uma série de produtos, alguns deles prestes a ser comercializados», revelou António Vieira, director-executivo do CeNTI. De igual forma, o CeNTI apresentou 10 produtos inovadores, desenvolvidos para os sectores automóvel, da saúde, construção, do desporto e lazer, protecção individual e moda, resultado de parcerias entre o centro de nanotecnologia e 10 empresas. Entre eles, a peúga EcoHighTec, desenvolvida em parceria com a Fiorima, uma peúga com capacidade de monitorização de parâmetros fisiológicos como a temperatura do pé, o batimento cardíaco, pedómetro, sensor de massa corporal, distância percorrida, velocidade média, velocidade instantânea e calorias dispendidas num treino. Um exemplo dos muitos trabalhos desenvolvidos: só este ano, segundo António Amorim, o CeNTI esteve envolvido em mais de 40 projectos. Durante a sessão de inauguração, as empresas Dominó, Endutex Revestimentos, TMG Automotive e Sonae Indústria deram ainda o seu testemunho do trabalho desenvolvimento no âmbito da inovação e das parcerias com o CeNTI, ao passo que Carlos Lage, presidente da CCDRN, e Carlos Zorrinho, Secretário de Estado da Inovação e Energia, enalteceram as qualidades e os resultados obtidos até agora pelo CeNTI. O centro de nanotecnologia está, de resto, já a pensar no futuro, com o início de uma segunda fase, onde tem já um projecto aprovado pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDRN) no valor de 2 milhões de euros. Um projecto que deverá permitir «continuar neste crescimento sustentado e sólido. No próximo ano vamos crescer entre 20% a 25%, o que se poderá traduzir na contratação de mais 10 colaboradores», adiantou António Vieira. Actualmente, trabalham no CeNTI 30 colaboradores e cinco estagiários.