Início Notícias Marcas

CherryPapaya e os inuítes

Encontrados em regiões frias da Gronelândia, Alasca e Canadá, os inuítes são um povo indígena de esquimós. A marca nacional de moda infantil CherryPapaya levou-os recentemente para Florença.

«Estreámo-nos na Pitti Bimbo e foi assim que tudo começou», conta, ao Portugal Têxtil, a fundadora Sandra Barradas. «Portanto, no ano passado estivemos no The Next [espaço dedicado a marcas novas] nas duas edições e, agora, concorremos ao espaço Kids Fizz», explica sobre o arranque da internacionalização da CherryPapaya.

A marca de vestuário infantil regressou recentemente a Florença, onde apresentou a coleção outono-inverno 2018/2019.

«A coleção foi inspirada nos esquimós, na cultura inuíte, das cores aos estampados. Depois, acabámos por lhe chamar “Yuka”, porque é um nome inuíte», esclarece Sandra Barradas.

Muito requisitada pelas peças em algodão orgânico, a marca tem como grande novidade da estação o número de artigos que, tal como a marca, cresceu.

«Temos mais componentes e a ideia é sobrepor os componentes. Fizemos leggings para vestir debaixo das saias, fizemos perneiras para vestir por cima das leggings –, é muito inspirado na cultura inuíte, também, que coloca umas peças por cima das outras», revela a fundadora.

Outra das boas-novas é a colaboração com a marca de calçado nacional Moleke, com a qual a CherryPapaya desenvolveu umas botas exclusivas. O modelo vai até ao tamanho 35.

A par de Itália, a expedição dos inuítes da CherryPapaya terá ainda como destino a China, França e EUA, principais mercados internacionais da marca, que absorvem aproximadamente 70% da produção.

«Sinceramente, acho que há em Portugal espaço para a marca se afirmar e ser uma referência. Sou portuguesa, desenho à minha maneira e faço tudo em Portugal», afirma sobre o potencial de crescimento do mercado nacional.

A alavancá-lo está – desde o final de 2017 – a primeira loja física da CherryPapaya, no Porto. De portas abertas no número 270 da rua Pedro Homem de Melo, a loja nasceu da vontade de despertar os sentidos e contar histórias (ver CherryPapaya ganha casa).

As viagens feitas e a casa inaugurada logo deram frutos, com a CherryPapaya a registar um crescimento «na ordem dos 50%» em 2017.