Início Arquivo

Cinco sentidos de moda

A escola de moda Modatex abriu o quarto dia de apresentações do Portugal Fashion, integrada na plataforma Espaço Bloom, dedicada aos jovens criadores. A esta mostra dos novos talentos que estão a começar a dar os primeiros passos neste mundo, seguiu-se o talento mais do que reconhecido e confirmado da dupla Alves/Gonçalves. Uma coleção diferente, mas com o toque inconfundível de Manuel Alves e José Manuel Gonçalves, subiu à passerelle, com silhuetas simples, direitas, mas repletas de pormenores. «Um designer de moda tem de se adaptar aos tempos e estar perto de coisas novas e diferentes. Não nos acomodamos. Decidimos que para a próxima estação iríamos adotar silhuetas extremamente simples, direitas, em que o corpo vai-se soltar por si, mostrando qualquer coisa de feminino no meio disso, às vezes com um certo erotismo», explicou Manuel Alves. Os jogos de transparências e de cor, entre o preto e o branco, estiveram em destaque nos coordenados apresentados pela dupla. No Espaço Bloom, Carlos Couto estreou-se com uma coleção que partiu do «conceito de peregrino e que foi transformada em formas mais sportswear e andrógenas», explica o jovem criador, com os estampados de mapas e cidades a sobressaírem. Ana Segurado, por seu lado, mostrou criações baseadas no conceito “wabi sabi”, «que é a beleza da imperfeição, um conceito japonês do século XV», revelou ao Portugal Têxtil. A sobreposição dos trajes tradicionais dos samurais e a rudeza dos materiais em contraste com a suavidade das formas foram as notas dominantes. Diogo Miranda foi o senhor que se seguiu, com uma coleção inspirada pelo desporto, a couture e o fetiche. «Nesta coleção quis fazer uma coisa diferente, mais descontraída e mais cool, porque é também um bocado o universo que tenho vivido nos últimos tempos. É para uma mulher cool, cosmopolita, que gosta de se sentir confortável mas de estar bem ao mesmo tempo», explicou o designer. Os vestidos em verde-água, coral e azul-marinho fundiram-se com calças e detalhes em vinil preto, «a ideia do fetiche, que é um apontamento mas está presente em grande parte das peças», indicou. Uma coleção que encantou a plateia e mereceu o destaque do criador norte-americano Michael Bastian. «Ficámos mesmo muito impressionados com o desfile dele. Nunca ouvi falar dele na América, mas o Diogo é muito bom e muito talentoso. Deve ficar muito orgulhoso», referiu o designer responsável pelo encerramento do quarto dia do Portugal Fashion em conversa com o Portugal Têxtil. Mas antes de Michael Bastian desfilar as suas propostas para homem – «uma coleção muito americana», como afirmou o criador, que bebeu inspiração no final dos anos 70 e na ideia de festa de piscina, com calções, blazers e calçado muito descontraídos – ainda subiram à passerelle Carla Pontes, Elionai Campos e João Melo Costa, no Espaço Bloom, e Felipe Oliveira Baptista e TmCollection by Teresa Martins na passerelle principal. O criador português radicado em Paris mostrou vestidos, calças e blusas inspiradas nos movimentos hip-hop e grafiti, onde a pele, colada com jersey, esteve em destaque, à semelhança do que aconteceu com outras grandes casas de moda internacionais, como a Chanel ou a Saint Laurent. «A compra de uma peça de pele é algo que não tem estação, pode comprá-la e vestir-se o ano inteiro – temos a sorte de termos cá bons verões mas em Paris, por exemplo, este ano não houve verão. É um material mais ligado ao inverno, mas acho que também tem o seu lugar no verão», justificou Felipe Oliveira Baptista. Algodão e sedas foram outros dos materiais usados para criar looks assimétricos, por vezes monocromáticos (em branco e verde tropa, por exemplo) ou com mistura de estampados abstratos. Já Teresa Martins regressou às “Raízes”, com cores, grafismos e texturas da Natureza. As sedas, algodões, linhos e jerseys estiveram em destaque na passerelle, que juntou manequins profissionais e ilustres mais ou menos desconhecidos, como Ana Borges, ao som de Leonard Cohen e Tina Turner. Amanhã conheça as propostas apresentadas no último dia desta 31.ª edição do Portugal Fashion, onde desfilaram, entre outros, Carlos Gil, Meam by Ricardo Preto, Luís Onofre e Fátima Lopes.