Início Arquivo

Charles Vögele adopta RFID

Esta implementação proporciona uma solução integral desde a origem até à loja, ao longo de toda a cadeia de abastecimento (desde o ponto de fabrico ao ponto de venda), utilizando etiquetas EPC Gen 2 standard. é a primeira solução baseada em padrões standard para qualificar o RFID em toda a cadeia de abastecimento. A solução implementada na Charles Vögele combina as mais-valias da Checkpoint na gestão das quebras e da visibilidade da mercadoria, incluindo o hardware, os serviços, as etiquetas e o serviço global de etiquetagem Check-Net. Além disso, vai permitir ao retalhista racionalizar as suas cadeias de abastecimento, aplicando etiquetas inteligentes no ponto de fabrico, lendo as etiquetas ao longo das operações logísticas e nas lojas. Uma vez nas lojas, o retalhista pode melhorar as operações e aumentar a disponibilidade nos lineares, seguindo o rastro da mercadoria ao nível do artigo. Esta solução possibilita ainda optimizar a reposição do inventário, reduzindo as rupturas do stock e o inventário manual, melhorando ao mesmo tempo as vendas. Para a Charles Vögele, isto significa que a mercadoria certa chegará aos lineares correctos da loja no momento exacto. Com mais de 70 milhões de peças de vestuário recebidas anualmente de mais de 400 fornecedores e distribuídas em 34 centros na ásia e Europa, as operações da cadeia de abastecimento da Charles Vögele representam um desafio logístico para o retalhista sedeado na Suíça. «A adopção do RFID transformou e melhorou as nossas operações desde a origem à loja. Começámos a racionalizar as nossas operações e a apoiar as nossas vendas em formas que não eram anteriormente possíveis. De muitas maneiras, isto marca o início de uma revolução retalhista», revelou Thomas Beckmann, vice-presidente da cadeia de abastecimento do Grupo Charles Vögele. «À medida que a incerteza económica condiciona o gasto dos clientes, os retalhistas devem disponibilizar a mercadoria correcta quando o cliente está disposto a pagar. O RFID proporciona a visibilidade para garantir que isso acontece», afirmou Rob van der Merwe, presidente e CEO de Checkpoint Systems. «Os retalhistas enfrentam também custos de capital muito elevados e necessitam de reduzir os níveis de inventário, mantendo ao mesmo tempo a disponibilidade nos lineares. O RFID permite atingir estes dois objectivos». O responsável da marca de moda reconhece que «a adopção do RFID está a transformar o nosso negócio, garantindo que os nossos clientes encontrem o que procuram. Na vertiginosa indústria da moda, responder às expectativas dos clientes representa a diferença entre o êxito e o fracasso». Depois de implementar com sucesso esta solução nas suas lojas na Eslovénia, a Charles Vögele está a planear implementá-la ao nível da sua cadeia de abastecimento mundial e lojas em toda a Europa.