Início Arquivo

Cidades escondidas – Parte 2

Com o desenvolvimento das economias de países ditos em desenvolvimento, são várias as cidades que se revelam um centro de oportunidades de negócio para os retalhistas e marcas que se querem expandir internacionalmente. A Deloitte e a Planet Retail apresentam, por isso, no estudo “Cidades Escondidas”, 10 cidades que merecem ser exploradas pela população que albergam e pelo seu nível de desenvolvimento atual e futuro. Depois do primeiro grupo, composto por Bogotá, Chongqing, Ho Chi Min City, Jacarta e Calcutá (ver Cidades escondidas – Parte 1), conheça as restantes cinco cidades que, segundo estas empresas de pesquisa de mercado, merecem uma análise mais detalhada. Lagos, Nigéria A maior cidade na Nigéria, com uma população que ronda os 8 milhões de pessoas (que aumenta para 11 a 15 milhões de pessoas na área metropolitana), Lagos tem um padrão de vida relativamente alto em comparação com o resto do país e a sua população, níveis de rendimento e atratividade para os retalhistas devem crescer à medida que a economia da Nigéria se desenvolve. Principais características: •Tem uma das densidades populacionais mais elevadas do mundo; •Tem já um mercado saudável para o retalho moderno; •Forte procura por retalho básico mas a infraestrutura ainda tem obstáculos; •As maiores oportunidades estão nos sectores dos supermercados e pequenas lojas de bairro; •Os níveis de tráfico e de criminalidade ainda são uma preocupação. Lima, Peru O Peru tem a economia em mais rápido crescimento na América Latina e Lima é a sua capital, com uma população metropolitana de quase 9 milhões – quase um terço da população do país. Lima também representa 60% do PIB do país e algumas estimativas colocam as vendas na cidade como representando três quartos de todas as vendas no Peru. As compras estão também a transferir-se rapidamente dos mercados e pequenos retalhistas para centros comerciais e lojas maiores. Principais características: •Representa mais de 80% das vendas modernas no Peru; •Pequenas lojas e mercados de rua ainda representam cerca de 70% de todas as vendas a retalho em Lima; •O investimento em supermercados modernos está a crescer; •O PIB per capita é, segundo as estimativas, o dobro do do Peru como um todo. Manila, Filipinas A população de Manila cresceu rapidamente e, enquanto capital das Filipinas, a cidade irá beneficiar com o desenvolvimento do país. O investimento no retalho moderno nos últimos 20 anos fez com que a cidade se torna-se casa de alguns dos maiores centros comerciais da Ásia, mas há alguns pontos negativos, incluindo problemas de infraestruturas, ameaças de crime e ineficiência. Principais características: •Elevada densidade populacional e cerca de 22 milhões de habitantes; •Representa 30% das vendas nacionais no retalho; •Manila é o principal destino do investimento no país; •O retalho moderno é dominado por players locais; •Os retalhistas esperam beneficiar do aumento do rendimento e da urbanização. Nairobi, Quénia Nairobi tem uma população de 3,3 milhões de pessoas mas sendo o Quénia uma nação maioritariamente rural, Nairobi representa a maior parte da sua atividade urbana e a maioria da classe média e as pessoas ricas vivem aí. A economia do país tem vindo a crescer rapidamente e esse crescimento deverá continuar, com Nairobi como principal localização para o investimento no retalho moderno. Principais características: •A população deverá crescer para 4 milhões de pessoas até 2015, mas muitas ainda vivem em bairros degradados; •O investimento no retalho moderno deverá centrar-se em supermercados e lojas de bairro; •O retalho independente ainda está a crescer, mas não tão rapidamente como o segmento moderno; •Poucos retalhistas internacionais estão presentes. Yekaterinburgo, Rússia A quarta maior cidade da Rússia, Yekaterinburgo é o centro comercial da região dos Urais e, como grande centro de aprendizagem e investigação, tem muitas pessoas educadas e qualificadas. Tem uma população de cerca de 1,4 milhões de pessoas, com as novas oportunidades de emprego no centro urbano a atrair pessoas das regiões e a impulsionar o crescimento das vendas. Principais características: •Deverá tornar-se cada vez mais atrativa para os retalhistas estrangeiros nos próximos anos; •Número populacional constante; •Centro cultural para a região dos Urais; •Parte considerável da população tem um rendimento disponível significativo.