Início Arquivo

Citex determinante para Moda nacional

O Citex (Centro de Formação Profissional da Indústria Têxtil), tem sido determinante, no que diz respeito à promoção da moda nacional. Numa altura em que os industriais estão cada vez mais convencidos da importância do design, a procura de profissionais saídos deste Centro de Formação excede claramente a oferta. Helena de Matos, coordenadora de formação nas áreas do design e da têxtil do Citex, revelou à «Vida Económica» que «as saídas profissionais no que se refere concretamente à vertente moda, podem ser encaradas no Citex sob três perspectivas diferentes, qualquer uma delas com a sua importância. Há os recém-formados, que passam a integrar empresas da fileira têxtil enquanto designers, há aqueles que avançam com colecções próprias e que são os nomes conhecidos do estilismo nacional, tendo importância acrescida face à pesquisa que desenvolvem, e ainda, outros que já com algum reconhecimento, levam a cabo parcerias com empresas industriais». Desta forma, é importante afirmar que mais de 90% dos formandos têm colocação garantida em termos profissionais. Um das razões que possibilita estas saídas é a preparação abrangente que existe neste tipo de cursos. Para Helena de Matos, têm sido dado passos muito importantes nestes últimos anos, especialmente no que respeita ao estreitamento de relações com a indústria. «Sendo menos visível o papel de um designer do que de um estilista, a verdade é que o desempenho do primeiro é de extrema importância para a criação de colecções próprias em todos os segmentos da fileira. Por sua vez, realizações como o Portugal Fashion ou a Moda Lisboa têm contribuído para uma maior visibilidade da moda nacional além fronteiras e a nível interno». A criação de marcas próprias é, segundo Helena de Matos, uma tarefa complicada para a maioria das empresas portuguesas, quer pela dimensão, quer pelos investimentos que implica; no entanto isto não significa «desistir» do design. Aliás, este assumiu uma importância indiscutível no sucesso da ITV portuguesa. Em relação ao Citex enquanto instituição e centro de formação, tem cerca de 150 alunos em design, saindo anualmente 30 finalistas em moda e têxtil. Os cursos têm a duração de três anos, incluindo um estágio de seis meses numa empresa. Estes cursos são subsidiados, tendo alunos vindos de todo o país. Isentos de qualquer pagamento, os que vierem de fora do Porto chegam mesmo a receber alguns apoios. O Citex vai ainda mais longe, participando sempre que possível em concursos internacionais. Os alunos têm sido premiados com alguma frequência, sendo convidados a estagiar em empresas estrangeiras, acabando mesmo por ficar lá a trabalhar. O centro, promove ainda mestrados no exterior. Helena de Matos, chama também a atenção para o facto de os criadores nunca serem demais, «seria óptimo criar mais oportunidades para aqueles que possuem talento, que fazem as suas próprias colecções.» A coordenadora de formação nas áreas do design e da têxtil, salienta ainda o facto de «as empresas poderem contribuir de uma forma mais activa mesmo que algumas já se tenham apercebido desse potencial». A nível de organização, o Citex está dependente do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), tendo também uma série de protocolos com três associações da fileira têxtil APIM, APT e ANIVEC.