Início Destaques

Chuva de estrelas

Na noite em que Leonardo DiCaprio se vingou de anos de palmas na assistência e subiu ao palco para receber a estatueta pela sua performance em “The Revenant”, “Spotlight” levou para casa o Óscar de melhor filme e “Mad Max-Fury Road” arrecadou todas as distinções nas categorias técnicas, a moda não faltou à passadeira vermelha – sendo que, também ela, já havia sido ingrediente principal nestas três receitas da cozinha hollywoodesca.

Na madrugada de domingo foram conhecidos os vencedores da 88.ª edição dos Óscares, em Los Angeles.

“Spotlight”, que já havia sido o grande vencedor dos Independent Spirit Awards, com cinco troféus, foi o filme favorito da noite e já havia sido um dos eleitos da fashionup.pt pelo seu figurino anos 1990 (ver Estilo jornalístico). “Spotlight” venceu ainda na categoria de melhor argumento original (Tom McCarthy e Josh Singer).

Leonardo Dicaprio levou finalmente para casa o Óscar de melhor ator, para tristeza da Internet, que há anos se incumbia de judiar o seu infortúnio. O filme é ainda responsabilizado por uma das grandes tendências da passerelle nova-iorquina, apelidada pelos insiders da indústria da moda como “O efeito Revenant” (ver Dez para oito). “The Revenant venceu também na categoria de melhor realizador (Alejandro G. Iñárritu).

O quarto filme da série pós-apocalíptica “Mad Max” venceu vários galardões na noite de domingo, incluindo o de melhor figurino, departamento já destacado pela fashionup.pt (ver Passadeira de ouro). O documentário “Amy”, que retraça a vida curta e o vasto legado da cantora Amy Winehouse para a música, foi o vencedor na respetiva categoria (ver Back to black: regressar a Amy).

Se a entrega de prémios fez o deleite das estrelas e dos cinéfilos, a passadeira vermelha mereceu todas as atenções dos media e dos amantes de moda. Este ano, de acordo com os entendidos, não houve possibilidade de eleger “o melhor vestido da noite”, ainda que algumas mulheres estivessem nomeadas para a categoria.

No que à ala das mais bem-vestidas da noite diz respeito, Naomi Watts em Armani brilhante e Saoirse Ronan em Calvin Klein também em brilho estiveram entre as eleitas. Olivia Munn em Stella McCartney laranja primou pela simplicidade e sofisticação, enquanto Rachel McAdams conquistou as objetivas em August Getty de costas expostas. Já Jennifer Lawrence continua a ser distinguida pela positiva, num vestido em jogo de transparências da Dior; bem como Rooney Mara, cuja elegância foi este ano sublimada em Givenchy.

Na ala oposta estão os nomes de Kate Winslet em Ralph Lauren brilhante. O vestido floral de Andrew Gn retirou a parte da graça a Amy Poehler e Brie Larson, que ganhou o Óscar para melhor atriz em “Room”, perdeu num Gucci com folhos.

Eis a lista completa dos vencedores dos prémios da academia:

Melhor filme

“Spotlight”

Melhor realizador

Alejandro G. Iñárritu, “The Revenant”

Melhor ator

Leonardo DiCaprio, “The Revenant”

Melhor atriz

Brie Larson, “Room”

Melhor ator secundário

Mark Rylance, “Bridge of Spies”

Melhor atriz secundária

Alicia Vikander, “The Danish Girl”

Melhor filme de animação

“Divertida-mente”

Melhor argumento original

“Spotlight” (Tom McCarthy e Josh Singer)

Melhor argumento adaptado

“The Big Short” (Charles Randolph e Adam McKay)

Melhor filme estrangeiro de língua não inglesa:

“O filho de Saul” (Hungria)

Melhor desenho de produção

“Mad Max” (Colin Gibson)

Melhor fotografia

“The Revenant” (Emmanuel Lubezki)

Melhor guarda-roupa

“Mad Max-Fury Road” (Jenny Beavan)

Melhor Montagem

“Mad Max-Fury Road” (Margaret Sixel)

Melhores efeitos visuais

“Ex Machina” (Andrew Whitehurst, Paul Norris, Mark Ardington e Sara Bennett)

Melhor caracterização

“Mad Max-Fury Road” (Lesley Vanderwalt, Elka Wardega e Damian Martin)

Melhor Montagem de Som

“Mad Max-Fury Road”(Mark Mangini e David White)

Melhor Mistura de Som

“Mad Max-Fury Road” (Chris Jenkins, Gregg Rudloff e Ben Osmo)

Melhor banda Sonora

“The Hateful Eight” (Ennio Morricone)

Melhor canção original

“Writing’s on the wall” (“007-Spectre”), Sam Smith e Jimmy Napes

Melhor documentário

“Amy”, de Asif Kapadia

Melhor documentário em curta-metragem

“A girl in the river: the price of forgiveness”

Melhor curta-metragem

“Stutterer”, de Benjamin Cleary e Serena Armitage

Melhor curta-metragem de animação

“Bear Story”, de Gabriel Osorio