Início Arquivo

China continua a crescer

O gabinete nacional de estatística da China comunicou que os mais recentes dados económicos do país mostram que a economia do país está no bom caminho para cumprir a sua meta de 8% de crescimento relativamente a 2009. Os dados oficiais indicam que a actividade industrial aumentou 16,1% em Outubro, comparativamente com igual período do ano anterior, revelando a maior taxa de crescimento desde Março de 2008. A economia chinesa continua a beneficiar do enorme pacote governamental de estímulo económico. Os economistas referem que o pacote de estímulos está a sustentar o rápido crescimento da procura interna, apesar do ainda lento crescimento nas encomendas para exportação. As vendas no retalho em Outubro foram superiores às de Setembro. A notícia coincide com os comentários dos produtores chineses de vestuário, que em Novembro divulgaram estar a observar alguns sinais de recuperação nos mercados de exportação, apesar das dificuldades resultantes da crise internacional. A economia dos 16 países da Zona Euro cresceu 0,4% no terceiro trimestre de 2009, após a redução de 0,2% no trimestre anterior. A economia francesa e a alemã cresceram pelo segundo trimestre consecutivo, confirmando assim que as duas maiores economias da Zona Euro saíram da recessão. A economia da Alemanha cresceu 0,7% no trimestre, enquanto que a da França cresceu 0,3%. A União Europeia, no seu todo, também saiu da recessão, com um crescimento de 0,2% no terceiro trimestre. No entanto, o Reino Unido continua em recessão, depois de ter contraído 0,4% entre Julho e Setembro de 2009. Os economistas advertem que a perspectiva de crescimento económico é atenuada pelo elevado desemprego, pelos menores gastos por agregado familiar e pela necessidade de eliminar gradualmente os pacotes de estímulo fiscal. Por outro lado, a Agência Internacional de Energia (AIE), advertiu que se o recente aumento no preço do petróleo continuar, “arrisca descarrilar a recuperação”. A AIE afirma que a procura de petróleo vai também subir muito mais lentamente se o preço continuar a aumentar em 2010. O preço do petróleo aumentou 77% em 2009, chegando aos 80 dólares por barril. Alguns analistas consideram que o preço do petróleo nos 100 dólares por barril pode não estar longe. Os grandes cortes de produção pela OPEP, em relação ao ano passado, têm sido o factor principal para a alta dos preços, segundo revelou a AIE. A agência afirmou ainda que o consumo mundial de petróleo está em vias de crescer no quarto trimestre, pela primeira vez desde meados de 2008, devido principalmente à crescente procura dos mercados emergentes.