Início Notícias Vestuário

Chic Shanghai floresceu em março

A edição de primavera do salão internacional de moda e acessórios, que decorreu entre os dias 14 e 16 de março, fechou as portas com uma nota de otimismo, alavancada pelos sucessivos crescimentos no número de visitantes.

No mês passado, a Chic Shanghai acolheu no National Exhibition & Convention Center, em Xangai, 1.210 expositores provenientes de 21 países e regiões.

Nos três dias de feira registaram-se 112.666 visitantes de diferentes áreas de negócio, de grandes armazéns a centros comerciais, de lojas multimarca a agentes e distribuidores.

No balanço da recente edição, Chen Dapeng, presidente da Chic e vice-presidente da China National Garment Association, afirmou que «os consumidores chineses evoluem rapidamente, a “atualização” do consumidor é, de resto, a palavra-chave». «O mercado chinês é orientado pelo consumidor», sublinhou.

Tendências internacionais

Globalmente, a Chic Shanghai mostrou que o mercado chinês continua atento às tendências internacionais, maioritariamente absorvidas por jovens consumidores – a força motriz do retalho do país, cujas vendas cresceram 10,2% em 2017. Segundo com um estudo da consultora BCG, esse público responde com 65% do aumento do consumo na China, rondando a taxa de crescimento prevista os 11% ano até 2021.

Em comunicado, o salão internacional de moda e acessórios revelou que os expositores do segmento “Impulses”, dedicado aos designers, ficaram muito satisfeitos – além dos muitos acordos de parceria, receberam, também, várias ordens de encomenda.

Já os expositores internacionais na área da “Fashion Journey” viajaram do Brasil, Dinamarca, Alemanha, França, Hong Kong, Índia, Itália – com 40 expositores e, novamente, o país europeu mais representado –, Japão, Coreia, Peru, Polónia, Suécia, Espanha, Taiwan e Reino Unido e expressaram a sua satisfação com a participação no salão chinês, reconhecendo o forte potencial económico do Império do Meio.

Presente na área “Heritage”, a International Fur Federation (IFF) apresentou-se, pela primeira vez, com produtores internacionais e a Turquia marcou presença com 10 empresas no salão.

«O número de visitantes no nosso stand diminuiu residualmente, mas mesmo assim estivemos sempre muito ocupados. Tivemos 50% de clientes antigos e 50% de novos clientes», avaliou Will He Fei, sales manager da especialista francesa em pelo Akhesa.

Do lado dos participantes locais, agrupados nos pavilhões das respetivas províncias, a Chic mantém-se como plataforma de negócios por excelência.

As marcas emergentes ficaram alinhadas na área “Chic Young Blood”, com as empresas do segmento “Urban View”, consagrado à moda masculina, otimistas com as centenas de encomendas. Na edição de primavera, os acessórios mereceram uma atenção especial com a criação da área “Secret Stars” e as marcas dedicadas à moda infantil ficaram dispersas pelo segmento “Kid’s Paradise”.

«Os gastos com moda infantil são elevados na China, vemos um grande potencial de crescimento para a nossa marca no mercado. Já temos interessados na China, que conhecemos nas feiras de Paris e vendemos a nossa coleção em lojas multimarcas em Xangai», indicou Antonio Bassi, proprietário da marca de calçado artesanal Prodotto Naturale Italiano.

«Foi a nossa primeira participação na Chic Xangai, tem sido uma experiência positiva, o mercado está muito interessado em produtos naturais, acho que há muito potencial», reconheceu Maja Kubit-Orzegowska, representante da marca de moda infantil polaca Kukukid.

Off e online

A gestão de visitantes, online e offline, foi um dos aspetos centrais da edição. Online, isto é, via WeChat e na app oficial Chic, foram feitas mais de 200.000 solicitações por parte dos visitantes, com os expositores a enviarem mais de 700.000 informações sobre o produto.

A próxima edição da Chic Shanghai está agendada para os dias 27, 28 e 29 de setembro, no National Exhibition & Convention Center.